Arquivo do autor:Cadu Bruno

18 jul

UFN 46: McGregor e Brandão quase vão às vias de fato na pesagem

Por Rodrigo Tannuri

Após cinco anos de hiato, o UFC está de volta a Dublin, Irlanda. Se o UFN 45, realizado na quarta-feira, teve um excelente nível técnico, o mesmo pode se esperar do UFN 46, que acontecerá na tarde deste sábado (19/07). Inclusive, o público local já está roubando a cena, ganhando elogios até mesmo de Dana White, que comentou que nunca tinha visto uma pesagem tão vibrante. Com 10 lutas, a atenção estará voltada para o main-event, entre os penas Conor McGregor e Diego Brandão, desafetos declarados, mas os demais atletas também estão prontos para brilhar. O Canal Combate vai transmitir o evento a partir de 13:30.

Tensão: Conor McGregor x Diego Brandão

Tensão: Conor McGregor x Diego Brandão

No main-event, o irlandês Conor McGregor lutará em casa e seu estilo agressivo no octógono e polêmico fora dele contagiou os fãs e fez o ambiente ficar ainda mais hostil contra Diego Brandão. Originalmente, o adversário de “Notorious” seria Cole Miller, porém este se machucou e foi substituído pelo brasileiro. Brandão, vencedor do TUF 14, é um adversário mais perigoso do que Miller. No entanto, sua posição não é boa, já que foi derrotado em sua última luta e, na ocasião, não havia batido o peso dos penas e, inclusive, chegou ameaçar Dustin Poirier com uma faca.

Dessa vez, Brandão não entrou no jogo do adversário, mas deixou claro que o falatório de McGregor não o intimida e que ele não põe medo nos tops da categoria. Confiante, o brasileiro declarou que irá vencer na casa do oponente. Do outro lado, McGregor também esbanja confiança por isso é visto por muitos como arrogante. Após zombar de vários concorrentes, o irlandês garantiu que lutará pelo cinturão e que é o homem certo para destronar José Aldo. O fato é que, com seu estilo, “Notorious” realmente passou a ser notado e já é um dos queridinhos de Dana White. Não é qualquer lutador que encabeça um evento do UFC, tendo realizado apenas duas lutas na organização. O clima de tensão entre os rivais era tanto, que Dana White teve que separá-los na pesagem, revelando que o brasileiro avisou que se o irlandês chegasse mais perto, daria uma cabeçada nele. O favorito é McGregor, mas a certeza é de que tudo pode acontecer nesse embate, até porque os dois envolvidos são muito agressivos e não vão se poupar.

McCall e Pickett posam para a foto oficial

McCall e Pickett posam para a foto oficial

Na segunda luta principal, o meio-médio islandês Gunnar Nelson, invicto no MMA e parceiro de McGregor, é bastante favorito contra Zak Cummings, que tem como ponto forte o Jiu-Jitsu, especialidade do adversário. O combate entre os moscas Brad Pickett e Ian McCall também é bastante aguardado. Ambos são tops da divisão, trocaram farpas e, de quebra, foram alguns dos que mais deram trabalho ao campeão Demetrious Johnson. Nos galos, “One Punch” chegou a derrotar Johnson, enquanto “Uncle Creepy” travou duas guerras contra o mesmo. Quem vencer, ficará bem perto de ter uma nova oportunidade contra “Mighty Mouse”.

Confira o card do UFN 46:

CARD PRINCIPAL

Conor McGregor x Diego Brandão
Gunnar Nelson x Zak Cummings
Brad Pickett x Ian McCall
Norman Parke x Naoyuki Kotani

CARD PRELIMINAR

Ilir Latifi x Chris Dempsey
Neil Seery x Phil Harris
Cathal Pendred x Mike King
Tor Troeng x Trevor Smith
Cody Donovan x Nikita Krylov
Patrick Holohan x Josh Sampo

POSTADO POR: Cadu Bruno às 4:43
18 jul

‘Nostradamus do MMA’ adivinha quem vence no UFC Fight Night 46

Meus amigos proféticos do MMA! O UFC desembarca nesse sábado em Dublin, na Irlanda, terra de bons porradeiros, para o UFC Fight Night 46. E a luta principal é de encher os olhos: o menino de ouro irlandês, Conor McGregor, encara o brasileiro Diego Brandão em duelo empolgante dos penas.

