22_rodrigo_leodias
23 mai

‘Sou uma pessoa de poucos amigos’, diz Rodrigo Sant’anna

Quando encarna seus personagens em ‘Comício Gargalhada Segundo Turno’, Rodrigo Sant’anna se joga e faz o povo rolar de rir, mas na vida íntima, o ator é tímido, conta nos dedos os amigos verdadeiros e não faz graça o tempo todo. Antes de atuar, fez psicologia e foi atendente de telemarketing por um salário mínimo. Hoje, ele conta que foi com o teatro que ganhou dinheiro.

22_rodrigo_leodias

Vamos falar sobre sua timidez. Você fez teatro para acabar com ela?
Nunca fui um bicho do mato, mas também não era a pessoa mais extrovertida do mundo. Tanto que, quando eu falei em fazer teatro foi uma surpresa para minha mãe, para minha família. Mas não fui fazer teatro por causa de timidez, nunca fui de dançar na escola, não era uma coisa que eu gostava. Ficava meio envergonhadinho pra dançar festa junina, nunca me agradou. Mas nunca tive dificuldade de me relacionar com as pessoas. Fui fazer teatro comecei e me interessar, mas foi pro final da adolescência, lá pelos 18 anos. Até então não cogitava isso.

Em casa fazia brincadeira pra família?
Nunca (risos).

Quando sua mãe viu que era realmente seu dom, sua vocação atuar e que você ia servir realmente para isso?
Na verdade, minha mãe achava que eu começava e não terminava as coisas. Fazia judô e parava. Fazia natação e parava. Ela achou que fosse acontecer a mesma coisa com o teatro. Quando eu quis abrir mão de faculdade para fazer isso, ela ficou surpresa e isso passou a ser uma questão na casa. Era realmente um gasto mensal muito alto com faculdade para parar e fazer teatro. Comecei a fazer turismo, transferi para psicologia. Cursei um período e falei: “mãe vou para o teatro”. Ela pirou.

Você não é o humorista de stand up. Você faz um personagem. Ter personagens é reflexo da timidez?
Talvez. Eu sempre curti muito psicologia, sempre quis fazer terapia e nunca fiz. Agora, há alguns meses comecei a fazer. Até para entender um pouco como funciona. Não que eu seja depressivo. Sou bem tranquilo, não tenho crise. Fui fazer terapia para objetivar de que maneira isso funciona. Entendeu?

Não entendi. A terapia é para você e não para descobrir o por que dos personagens, não é?
Pra mim mesmo e a questão prática de como funciona isso. Acho que você assistiu o ‘Comício Gargalhada’, e tem o Rodrigo e tem humor. Eu me considero assim muito dúbio. Se eu estiver bem à vontade em um lugar, consigo fazer graça de mim mesmo. Mas, qualquer coisa pode me inibir a ponto de me travar. Se eu tiver no meio de amigos, posso ser bem divertido. Se tiver uma pessoa no meio dessa galera que me iniba, aí posso me inibir a ponto de ficar completamente sem espontaneidade. E o humor, vem dessa espontaneidade. Acho que talvez seja isso. Perco a minha espontaneidade facilmente. No caso do personagem, não sou eu que estou falando. É aquela figura que está passando por aquilo.

Você vai a show de humor, de stand up?
Já assisti ao Fábio Porchat, que eu adoro, o Paulo Gustavo, que também adoro.

Quem você mais gosta dessa geração?
Eu gosto do Paulo (Gustavo), do Fábio (Porchat), da Tatá (Werneck), do (Marcelo)Adnet. Essa galera que despontou é muito talentosa.

Noto uma semelhança entre o seu humor e o do Paulo Gustavo. A Valéria eu vejo em vários momentos nos personagens do Paulo. Estou errado?
A Valéria surgiu antes de eu conhecer o Paulo.

