Arquivo do autor:Cadu Bruno

9 set

Léo Santos não vê grandes mudanças no camp após anúncio de Efrain Escudero como novo rival

A menos de três semanas para o UFC Fight Night 51, em Brasília (DF), que acontece neste sábado, dia 13 de setembro, Léo Santos teve seu adversário modificado. O peso-leve da Nova União, que antes encararia o polonês Lukasz Sajewski, estreante na organização, agora vai ter pela frente o campeão do The Ultime Fighter 8, Efrain Escudero. Apesar da mudança repentina, o vencedor do TUF Brasil 2 não lamenta as pequenas alterações que teve que fazer em seu camp, iniciado de forma intensiva em meados de agosto.

Segundo Léo, o pouco tempo até a luta impossibilitam mudanças muito drásticas. Escudero já lutaria em Brasília, contra Francisco Massaranduba, e acabou remanejado para enfrentar Léo Santos. “O tempo é muito curto, não dá para fazer grandes mudanças no camp ou no estilo de jogo. Já conheço como o Escudero luta. Fiz pequenas modificações em algumas áreas técnicas, mas nada de muito relevante. Mantive a vontade de entrar no octógono e sair com a vitória, como sempre penso”, comenta o tetracampeão mundial de jiu-jitsu na faixa-preta, que no MMA soma 12 vitórias e três derrotas no cartel.

Leo Santos enfrenta Efrain Escudero em Brasília (Foto: Divulgação)

Leo Santos enfrenta Efrain Escudero em Brasília (Foto: Divulgação)

A mudança de um adversário sem experiência para um lutador que chega para a terceira passagem no UFC também não intimida Léo. “Não posso escolher adversário. A vontade de vencer e de apresentar o meu melhor é sempre a mesma. Me sinto preparado para enfrentar qualquer um na categoria. Quero subir cada vez mais e mostrar todo meu valor, seja contra o Escudero, o Sajewski, ou qualquer outro”, decreta.

Confiante para lutar no peso ideal

Desde que conquistou o contrato com o Ultimate, Léo entrou no cage apenas uma vez, em Natal, contra Norman Parke, em março deste ano, e a luta terminou empatada. Na ocasião, o brasileiro, de 34 anos, passou por dificuldade para recuperar o peso depois da pesagem, o que foi prejudicial no combate.

“Estou me sentindo muito bem e mais forte com essa situação do peso. Realmente, não sei dizer o que aconteceu daquela vez, que no dia da luta não recuperava o peso. Fez bastante diferença. Senti o Parke bem mais forte, enquanto eu estava muito magro e seco. Me desgastei demais, mas para esse novo confronto tenho certeza que não terei problemas. Já me adaptei novamente”, garante.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 1:32
9 set

Charles do Bronx explica mal-estar que o tirou da luta com Nik Lentz e promete voltar mais forte

A tão aguardada segunda luta entre Charles do Bronx e Nik Lentz, que aconteceria na última sexta-feira, dia 5 de setembro, no UFC Fight Night 50, nos Estados Unidos, acabou não sendo realizada. O brasileiro foi retirado da luta por não se recuperar de uma virose que o afetou duas semanas antes do combate e o impediu de bater o peso limite de 66,1kg da categoria peso pena. Já de volta ao Brasil, o atleta explica como foram os momentos após a pesagem que resultaram no cancelamento da luta e já projeta a volta, contra o próprio Lentz, torcendo por bom senso da organização para compreender o acontecido.

Uma semana antes de viajar para a cidade de Ledyard, em Connecticut, nos Estados Unidos, onde o duelo aconteceria, Charles começou a sentir dores de cabeça muito fortes e febre, mas a princípio pensou se tratar apenas de uma gripe. Como os sintomas persistiram, ele procurou um médico, porque estava impossibilitado de treinar e fazer o corte de peso adequado. Mesmo sem evolução no estado de saúde, decidiu viajar e tentar se recuperar na semana da luta. No entanto, aconteceu justamente o contrário.

“Fui para os EUA sem estar 100%, com um pouco de febre e quando eu comecei a cortar peso a imunidade abaixou muito, me deixando muito mal. Quem está comigo sabe o quanto essa luta era importante para mim, o quanto eu estava treinando forte antes dessa virose chegar. Eu não ia desistir por nada. A semana antes da pesagem foi muito difícil pelo corte de peso em cima da hora, já que com essa gripe não pude cortar o peso no Brasil como sempre fiz. Como estava muito debilitado antes da pesagem, resolvemos parar a perda de peso e pagar o 20% da bolsa”, revela.