Antes das análises, um aviso de ordem pública: acertei 10 de 11 combates do UFC Fight Night 45, em Atlantic City, na última quarta-feira! Uuuhhhhhhh!! Quase gabaritei moçada! Cada dia que passa meus pensamentos do além estão cada vez mais insanos!

Na luta principal, Conor McGregor e Diego Brandão fazem um combate eletrizante pelos penas. Os dois são bons na trocação, bons no chão e não param um minuto de se movimentar. E aí, meus amigos proféticos, quem leva essa?

Nostradamus do MMA

Na co-luta principal, o menino islandês invicto na carreira, Gunnar Nelson, mede forças com o americano Zak Cummings, em duelo válido pelos meio-médios. Ainda, no card principal, o inglês Brad Pickett faz o segundo duelo contra Ian McCall, dessa vez nos moscas. E Norman Parke encara Naoyuki Kotani.

No card preliminar, destaques para o menino fofinho Ilir Latifi, que encara Chris Dempsey, o duelo de britânicos entre Phil Harris e Neil Seery e o embate de ex-participantes do TUF 19 Cathal Pendred e Mike King.

Moçada do MMA, os meus palpites zodiacais estão cada mais intensos e insanos. Minhas adivinhações diretamente da Constelação de Andrômeda não vão deixar vocês na mão, confiem no poder clarividente do Nostradamus do MMA e vocês serão felizes! Segurem essa macumba braba, porque ela está especial!

Anarriê!

UFC Fight NiGHT 46

CARD PRINCIPAL

Conor McGregor x Diego Brandão
Zak Cummings x Gunnar Nelson
Brad Pickett x Ian McCall
Norman Parke x Naoyuki Kotani

CARD PRELIMINAR

Ilir Latifi x Chris Dempsey
Phil Harris x Neil Seery
Cathal Pendred x Mike King
Tor Troeng x Trevor Smith
Cody Donovan x Nikita Krylov
Paddy Holohan x Josh Sampo

POSTADO POR: Cadu Bruno às 9:06
17 jul

Cerrone precisa nocautear duas vezes para vencer; brasileiros têm bom desempenho

Por Rodrigo Tannuri

O UFC Fight Night 45 foi de alto nível técnico e quem agradeceu o espetáculo foram os fãs de MMA. Realizado em Nova Jersey, na noite desta quarta-feira, o evento contou com 11 lutas e apenas duas delas terminaram por decisão. Com sete lutadores, o Brasil terminou com um saldo de cinco vitórias e duas derrotas. Os destaques foram Donald Cerrone, Edson Barboza, Rick Story e John Lineker.

No main-event, os leves Donald Cerrone e Jim Miller alternaram bons momentos. Lutando em casa, Miller teve uma boa postura no primeiro round, sendo levemente superior.

Cerrone venceu e faturou mais um bônus de performance da noite. Fotos: Divulgação / UFC

Cerrone venceu e faturou mais um bônus de performance da noite. Fotos: Divulgação / UFC

Contudo, bastou Cerrone entrar no combate para logo ele ser decidido. Em apenas cinco minutos, “Cowboy” nocauteou o adversário duas vezes e faturou mais um bônus de performance da noite. Na primeira vez, ele havia acertado um chute na linha de cintura, porém o árbitro Dan Miragliotta não viu e interpretou o lance como um golpe ilegal. Passada a polêmica, Cerrone continuou focado e mostrou porque é um striker temido. Ao perceber o incômodo de Miller em ser atingido na linha de cintura, “Cowboy” passou a alternar golpes nessa área e na cabeça do oponente. O fim de linha para Miller foi um chute na cabeça.