Eu sei. Não diria que você tem referência nele não. Mas é um humor meio ‘bulliyng’. A Valéria faz isso e os personagens do Paulo também, não é?
Tem essa levada sim. Tem mesmo.

Existe uma obrigação de ser engraçado? É um saco isso?
Acho chato sim. Eu não me considero uma pessoa ranzinza. Sou na minha, mas não sou mal humorado. Mas as pessoas às vezes ultrapassam os limites.Por conta do humor, elas te tratam à vontade, muito íntimo e às vezes você pensa: ‘acho que não precisava disso’.

Acorda mal humorado?
Mal humorado eu nunca estou. Sou mais intimista. Em Araruama, estava acabando o espetáculo o cara pegou minha mão e puxou pra calça dele. Olha que surreal? Tem umas situações abusivas, que eu considero falta de respeito com qualquer um.

O que você está achando do novo ‘Zorra Total’?
Eu estou muito feliz com a resposta do público. É impreterível falar artisticamente que o ‘Zorra’ virou outra coisa. Enriqueceu, deu a nós a possibilidade de mostrar uma nova vertente que infelizmente é visto como humor mais fácil, da palhaçaria, caricatura. Por um bom tempo fomos vistos como um humor de quinta, mais popularesco e acho que não existe isso. Acho que humor é humor. Ou é engraçado ou não é. Ponto. Acho que o ‘Zorra’ nessa reformulação conseguiu ganhar um novo status de qualidade artística e resguardar o humor. Os comentários foram muito bons.

Quero explorar contigo essa questão do popularesco. Qual a diferença entre o popularesco e o popular?
Para mim não existe essa diferença. Existe o que é bom e o que não é. Às vezes, a grande maioria das pessoas coloca o popularesco no lugar pejorativo. Eu não enxergo dessa maneira. Ou eu faço rir, ou não faço rir. O que importa é que se é divertido ou não. O nosso foco no novo Zorra é divertir com um artista. Mas não é por causa disso que deixará de ser popular, na minha opinião.

Não quero fazer dessa entrevista algo dramático ou piegas. Só quero retratar realmente a sua vida. Você passou por dificuldades financeiras quando criança?
Eu nunca passei fome. Tive uma infância humilde, dormi numa casa de dois quartos com oito pessoas no Morro dos Macacos e não se esbanjava. Fazia a compra do mês e comprava uma bandeja de iogurte. Se aquela bandeja acabasse, provavelmente até o final do mês não teria novamente. Mas o arroz e feijão estava na mesa o tempo inteiro. Fome eu nunca passei. Graças a Deus.

Como foi ganhar seu primeiro salário?
Meu primeiro salário não foi de ator, foi de atendente de telemarketing. Estava fazendo faculdade e trabalhando. Foi tão desegradável fazer que não curti muito o salário. Nossa mãe! Foi o pior ano da minha vida. Sou agitado e achava muito chato ficar parado. Só atendia problema. Um inferno.

Mas você ganhava bem?
Não! Um salário.

Eram quantas horas de trabalho por dia?
Seis horas. E tinha 15 minutos de intervalo. Quando pedi demissão, peguei a grana da rescisão e paguei o primeiro mês da CAL. Quando eu entrei o segundo mês minha mãe teve que pagar e ficou toda endividada. Aí comecei a trabalhar no metrô. Foi o que custeou a CAL.

É do morro que vem as inspirações de seus personagens. Em que momento você descobriu que sua realidade era sua fonte de inspiração?
O primeiro espetáculo que fiz foi ‘Os Suburbanos’ e me divertia com o comportamento das pessoas. Desde então fiquei tentando entender por que eu achava engraçado. já tinha visto o Miguel Falabella sacaneando o pobre no ‘Sai de Baixo’ e aí eu achava engraçado e me identificava muito. Era a minha realidade. Mas eu queria fazer daqui, do pobre. ‘Os Suburbanos’ tinha essa temática e vi que isso vendia. Na época não tinha ninguém falando disso com propriedade e comecei a investir nisso. Achava humano, verdadeiro. A Valéria é caricatura, mas ao mesmo tempo é real. É o que você vê na rua.