Charles do Bronx alegou mal-estar por não enfrentar Nik Lentz (Foto: Divulgação)

Charles do Bronx alegou mal-estar por não enfrentar Nik Lentz (Foto: Divulgação)

Após a pesagem, Charles do Bronx iniciou a recuperação de peso comum a todos os combates, através da aplicação de soro na veia, mas conta que continuou se sentindo muito mal ao longo da madrugada. Na manhã seguinte, o atleta resolveu praticar um exercício de manopla com um de seus treinadores, Jorge Patino Macaco, e voltou a se sentir mal, tendo que chamar os médicos do UFC, que então o retiraram do confronto.

“Na manhã da pesagem, fui tentar dar uma suadinha para ver o acontecia e tive muita tontura batendo manopla com o Macaco, ânsia de vomito, meu corpo aqueceu muito rápido e tive febre de novo. Chamamos os médicos do UFC e na mesma hora eles me proibiram de lutar. Só de olhar viram que eu estava realmente mal. Sei que vão falar que eu amarelei e tudo mais, mas deixo falar. Estou focado na minha recuperação”, garante.

O paulista já está de volta à cidade de Guarujá, em São Paulo, onde vive com sua família, e passará por uma bateria de exames a partir desta terça-feira, dia 9 de setembro, para saber ao certo o que aconteceu. Charles espera ainda a compreensão por partes da organização do UFC e garante voltar ainda mais forte para o duelo com Lentz ou qualquer outro adversário que lhe for imposto.

“Já voltei para casa e o afago da minha família é o que gente precisa nesse momento. Depois do resultado dos exames, vou sentar com meus treinadores e traçar uma estratégia para voltar o mais rápido possível. Fico esperando também algum contato do UFC para um próximo combate. Se for com o Lentz, será perfeito. Foi um acaso que me fez sair da luta, mas, se for outro oponente, estou preparado também para o que o UFC me der. Eu não estava 100% e tentei de tudo para lutar, mas infelizmente não foi possível, estava muito mal”, finaliza Do Bronx.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 1:28
8 set

Ericka Almeida conquista cinturão peso palha nos 11 anos do Jungle Fight

O Jungle Fight 73, realizado neste sábado, no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, mostrou o porquê do evento estar completando 11 anos de muito sucesso. Foram oito lutas emocionantes, com muita técnica e agressividade. A cereja do bolo ficou por conta de Ericka Almeida, que finalizou Maiara Alves com um mata-leão e sagrou-se a primeira campeã da categoria peso palha (52 kg) feminino da organização.

O combate foi muito disputado, principalmente na luta agarrada. Com uma excelente base de judô, Maiara Alves chegou a dar uma bela queda em Ericka Almeida no primeiro round, mas não conseguiu desenvolver seu jogo. Ericka Almeida, conhecida pelo seu jiu-jitsu, também tentava desenvolver seu jogo a todo instante, até conseguir, no segundo round, encaixar um mata-leão, que lhe rendeu o título.

“Estou muito honrada por poder inaugurar o cinturão da categoria no Jungle Fight. Minha vitória foi fruto de muito trabalho duro e, claro, do apoio da minha equipe, dos meus treinadores e de meus amigos”, agradeceu a grande campeã.

Ericka Almeida conquistou o cinturão peso-palha do Jungle Fight (Foto: Divulgação)

Ericka Almeida conquistou o cinturão peso-palha do Jungle Fight (Foto: Divulgação)

Gringos finalizam e duelos agitados empolgam o público

O mexicano José “Suavecito” segue fazendo suas vítimas no Jungle Fight. Agora foi a vez do duro René Soldado, que apagou após uma eficaz guilhotina aplicada por “Suavecito”, em uma luta toda desenvolvida no solo, com ambos mostrando um altíssimo nível técnico. Com a nova vitória na organização, o mexicano ganhou o direito de disputar o cinturão dos meio-médios, que pertence a Elizeu Capoeira.

Douglas “El Loco” levantou o público presente ao nocautear o brasileiro naturalizado equatoriano Fernando Soluço. Com pouco mais de um minuto de luta, ele aplicou uma sequência de socos, que derrubou o oponente a ponto do árbitro encerrar a peleja.