Com a quarta vitória seguida, Cerrone se aproxima de vez de lutar pelo cinturão dos leves. Antes, o americano já representava um grande risco aos demais atletas da divisão. Agora, estando mentalmente forte, ele passa a ser uma ameaça ainda mais real. Apesar da derrota, Miller também merece ser exaltado, até porque é bom e estava bem na luta, mas, ao ser nocauteado pela primeira vez na carreira, sua confiança pode ser abalada.

Edson Barboza conquistou a oitava vitória em 10 lutas no UFC

Edson Barboza conquistou a oitava vitória em 10 lutas no UFC

O leve Edson Barboza se recuperou de forma impressionante da derrota que havia sofrido e quem pagou o pato foi Evan Dunham. Todos esperavam um duelo equilibrado, mas o brasileiro mostrou sua superioridade na trocação e, com um chute na linha de cintura e uma sequência de socos, anotou a oitava vitória em 10 lutas no UFC. Barboza está evoluindo e se encontra bem perto de figurar no top-10 da categoria. Em sua volta ao UFC, o meio-médio Leonardo “Macarrão”, ex-TUF Brasil 1, era o grande azarão do evento e não conseguiu fazer frente a Rick Story. O americano fez o que quis no combate e finalizou aplicando um Katagatame.

Claudia Gadelha iniciou trajetória no UFC com vitória

Claudia Gadelha iniciou trajetória no UFC com vitória

Pelos moscas, John Lineker enfrentou Alptekin Ozkilic e o embate foi premiado como o melhor da noite. O brasileiro venceu mais uma por nocaute e se firma cada vez mais como um dos nomes mais perigosos da divisão. Com o feito, “Maõs de Pedra” passou a ser o maior nocauteador da história da categoria, possuindo quatro contra três de Joseph Benavidez e John Dodson. Na abertura do card principal, Lucas “Mineiro” voltou aos penas e fez isso ao seu estilo, ou seja, nocauteando. Tal desempenho lhe rendeu um dos bônus de performance da noite. Mesmo não sendo um dos atletas brasileiros mais populares, Lucas é novo, possui um estilo agressivo e, com a terceira vitória seguida, vai se firmando na organização.

Em sua 22ª aparição no UFC, o leve Gleison “Tibau” teve trabalho, mas conseguiu se impor e venceu o duro Pat Healy. Se por um lado o brasileiro é um operário da organização, aceitando qualquer desafio, o mesmo não se pode dizer do adversário que, ao perder a quarta luta seguida, deve ser cortado. O galo Hugo “Wolverine”, ex-TUF Brasil 1, sucumbiu ao jogo de Aljamain Sterling. Por falar nele, é bom os fãs prestarem atenção no americano, que tem apenas 24 anos e ainda não sabe o que é perder na carreira. Na luta que inaugurou o peso palha feminino, Claudia Gadelha iniciou muito bem sua trajetória no UFC, segue invicta e deu indícios de que, em breve, vai figurar entre as melhores da divisão.

Resultados do UFN 45:

CARD PRINCIPAL

Donald Cerrone derrotou Jim Miller por nocaute no 2º round
Edson Barboza derrotou Evan Dunham por nocaute técnico no 1º round
Rick Story derrotou Leonardo “Macarrão” por finalização no 2º round
Joe Proctor derrotou Justin Salas por nocaute técnico no 2º round
John Lineker derrotou Alptekin Özkılıç por nocaute técnico no 3º round
Lucas Martins derrotou Alex White por nocaute no 3º round

CARD PRELIMINAR

Gleison Tibau derrotou Pat Healy por decisão unânime
Leslie Smith derrotou Jessamyn Duke por nocaute técnico no 1º round
Aljamain Sterling derrotou Hugo “Wolverine” por nocaute técnico no 3º round
Yosdenis Cedeno derrotou Jerrod Sanders por nocaute técnico no 1º round
Cláudia Gadelha derrotou Tina Lähdemäki por decisão unânime

POSTADO POR: Cadu Bruno às 1:08
16 jul

‘Nostradamus do MMA’ adivinha os resultados do UFC Fight Night 45

Meus amigos proféticos do MMA! Mais uma vez uma semana abençoada de lutas! Nesta quarta-feira teremos o UFC Fight Night 45, direto de Atlantic City, nos EUA, com o combate principal entre Donald Cerrone e Jim Miller. Ainda, teremos uma presença maciça de brasileiros: sete deles estarão no octógono mais famoso do mundo.