Você se vê algum dia fazendo novela? Um papel dramático?
Me vejo fazendo tudo. Tenho vontade de experimentar tudo. Não fecho a porta para nada.

Muita gente diz que teatro não dá dinheiro, que é mais por vocação mesmo. Teatro te deu dinheiro?
O teatro me deu dinheiro sim. Grande parte das coisas que tenho, devo ao teatro. Consegui financiar o meu apartamento graças ao ‘Suburbanos’.

Você pode fazer um comercial como Valéria?
Tenho que entrar em acordo com a Globo. Existe um termo de liberação de direitos da Globo.

Você tem muitos ou poucos amigos?
Sou uma pessoa de poucos amigos. Tenho muitas pessoas do convívio, mas amigos mesmo tenho a Thalita Carauta e a Bel (Isabelle Marques), que fez ‘Suburbanos’ comigo.

Conta para a gente quais as novidades do ‘Comício Gargalhada’?
O formato se mantém com novos personagens. Apesar de ter Valéria e a Adelaide que todo mundo conhece, trago outros personagens.

Como a gente pode ir lá rir com você no ‘Comício Gargalhada’? Passa os dias e horários?
Sexta e sábado às 23h no Teatro dos Grandes Atores, na Barra. O ingresso custa R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia).

Comente ()

Postado por: Leo Dias às 11:31 pm

Foto: Reprodução de Internet
22 mai

Foto íntima de ator de ‘Verdades Secretas’ vaza na internet

‘Verdades Secretas’ nem estreou e já está dando o que falar. Uma foto do ator Felipe de Carolis, que vai dar vida ao personagem Sam, par romântico de Grazi Massafera na novela de Walcyr Carrasco, vazou na rede e anda tirando o sono da mulherada de plantão.

Foto: Reprodução de Internet

Foto: Reprodução de Internet

Na imagem, que parece ter sido tirada no banheiro de uma academia, é possível ver o rapaz como veio ao mundo se pesando na balança. Felipe é mais conhecido no teatro. Ele é produtor e atuou na peça ‘Incêndios’.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Comente ()

Postado por: Leo Dias às 11:34 pm

Foto: Divulgação
22 mai

Pronto, falei!

Os humoristas Gregório Duvivier, 28 anos, e Clarice Falcão, 25 anos, anunciaram o fim do casamento de cinco anos em novembro do ano passado. Mas os dois eram vistos sempre juntos, mesmo estando separados. Agora, parece que o casal se acertou de novo. Uma foto dos dois se beijando foi enviada via mensagem direta a um amigo no Instagram. A legenda, escrita por Gregório, diz: “Voltamos”.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Um apresentador famoso tem fama de mal-educado em uma cidade do sul do país. É que os moradores do local dizem que ele costuma jogar lixo pela janela do carro, sujando as ruas na maior cara de pau. Que coisa feia!

Segundo o site ‘Sambarazzo’, Juliana Alves está confirmadíssima no posto de rainha de bateria da Unidos da Tijuca em 2016, ao contrário do que diziam as más línguas. O presidente Fernando Horta ressaltou a dedicação e os atributos físicos da atriz para mantê-la no posto.

Não que ela precise, mas Juliana Paes tem experimentado novidades do mercado estético para ficar ainda mais deusa. Recentemente, a atriz apostou em um procedimento facial com o aparelho chamado Ulthera, que diminui os sinais prematuros de envelhecimento e dano solar. Preta Gil também se rendeu ao tratamento.

22_jupaes_div

Após o término de relacionamento com Eliana Amaral, João Kléber apareceu com Aane Doux (vencedora do reality ‘The Bachelor’) na festa da filha de Daniela Albuquerque . Procurados, Aane Doux e João Kléber não foram encontrados para confirmar o relacionamento. Porém, fontes declaram que o casal não se desgrudou um só momento e virou alvo dos fotógrafos.