Argentino, Martin “La Maquina” calou o ginásio do Ibirapuera. Oriundo do jiu-jitsu, ele encaixou um leg-lock no brasileiro Charles Leites, que até tentou resistir, mas acabou sucumbindo à pressão da posição e bateu, para a euforia do “hermano”.

Matheus “Adamas” começou o combate contra Allan Miguel a mil por hora, com socos e chutes potentes. Mas seu adversário vendeu caro a derrota. Foram necessários, pelo menos, quatro knockdowns para o pupilo de Rodrigo Minotauro, que estava em seu corner, definir o combate e dar sequência a seu cartel invicto.

Valdines Silva deixou uma boa impressão em sua estreia no MMA. Logo no início de sua luta contra Allan “Popey”, ele ficou acuado na grade recebendo uma chuva de socos. Duro, ele resistiu, e na primeira oportunidade que teve, levou o combate para o chão, onde pode apresentar a sua principal arma: o jiu-jitsu. Com técnica, ele montou, esperou o adversário dar as costas e encaixou um justo mata-leão, inapelável.

Paulinho Capoeira e Diego Paiva proporcionaram três rounds de muita agressividade e técnica. Desde o primeiro minuto de luta os dois mostraram seus arsenais de golpes. Do lado de Capoeira, destaque para sua série golpes limpos que entraram em cheio em Diego Paiva, que, guerreiro, se destacou pela incrível absorção de golpes, mostrando um queixo muito duro. No final, vitória de Capoeira por decisão unânime.

Bruno Lopi e Gregory “Robocop” abriram com chave de ouro o evento. Com menos de um minuto de luta, um knockdown para cada lado. O duelo foi decidido logo em seguida, quando Lopi acertou um soco em cheio em “Robocop”, que desta vez não conseguiu absorver, e acabou nocauteado.

Jungle Fight 73

Ericka Almeida finalizou Maiara Alves com um mata-leão a 1:56 do R2;

José “Suavecito” Diaz finalizou Rene Soldado com uma guilhotina aos 4:58 do R;

Douglas “El Loco” Bertazini venceu Fernando Soluço por nocaute técnico a 1:31 do R1;

Martin Ottaviano “La Maquina” finalizou Charles Leites com um leg-lock a 1:18 do R1;

Matheus “Adamas” Mattos venceu Allan Miguel por nocaute técnico aos 2:02 do R2;

Valdines Silva finalizou Allan “Popey” com um mata-leão aos 3:05 do R1;

Paulinho Oliveira “Capoeira” venceu Diego Paiva por decisão unânime;

Bruno Lopi venceu Gregory “Robocop” Rodrigues por nocaute técnico aos 1:05 do R1.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:41
6 set

Bellator 123: Pitbull dá o troco em Curran e se torna campeão dos penas

Por Rodrigo Tannuri

Em plena sexta-feira (05/09), o Bellator 123 concorreu com o UFN 50 e não deixou a desejar. Para bater de frente com o rival, a organização optou por escalar diversos nomes populares e, ao que tudo indica, acertou na escolha. O show teve um bom nível, lutas interessantes e nos apresentou um novo e merecido campeão.

Na luta principal, parece que Pat Curran estava adivinhando o que estava por vir. Ao longo da semana, o americano nomeou Patrício Freire como um grande obstáculo. Dito e feito. Com sede de vingança, já que havia sido derrotado por decisão dividida no primeiro encontro, “Pitbull” mostrou a rotineira valentia. Contudo, dessa vez, o brasileiro teve melhor sorte, vencendo o rival por decisão unânime. Um resultado justo, que coroa mais um brasileiro como campeão do Bellator. O futuro de “Pitbull” é até fácil de se prever. Seu próximo oponente tem tudo para ser Daniel Straus, em mais uma revanche, e, em breve, a trilogia entre ele e Curran já deve estar sendo cogitada pela organização e o Twitter pode consolidá-la, até porque ambos já trocaram ofensas pela rede.