Um aviso importante: acertei 5 de 10 lutas do UFC 175 e 7 de 11 combates do TUF 19 Finale. Seriam 11 no UFC 175, porém o confronto entre Stefan Struve e Matt Mitrione foi cancelado devido à problemas de saúde do gigante dinamarquês.

Na luta principal da noite, o cowboy Donakld Cerrone mede forças com o perigoso Jim Miller, em duelo válido pelos leves. Um combate super equilibrado, com dois grandes wrestlers e bons de porrada. Quem vence moçada?

Nostradamus do MMA

Na co-luta principal, o nosso Edson Barboza tem a responsabilidade de voltar ao caminho das vitórias quando enfrenta o perigoso e traiçoeiro Evan Dunham, um dos maiores amarrões da história do MMA. Solta aquele petardo abençoado Barboza!

Ainda, no card principal, mais lutas empolgantes. Participante da primeira edição do TUF Brasil, Leonardo Macarrão recebe mais uma chance no UFC ao encarar Rick Story, pelos meio-médios.Pelos leves, Joe Proctor e Justin Salas fazem grande duelo da categoria. O rapaz com mãos de pedra. John Lineker, mede forças com o turco Alptekin Ozkilic, pelos moscas e Lucas Mineiro enfrenta Alex White, pelos penas.

No card preliminar, destaques para os brasucas (os zagallinhos adoram!). Gleison Tibau faz um combate eletrizante contra o veterano Pat Healy, pelos leves. Hugo Wolverine encara Aljamain Sterling, parceiro de treinos de Chris Weidman, pelos galos, e a nossa Claudinha Gadelha estreia a nova categoria feminina do UFC, peso-palha, contra a finlandesa Tina Lahdemaki.

Meus amigos proféticos, minha reza foi braba e intensa para esse evento. Meu poder de adivinhação está acurado (procurem no Google para saber o que significa) e segurem essa macumba, pois ela está especial!

Munrá!

UFC Fight Night 45

CARD PRINCIPAL

Donald Cerrone x Jim Miller
Edson Barboza x Evan Dunham
Rick Story x Leonardo Macarrão
Joe Proctor x Justin Salas
John Lineker x Alptekin Ozkilic
Lucas Mineiro x Alex White

CARD PRELIMINAR

Gleison Tibau x Pat Healy
Jessamyn Duke x Leslie Smith
Aljamain Sterling x Hugo Wolverine
Yosdenis Cedeno x Jerrod Sanders
Cláudia Gadelha x Tina Lahdemaki

POSTADO POR: Cadu Bruno às 1:52
16 jul

UFN 45: brasileiros marcam presença em evento que tem tudo para ser empolgante

Por Rodrigo Tannuri

Com o fim da Copa do Mundo, o UFC pode, enfim, voltar a ter destaque nos noticiários. Não à toa, realizará dois eventos na mesma semana. O primeiro, UFN 45, acontecerá na quarta-feira (16/07), em Nova Jersey, e promete levantar o público. Nas duas principais lutas, os destaques são os leves. No entanto, o que chama atenção é a quantidade de atletas brasileiros presentes no evento. Ao todo, serão sete em 11 combates. O Canal Combate vai transmitir o UFN 45 a partir das 19:30.

