twitterfeed
PUBLICADO EM 16.11.2017 - 8:55

Aumenta em 88% no número de abordagens a donos de cães na areia das praias do Rio

Presença do animal é proibida pelo código de posturas do município. A Guarda Municipal do Rio (GM-Rio) registrou este ano um aumento de 88% no número de abordagens relacionadas a presença de cães na areia, o que é proibido pelo Código de Posturas do município. Responsável pela fiscalização diária em toda a orla da cidade, o Grupamento Especial de Praia (GEP) registrou 3.789 abordagens deste tipo, de 1 de janeiro a 13 de novembro de 2017. Em todo o ano passado foram registrados 2.012 casos de retirada de animal da areia. Nos dois períodos, 57% dos casos foram flagrados em praias da Zona Sul do Rio.

praia1

O decreto nº 29.881, de 18 de setembro de 2008, prevê multa para os donos dos cães que levarem os animais para a areia da praia, mas a aplicação da penalidade ainda não foi regulamentada, por isso o papel dos guardas é de orientação, assim como nas demais irregularidades flagradas na rotina diária de patrulhamento de praias. Em caso de desobediência, se o proprietário se recusar a retirar o animal da areia, ele pode ser encaminhado para a delegacia local.

O secretário de Ordem Pública, Paulo Amêndola, é favorável a aplicação de multa, com o objetivo de tornar a fiscalização mais rígida e coibir os casos de desobediência. A mudança, contudo, depende de aprovação do legislativo municipal. Neste momento, há uma equipe da Secretaria Municipal de Ordem Pública trabalhando na elaboração de um texto que será enviado à câmara.

praia

Em relação as fezes de animais deixadas na areia, a ação já é passível de multa, aplicada pelas equipes do Lixo Zero, mediante flagrante da irregularidade. Além de ser proibido pelo regulamento nº 10 do Código de Posturas, que trata do trânsito e da permanência de animais no logradouro público, a presença de cães ou gatos na areia das praias pode oferecer riscos a saúde de banhistas provocado pelo contato com as fezes, pois mesmo após o recolhimento dos dejetos, resíduos podem permanecer na areia e provocar contaminação.

 
Guarda agredido em abordagem

No mês de julho deste ano, um guarda municipal do GEP foi agredido a facadas após orientar banhista sobre a proibição da presença de cães na areia. O banhista abordado pelo guarda desacatou a equipe, resistiu a abordagem e no momento da imobilização desferiu dois golpes de faca nas costas do agente, ferindo-o próximo à coluna vertebral e na lateral esquerda do corpo. O caso foi registrado na 16ª DP (Barra da Tijuca).

A GM-Rio segue coibindo a irregularidade na cidade.

 

FONTE: Guarda Municipal

Publicidade