No co-main event, deu o óbvio. O meio-pesado Muhammed Lawal nocauteou Dustin Jacoby, está consolidado como um dos tops da categoria e fará de tudo para acertar as contas com seus inimigos, Quinton Jackson e Emanuel Newton. Pelos pesados, em luta de ex-atletas do UFC, Cheink Kongo surpreendeu ao finalizar Lavar Johnson. Ambos não têm o Jiu-Jitsu como ponto forte, mas, por ser mais experiente no MMA e também por Lavar não ter a menor noção de chão, o francês continua sonhando com o cinturão.

Quem surpreendeu de forma brilhante foi Tamdan McCrory. O médio precisou de apenas 21 segundos para nocautear seu oponente. Outra menção honrosa deve ser feita a Bobby Lashley. Em sua estreia no Bellator, o pesado, de 38 anos, finalizou mais um e pode ser uma contratação interessante.

Resultador do Bellator 123:

CARD PRINCIPAL
Patrício Freire derrotou Pat Curran por decisão unânime
Muhammed Lawal derrotou Dustin Jacoby por nocaute técnico no 2º round
Tamdan McCrory derrotou Brennan Ward por nocaute no 1º round
Bobby Lashley derrotou Josh Burns por finalização no 2º round
Cheick Kongo derrotou Lavar Johnson por finalização no 1º round

CARD PRELIMINAR

Dan Cramer derrotou Perry Filkins por decisão unânime
Scott Cleve derrotou Matt Bessette por decisão unânime
Josh Diekmann derrotou Mike Wessel por nocaute no 1º round
Steve Garcia derrotou Kin Moy por decisão dividida
Rico Disciullo derrotou Marvin Maldonado por decisão unânime

POSTADO POR: Cadu Bruno às 4:38
6 set

Em noite perfeita, Ronaldo Jacaré finaliza Gegard Mousasi no UFN 50 e se credencia ao cinturão dos médios

Por Leo Salles

Perfeito técnica e estrategicamente, Ronaldo Jacaré não deu chances ao perigoso holandês Gegard Mousasi e finalizou o adversário no terceiro round na luta principal do UFC Fight Night 50, em Mashantucket, no estado de Connecticut, nos Estados Unidos, na noite desta sexta-feira. Agora, o brasileiro se credencia a ser o próximo desafiante do cinturão dos médios, que pertence a Chris Weidman, que vai enfrentar Vitor Belfort no dia seis de dezembro.

No primeiro round, Jacaré pôs seu plano de jogo em prática: partiu para o clinch e conseguiu quedar Mousasi após trocar golpes por alguns minutos pacientemente e dominou os cinco minutos. No seugndo round, o brasileiro foi mais dominante e eficiente nos golpes e no ground and pound, tentando por algumas vezes a finalização em cima do holandês. Jacaré permaneceu na pressão, na tentativa de queda no terceiro round e sufocou Mousasi, inclusive na trocação. Quando levou novamente o holandês para chão, foi paciente e conseguiu encaixar uma guilhotina após o holandês tentar escapar do chão usando a grade. Uma grande vitória do brasileiro, que agora provavelmente terá o title shot do médios.

Ronaldo Jacaré finalizaou Gegard Mousasi na luta principal do UFC Fight Night 50 (Foto: Divulgação)

Ronaldo Jacaré finalizaou Gegard Mousasi na luta principal do UFC Fight Night 50 (Foto: Divulgação)

Na co-luta principal, em batalha de pesados, Alistair Overeem mais uma vez entrou como favorito, começou desferindo golpes contundentes, porém na primeira pancada que levou, sucumbiu e foi nocauteado por Ben Rothwell. O holandês aplicou jabs, uppercuts e pisões no joelho de Rothwell, que pouco pareceu sentir os golpes. No primeiro cruzado do americano, “The Reem” sentiu o poder do americano, que deu mais confiança a Rothwell, que acertou um overhand de direita em Overeem, e seguiu com golpes no holandês até ser interrompido pelo árbitro.

Matt Mitrione foi rápido no gatilho e derrotou Derrick Lewis em poucos segundos de luta, após um gancho de direita no queixo do adversário. Lewis já caiu praticamente desacordado e Mitrione só parou de bater após interrupção do árbitro brasileiro Mário Yamasaki. Abrindo o card principal, Joe Lauzon derrotou Michael Chiesa após interrupção médica, devido a um corte profundo no rosto de Chiesa após uma joelhada de Lauzon no segundo round. Até então, o combate foi bastante movimentado e ambos protagonizaram um grande espetáculo, principalmente no primeiro round.