Poster de Donald Cerrone x Jim Miller

Poster de Donald Cerrone x Jim Miller

Donald Cerrone e Jim Miller farão o main-event e essa é uma luta deveras interessante, muito bem casada e ambos merecem esse status por tudo que representam para os leves. Os dois são muito populares e seus feitos/bônus justificam tal escolha. Curiosamente, os adversários tinham passado por momentos delicados em suas carreiras e, agora, podemos dizer que deram a volta por cima. “Cowboy”, constantemente, vive sendo acusado de ser fraco mentalmente e, inclusive, revelou que, por pouco, não se aposentou. Por sua vez, Miller viveu um drama com o grave problema de seu sobrinho e chegou a ficar um tanto quanto esquecido.

No entanto, Cerrone emplacou três belas vitórias, sobre Evan Dunham, Adriano Martins e Edson Barboza, conquistou bônus em todas elas (finalização, nocaute e performance da noite) e, merecidamente, voltou a figurar entre os melhores da divisão. Já Miller não só superou Fabrício Morango e Yancy Medeiros, como os finalizou, bateu o recorde de maior número de vitórias por finalização nos leves e voltou a ser lembrado. Moral da história: essa luta foi confirmada em ótima hora. Os dois americanos são, inegavelmente, tops, porém costumam decepcionar em grandes lutas ou quando algo importante está em jogo. Chegou o momento de um deles mudar esse histórico.

A envergadura e trocação podem fazer a diferença a seu favor. O ponto forte de Miller é o Jiu-Jitsu. Contudo, “Cowboy” também é conhecido por ter um bom conhecimento nessa arte. Ele pode até não ser melhor do que o adversário no chão, mas pode evitar esse risco, já que também possui um Wrestling eficaz. Na trocação, Cerrone leva uma vantagem considerável, apesar de Miller não ser nenhum bobo em pé. Por possuir mais ferramentas, uma maior versatilidade, ser mais efetivo em pé e melhor condicionado, o favorito é Cerrone, mas ele tem que respeitar Miller, que é competitivo e também muito resistente e perigoso.

Edson Barboza no media day

Edson Barboza no media day

Mesmo vindo de derrotas, os leves Edson Barboza e Evan Dunham farão a segunda luta principal da noite e a expectativa é de que ela seja uma verdadeira batalha. Barboza é um striker nato e, aos poucos, vem melhorando seu jogo. Por outro lado, Dunham é um atleta mais experiente, completo e resistente. Essa pode ser a chave para o desfecho do duelo. Por mais que o brasileiro possua boas chances de nocautear, o oponente apresenta mais armas. O fato é que essa luta tem tudo para ser muito boa e deixará o vencedor bem perto do top-10 da categoria.

Após vencer cinco lutas seguidas, o meio-médio Leonardo “Macarrão”, ex-TUF Brasil 1, está de volta ao UFC e foi jogado aos leões logo de cara. Por ser completo e agressivo, o americano Rick Story é favoritaço. Por não ter tanta pressão, o brasileiro pode surpreender e tirar proveito da situação até porque tem qualidade, porém vencer não será tarefa das mais fáceis.

O mosca John Lineker esteve bem perto de lutar pelo cinturão dos moscas, mas, ao perder a última luta e ter constantes problemas com a balança, o UFC optou por afastá-lo. De volta, “Mãos de Pedra” sabe que terá que refazer todo o caminho para um dia encarar Demetrious Johnson e enxerga essa luta contra Alptekin Ozkilic como crucial. Em pé, Lineker é bem superior e tem tudo para nocautear, mas não pode bobear, porque o adversário é um grappler perigoso e todos sabem que essa área é o ponto fraco do brasileiro. Abrindo o card principal, o striker Lucas “Mineiro” vai em busca da terceira vitória seguida e seu único desejo é nocautear o invicto Alex White.