Comente ()

Postado por: Leo Dias às 11:31 pm

Foto: Divulgação
22 mai

André Marques começa a investir pesado na carreira de empresário

André Marques tomou gosto pelo ramo empresarial e, depois de inaugurar a sua segunda loja de carnes no Rio, pretende expandir os negócios para fora do país. O assunto ainda é tratado em sigilo entre o ator e os seus futuros sócios. Porém, uma das pessoas envolvidas na negociação revelou que o local escolhido é Miami.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O desejo do apresentador de ter negócios nos Estados Unidos, no entanto, vai além de uma nova filial da Prime Boutique de Carnes. O grupo de investidores ao qual André estaria se associando também pretende lançar uma revista e um programa de televisão direcionado a brasileiros que moram nos Estados Unidos, e a presença do artista seria usada como trunfo para angariar bons parceiros comerciais.

Comente ()

Postado por: Leo Dias às 11:30 pm

Foto: Reprodução de Internet
22 mai

Silvia Abravanel mostra look de Silvio Santos na web

Veja que fofa a gravata usada por Silvio Santos ontem! A foto foi parar no Instagram de Silvia Abravanel, a filha número dois do dono do Baú.

“Que delícia encontrar meu pai amado hoje de manhã toooodo moderno e eu não resisti e claro tirei essa foto foférrima”, escreveu ela.

Foto: Reprodução de Internet

Foto: Reprodução de Internet

Comente ()

Postado por: Leo Dias às 11:30 pm

21_silvio_leodias_620
21 mai

Filhas de Silvio Santos fazem com que o pai aposente carro velho

Foi difícil, mas elas conseguiram. Depois de uma longa batalha, as seis filhas de Silvio Santos convenceram o pai a trocar de carro. O todo-poderoso do SBT circulava por São Paulo com um… Ômega.

21_silvio_leodias_620
O carro deixou de ser fabricado pela Chevrolet em 2012, mas era o xodó do dono do Baú. Todos os funcionários da emissora já estavam acostumados a ver o carro antigo estacionado no pátio da sede do SBT, em Osasco.

Agora, um lindo Honda Accord preto para na vaga privativa. A placa do novo carro tem o ano de nascimento de Silvio Santos: 1930. Mas tem gente jurando que Silvio, apegado ao seu antigo automóvel, não vai vender o Ômega que o acompanhou por anos a fio…

Comente ()

Postado por: Leo Dias às 11:31 pm

21_pousada_leodias
21 mai

Pedro Bial se casa amanhã com Maria Prata em Petrópolis

Os jornalistas Pedro Bial, de 56 anos, e Maria Prata, de 35, se casam neste sábado, na Pousada Alcobaça, em Petrópolis, região serrana do Rio. O local pertence à avó da noiva e trata-se de um casarão de 1914, cercado por jardins de rosas, bromélias, orquídeas e ervas perfumadas.

21_pousada_leodias

A coluna ligou para a pousada, que informou estar fechada para o evento este fim de semana. “Nem o restaurante vai abrir”, disse a funcionária. Os convidados — a maioria da família da noiva — chegam amanhã de manhã e só vão embora domingo à tarde. Esta é a quinta união de Bial, porém a primeira nos moldes tradicionais.

No início do ano, o apresentador deu uma entrevista ao ‘Vídeo Show’ contando que fez questão de ser um noivo à moda antiga. “Esse é o primeiro que vou formalizar, documentar. Fui pedir a mão ao pai dela e comuniquei à família. Quero fazer tudo direitinho. Está muito legal”, afirmou o jornalista, de 56 anos, que já foi casado com Giulia Gam, Fernanda Torres, Isabel Diegues e Renée Castelo Branco. A coluna deseja felicidade aos noivos!

Comente ()

Postado por: Leo Dias às 11:30 pm