Rodrigo Damm é nocauteado; Rafael Sapo vence luta equilibrada

Rafael Sapo venceu por decisão dividida o americano Chris Camozzi (Foto: Divulgação)

Rafael Sapo venceu por decisão dividida o americano Chris Camozzi (Foto: Divulgação)

No card preliminar, dois brasileiros estiveram ação. Rodrigo Damm não foi páreo para Al Iaquinta. Damm começou querendo confundir o adversário trocando bases e acertando alguns golpes, porém Iaquinta ganhou ritmo durante o round e foi mais eficiente. Assim como nos outros dois rounds, Iaquinta terminou o combate com uma sequência de golpes do em cima do brasileiro, vencendo por nocaute técnico. Damm agora corre risco de corte no evento.

Entrando no octógono com o hino brasileiro no áudio da arena, Rafael Sapo derrotou Chris Camozzi por decisão dividida. Os três rounds disputados foram bastante parecidos, com os dois lutadores preferindo a trocação. Porém, o brasileiro conseguiu pelo menos dois takedowns durante o combate que ajudaram no resultado. Agora, Sapo sai de uma sequência ruim de duas derrotas consecutivas.

Resultados do UFC Fight Night 50:

CARD PRINCIPAL

Ronaldo Jacaré venceu Gegard Mousasi por finalização no terceiro round
Ben Rothwell venceu Alistair Overeem por nocaute técnico no primeiro round
Matt Mitrione venceu Derrick Lewis por nocaute no primeiro round
Joe Lauzon venceu Michael Chiesa por nocaute técnico (interrupção médica) no segundo round

CARD PRELIMINAR

John Moraga venceu Justin Scoggins por finalização no segundo round
Al Iaquinta venceu Rodrigo Damm por nocaute técnico no terceiro round
Rafael Sapo venceu Chris Camozzi por decisão dividida
Chris Beal venceu Tateki Matsuda por decisão unânime dos juízes
Chas Skelly venceu Sean Soriano por decisão unânime dos juízes

POSTADO POR: Cadu Bruno às 1:30
5 set

‘Nostradamus do MMA’ adivinha os vencedores do UFC Fight Night 50

Meus amigos proféticos do MMA! Sexta-feira o bicho vai pegar com mais um UFC Fight Night, agora em Connecticut, com grandes combates de tirar o fôlego! Ronaldo Jacaré enfrenta Gegard Mousasi na esperada revanche pelos médios na luta principal do evento, além de Alistair Overeem contra Bem Rothwell, pelos pesados.

Antes, uma aviso importante: devido às bizarrices que aconteceram no UFC 177, ainda consegui acertar 4 de 7 lutas. Nosso Barão apagou antes da pesagem, um novo combate pelo cinturão foi posto e duas lutas canceladas: esses foram os motivos da mexida nas adivinhações astrológicas.

Na luta principal do UFC Fight Night 50, Ronaldo Jacaré tem a oportunidade de se vingar da derrota para Gegard Mousasi há seis anos e de quebra garantir o próximo title shot da categoria. Bom de porrada e excelente no chão, Jacaré terá um duro adversário, experiente, exímio striker e bom no ground and pound. Quem leva, moçada?

Nostradamus do MMA

Na co-luta principal, Alistair Overeem, o gigante holandês, mede forças com o americano Bem Rothwell, pelos pesados. A porradaria vai comer solta nesse combate! Ainda, no card principal, Matt Mitrione encara Derrick Lewis, também pelos pesados. Joe Lauzon e Michael Chiesa fazem grande confronto dos leves, candidata a luta da noite. Pelos penas, o nosso mano Charles Do Bronx vai para cima do americano Nik Lentz pela segunda vez, já que Do Bronx perdeu a primeira de maneira controversa. E John Moraga enfrenta Justin Scoggins, pelos moscas.

No card preliminar, destaques para os brasileiros que estatão em ação. Rodrigo Damm encara o perigoso Al Iaquinta, pelos leves, e Rafael “Sapo” Natal mede forças com Chris Camozzi, pelos médios.

Moçada do MMA, meus pensamentos do além estão intensos. Minha concentração para este evento foi infalível, segurem essa macumba da Estrela de Andrrômeda, pois ela está especial.

Anarriê!