Gleison Tibau no Q&A

Gleison Tibau no Q&A

Em sua 22ª luta no UFC, o leve Gleison “Tibau” é mais um brasileiro que não terá vida fácil. Aliás, seu estilo é semelhante ao do adversário, Pat Healy. Ambos são resistentes e se baseiam no Wrestling. Apesar de vir de derrota, o momento do brasileiro é melhor e, se vencer, pode decretar a demissão do americano. O galo Hugo Wolverine, ex-TUF Brasil 1, terá uma verdadeira pedreira pelo caminho. O americano Aljamain Sterling é especialista em wrestler, está invicto, e, com certeza, essa é mais uma forte concorrente ao prêmio de luta da noite. Abrindo o evento, teremos a tão aguardada estreia da invicta Claudia Gadelha, no UFC. A princípio, o produto da Nova União terá um duro teste, mas suas habilidades podem facilitar o trabalho.

Confira o card do UFN 45:

CARD PRINCIPAL

Donald Cerrone x Jim Miller
Edson Barboza x Evan Dunham
Rick Story x Leonardo “Macarrão”
Justin Salas x Joe Proctor
John Lineker x Alptekin Ozkilic

CARD PRELIMINAR

Lucas “Mineiro” x Alex White
Gleison “Tibau” x Pat Healy
Jessamyn Duke x Leslie Smith
Hugo “Wolverine” x Aljamain Sterling
Yosdenis Cedeno x Jerrod Sanders
Claudia Gadelha x Tina Lahdemaki

POSTADO POR: Cadu Bruno às 12:23
9 jul

Pezão comemora oportunidade de disputar edição do UFC no Brasil: “Vai ser ótimo ter o apoio da torcida”

Sete meses após seu último combate contra Mark Hunt no UFC Fight Night 33, Antônio Pezão já sabe qual será seu próximo compromisso no UFC. Após agradar os organizadores com a grande batalha protagonizada na Austrália, em dezembro do ano passado, o peso-pesado terá a incumbência de fazer o main event do UFC Fight Night 51, marcado para o dia 13 de setembro, em Brasília (DF), contra o experiente Andrei Arlovski, que voltou recentemente a maior organização de MMA do mundo. O duelo marcará o reencontro entre dois dos maiores nomes da categoria no cenário internacional. Em maio de 2010, o brasileiro levou a melhor e venceu o bielorrusso por decisão unânime no Strikeforce, torneio extinto no começo de 2013.

O Gigante da Paraíba, como ficou conhecido por sua forte ligação com o estado nordestino, mostrou-se entusiasmado com chance de fazer seu primeiro combate profissional em solo brasileiro em sua cidade natal.

“Fiquei muito feliz com essa notícia, há muito tempo tinha o sonho de lutar no Brasil junto com a minha torcida, agora vou treinar muito e dar o meu melhor. Para mim foi uma escolha perfeita, todos sabem do meu amor pela Paraíba, onde fui criado, mas tenho um grande carinho por Brasília (DF), pois foi a cidade onde eu nasci e, para mim, vai ser excelente ter o apoio da torcida. Eu já gosto de lutar naquela pressão quando estou lutando sem favoritismo e fora de casa, imagina lutando com a torcida ao meu favor (risos). É uma grande oportunidade, tenho certeza que vai ser uma grande luta”, comentou.

Antônio Pezão encara Andrei Arlovski dia 13 de setembro em Brasília (Foto: Divulgação)

Antônio Pezão encara Andrei Arlovski dia 13 de setembro em Brasília (Foto: Divulgação)

Consciente de cada passo dado em sua carreira, o lutador, de 34 anos, segue em buscando uma constante evolução em seu jogo. Apesar de ter vencido o primeiro embate contra Arlovski em 2010, Pezão afirma que muitas coisas mudaram e ele, hoje em dia, se sente um atleta ainda mais completo do que na ocasião.

“Muitas coisas mudaram de lá para cá. Posso dizer que hoje sou um outro lutador. Procurei melhorar em muita coisas, corrigir alguns erros e aumentar a cada dia mais a qualidade dos meus treinos. Sei que o Arlovski é um grande lutador e será oponente difícil. Ele voltou recentemente ao UFC e vai querer vir muito melhor para essa luta”.

