twitterfeed
PUBLICADO EM 25.02.2017 - 16:48

Bichos são o tema da Águia de Ouro. Escola não usou material de origem animal

Os bichos caíram na folia esse ano no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo. Eles foram enredo da Águia de Ouro, que encerrou essa madrugada o primeiro dia de desfiles das escolas do grupo especial da cidade. A agremiação, que já tem um animal em seu nome, levou para a avenida o samba “Amor com amor se paga. Uma história animal”. A letra fala não só do amor pelos animais, mas também chamou atenção para a importância da proteção a eles.

Comissão de frente com mendigos e cãos e a Arca de Noé no abre-alas (Diário de São Paulo)

Comissão de frente com mendigos e seus cachorros e a Arca de Noé no abre-alas (Diário de São Paulo)

A Águia de Ouro não usou penas ou produtos de origem animal nas fantasias. Muito legal, não é?! Aliás, foi isso que fez a apresentadora e ativista da causa animal Luisa Mell desfilar. Ela foi homenageada pela escola. A comissão de frente desfilou vestida de mendigos e seus cachorros mostrando a relação de amor e companheirismo entre eles. O abre-alas trouxe a Arca de Noé. De acordo com integrantes da escola, ele não teria salvado nenhum cão, e a alegoria tentava reparar esse erro.

A apresentadora e ativista da causa animal Luisa Mell foi homenageada (Facebook)

A apresentadora e ativista da causa animal Luisa Mell  foi homenageada pela escola (Facebook)

Os cães foram o destaque do enredo. Passaram pelo sambódromo Rin-Tin-Tin, Scooby Doo, Snoopy, Bidu, Dama e Vagabundo, Ajudante de Papai Noel e Mutley, alguns dos cachorros famosos mais celebrados. O enredo destacou o papel dos cachorros na sociedade e na cultura popular.

Baianas desfilaram de Cruella DeVil, a vilã do desenho "101 Dálmatas" (Diário de São Paulo)

Baianas desfilaram vestidas de Cruella DeVil, a vilã do desenho  ”101 Dálmatas” (Diário de São Paulo)

Já as baianas estavam de Cruella DeVil, a vilã do desenho “101 Dálmatas”, que perseguia os filhotes com pintas para produzir um vestido com suas peles. Muito divertido e criativo! Mas, não foram só os cachorros que desfilaram. Além da ave símbolo da escola, a Águia de Ouro cantou sobre pássaros, animais de circo e até baleias.

Outros animais foram lembrados, como os burros que sofrem puxando carga (Diário de  São Paulo)

Outros animais foram lembrados, como os burros que sofrem puxando carga (Diário de São Paulo)

E, ao longo de sua apresentação, lembrou as crueldades que os humanos são capazes de cometer contra os animais chamando atenção para os casos de maus tratos, como touradas, circos e até parques aquáticos. No carro onde estava Luisa Mell havia também uma homenagem à orca Tilikun, que morreu em janeiro.

Ala com fantasias que retrataram maus tratos aos animais (Diário de São Paulo)

Ala com fantasias que retrataram maus tratos como pássaros nas gaiolas (Diário de São Paulo)

E, claro que ele estava lá na avenida: São Francisco de Assis, o protetor dos animais. Esse jamais poderia faltar, não é?! Ele foi representado numa figura enorme com um cachorro no colo. Emocionante!

São Francisco de Assis padroeiro dos animais (Diário de São Paulo)

São Francisco de Assis padroeiro dos animais em com um cachorro no colo (Diário de São Paulo)

A escola finalizou o desfile com um carro que invertia os papéis em laboratórios: animais, como beagles e macacos, realizavam testes em humanos. De arrepiar! A Águia de Ouro desfilou com três mil componentes, cinco alegorias e 20 alas.

Além dos cachorros, vários outros bichos foram homenageados (Diário de São Paulo

Ratos, que são usados em experiências de laboratório, foram lembrados  no desfile  (Diário de São Paulo)

 

Publicidade