Dono de uma cartel com 18 vitórias, cinco derrotas e um empate, Antônio Pezão faz questão de transparecer que o tempo fora de ação serviu para deixá-lo com muita vontade de voltar a fazer o que mais gosta e dar um grande espetáculo para os torcedores brasileiros.

“Estou com fome de luta, com muita vontade de entrar no octógono. Vocês podem esperar um Pezão com muita vontade e buscando o tempo todo a vitória. Vou procurar fazer uma luta dura e agradar os fãs. Entro sempre para nocautear ou finalizar, dessa vez não será diferente. Respeito muito meu adversário, mas vou entrar focado em impor meu jogo e proporcionar um combate bonito para o público”, concluiu.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 3:42
8 jul

Claudinha Gadelha estreia no UFC em nova categoria criada pelo evento e diz: ‘se vencer, disputo o cinturão’

Por Leo Salles

Um dos maiores nomes do MMA feminino, Claudinha Gadelha fará sua estreia na maior organização do esporte no mundo, o UFC, contra a finlandesa Tina Lahdemaki, no UFC Fight Night 45, em Atlantic City, nos Estados Unidos, no dia 16 de julho. De acordo com a atleta, durante um evento fechado para imprensa na academia Nova União, no Flamengo, Zona Sul do Rio de Janeiro, ela pode ser a primeira disputar o cinturão contra a campeã da nova categoria peso-palha (até 52,2kg), que será conhecida na edição número 20 do TUF, exclusivamente feminino:

“Eu estou ranqueada como número dois da categoria e cheguei ter a chance de disputar o cinturão do Invicta. O que tenho escutado é que se eu vencer essa luta contra Tina Lahdemaki, eu terei o title shot contra a campeã do TUF”, disse Claudinha.

Inicialmente escalada para a histórica edição do TUF 20, ela deu palpites de como será a casa com 16 mulheres:

Claudinha Gadelha, ao lado de Thales Leites (de azul), Jussier Formiga e Walmir Bidu, que lutarão nas próximas edições do UFC (Foto: Leo Salles)

Claudinha Gadelha, ao lado de Thales Leites (de azul), Jussier Formiga e Walmir Bidu, que lutarão nas próximas edições do UFC (Foto: Leo Salles)

“Com certeza vai ter briga. São 16 mulheres, todas com TPM, sem chocolate, TV e internet. Além disso, as mulheres são bastante competitivas, e, com todo aquele estresse envolvido, certamente haverá confusão. Podem esperar que esse TUF será eletrizante”, falou a brasileira.

A peso-palha, invicta no MMA com 11 vitórias, saiu do programa por achar que não conseguiria bater o peso durante as seis semanas de gravações:

Claudinha Gadelha encara Tina Lahdemaki no UFC Fight Night 45 (Foto: Leo Salles)

Claudinha Gadelha encara Tina Lahdemaki no UFC Fight Night 45 (Foto: Leo Salles)

“Queria ter entrado na casa, por conta da visibildade e de patrocínios que conseguiria, mas não manteria meu peso durante o programa. Eu o bateria, mas durante seis semanas seria complicado para mim. Por outro lado, fico feliz de o UFC me dar de presente a luta de estreia da categoria peso-palha”, disse.

Claudinha não esquece de sua grande rival, a americana Carla Esparza, que está escalada para o TUF 20. Elas lutariam no Invicta, torneio exclusivo de MMA feminino, mas ela foi adiada por duas vezes e a brasileira espera que ela aconteça no UFC:

“Quero que essa luta (contra Carla Esparza) aconteça, que foi cancelada duas vezes. Na primeira eu quebrei o nariz. Na segunda tive uma infecção intestinal e parei no hospital. Falaram que eu não queria lutar, mas eu estava muito mal, saí de ambulância do hotel. Mesmo que ela não seja a campeã do TUF, espero que o UFC a case o quanto antes”, afirmou Claudinha.

Sobre a luta contra Tina Lahdemaki, a peso-palha contou como foi a preparação e o que espera da finlandesa:

“O camp foi muito bem feito, fizemos a estratégia para a luta contra a Tina, que vai se desenrolar no agarrado, com muito wrestling e jiu-jitsu. A Tina é do jiu-jitsu, não troca muito em pé, mas ela tem uma noção. Vou fazer o jogo que costumo fazer. Sou faixa-preta de jiu-jitsu da Nova União e a gente vem treinando para buscar a luta no chão, mas se tiver que trocar socos, vou trocar. Ela agarra bem, joga bem por cima e por baixo, mas estou muito bem treinada para fazer o que for preciso”, disse.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 12:42
8 jul

Agora contra White, Lucas Mineiro admite mudança de estratégia

A lesão de Jim Alers e a entrada de Alex White no card do UFC Fight NIght 45, dia 16 de julho, em Atlantic City, nos Estados Unidos, para enfrentar Lucas Mineiro, fizeram com que o brasileiro mudasse também sua preparação para a luta, válida pela categoria peso-pena (até 66,2kg). Mesmo assim, o atleta #IntegralTeam garante que o novo trabalho é apenas para fazer adaptações a White, que é canhoto, diferentemente de seu oponente original, trocado há pouco mais de uma semana.

“Mudou minha estratégia de treinamento, porque o Alex White é um cara canhoto”, conta. “Tive que mudar a postura nos treinamentos, porque enfrentaria um adversário destro, e começamos a treinar mais com o pessoal canhoto. Fiquei três meses treinando duro e teve essa mudança, mas que não vai me atrapalhar”, garante.

Lucas Mineiro agora enfrenta Alex White no UFC Fight Night 45, em 16 de julho (Foto: Divulgação)

Lucas Mineiro agora enfrenta Alex White no UFC Fight Night 45, em 16 de julho (Foto: Divulgação)

Oriundo do muay thai e um dos trocadores que mais se destacaram no ano de 2013 pelo UFC, Lucas Mineiro está treinando intensamente o jiu-jitsu, e acredita que com o novo rival terá menos dificuldades no chão. Isso porque no período em que o adversário era Alers, especialista em wrestling, os treinamentos da arte suave foram mais intensificados.

“O Alex White vem da trocação, não gosta da luta agarrada e isso é bom para mim. Sou um striker, como ele, mas tenho ótima noção de chão. Se deixar uma brecha vou derrubá-lo, mesmo gostando de trocar em pé. Vou jogá-lo para baixo. Com todo respeito ao White, mas o jiu-jitsu dele é fraco. Então tenho grandes chances de vencer por baixo também. Treinei muito defesa de queda, parede, estava treinando sair disso e botar para baixo”, analisa.

No peso ideal

Além da expectativa para entrar outra vez no octógono, algo que não faz desde setembro do ano passado, quando venceu Ramiro Hernandez, no UFC Fight Night 28, em Belo Horizonte, Lucas Mineiro está motivado para voltar a lutar na categoria que sente mais à vontade e mais forte: a peso-pena. Na ocasião de seu último confronto no Ultimate, o atleta #IntegralTeam atuou pelos galos (até 61,7kg), algo que, segundo ele, o deixou muito debilitado fisicamente.

“O que fiz para bater 61kg não foi de ser humano, não. Foram dois meses na salada e no frango, sem me alimentar, só com água quase. Faltando duas semanas para luta, não conseguia subir as escadas para treinar. Ficava só na sauna e perdendo mais peso. Não desejo para nenhum atleta ter que baixar a categoria sem nunca ter lutado nela. Voltei para a minha categoria de sempre, onde me sinto bem e forte”, admite, mostrando empolgação com a situação atual para bater o limite dos pesos penas.

“O que costumo passar para bater 61kg, faço de letra para chegar aos 66kg. Estou na dieta, nada de passar fome. Estou empolgado com isso. Vou chegar na reta final com 70kg, aí ficará fácil, sem me enfraquecer, bater o peso certinho”, finaliza.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:23