UFC Fight Night 50, em Connecticut

CARD PRINCIPAL

Ronaldo Jacaré x Gegard Mousasi
Alistair Overeem x Ben Rothwell
Matt Mitrione x Derrick Lewis
Joe Lauzon x Michael Chiesa
Nik Lentz x Charles do Bronx
John Moraga x Justin Scoggins

CARD PRELIMINAR

Al Iaquinta x Rodrigo Damm
Rafael Sapo x Chris Camozzi
Chris Beal x Tateki Matsuda
Sean Soriano x Chas Skelly

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:28
5 set

UFC Fight Night 50: a uma luta do cinturão, Ronaldo Jacaré enfrenta Gegard Mousasi em esperada revanche

Por Leo Salles

Após um quase fiasco na edição 177 no sábado passado, o UFC volta nesta sexta-feira, em Connecticut, com o UFC Fight Night 50, em um card recheado de boas lutas e nomes de respeito. Na luta principal, Ronaldo Jacaré vai buscar a revanche contra o holandês Gegard Mousasi, em duelo pelos médios. Se vencer, o brasileiro praticamente assegurará seu title shot. Além de Jacaré, mais três brasileiros estarão em ação: Charles do Bronx, Rodrigo Damm e Rafael Sapo. O Canal Combate transmite o UFC Fight Night 50 à partir das 20h (de Brasília).

Ronaldo Jacaré e Gegard Mousasi se enfrentaram uma vez, no extinto Dream, em 2008, com vitória por nocaute para o holandês após uma pedalada. Sabendo dos danos que Mousasi pode causar, Jacaré se utilizará do seu jiu-jitsu, que é sua grande especialidade e trabalhar o clinch para conseguir a queda. Já Mousasi deve procurar o jogo em pé e utilizar toda sua excelência no boxe e no muay thai. Um combate que será bastante equilibrado e de difícil prognóstico de quem vence a luta. E quem vencer, dará um passo enorme para ser o próximo desafiante dos médios.

Ronaldo Jacaré e Gegard Mousasi fazem o duelo principal do UFC Fight Night 50 (Foto: Divulgação)

Ronaldo Jacaré e Gegard Mousasi fazem o duelo principal do UFC Fight Night 50 (Foto: Divulgação)

Na co-luta principal, Alistair Overeem, mais magro, encara Bem Rothwell, em batalha pelos pesados. Overeem participou de três combates nas evzes que esteve no octógono do UFC (sendo duas surras para Antônio Pezão e Travis Browne e uma vitória sem emoções contra Frank Mir. Com um físico menos avantajado, o holandês busca mais agilidade e maior pdoer de nocaute para derrotar o também gigante Rothwell, que possui uma das mãos mais pesados do evento. Um combate que provavelmente não acabará nas mãoes dos jurados.

Ainda, no card principal, os pesados Matt Mitrione e Derrick Lewis fazem outro grande confronto da categoria. Lewis vem em boa sequência, enquanto Mitrione alterna vitórias e derrotas. Nos leves, Joe Lauzon, que não vive bom momento na carreira, mede forças com o campeão do TUF 15, Michael Chiesa. Nos penas, Charles Do Bronx quer continuar no caminho das vitórias ao encarar novamente o americano Nik Lentz. No primeiro embate entre eles, não houve resultado. E John Moraga, ex-desafiante do cinturão dos moscas, encara o compatriota Justin Scoggins.

No card preliminar, dois brasileiros estarão em ação. Rodrigo Damm enfrenta o perigoso Al Iaquinta, companheiro de treinos do campeão dos médios, Chris Weidman, em duelo válido pelos leves. E Rafael Sapo quer se recuperar das derrotas ao encarar o americano Chris Camozzi, que também está na corda bamba, pelos médios.

Confira o card do UFC Fight Night 50:

CARD PRINCIPAL

Ronaldo Jacaré x Gegard Mousasi
Alistair Overeem x Ben Rothwell
Matt Mitrione x Derrick Lewis
Joe Lauzon x Michael Chiesa
Nik Lentz x Charles do Bronx
John Moraga x Justin Scoggins

CARD PRELIMINAR

Al Iaquinta x Rodrigo Damm
Rafael Sapo x Chris Camozzi
Chris Beal x Tateki Matsuda
Sean Soriano x Chas Skelly

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:26
4 set

Em busca de reabilitação, Rafael Feijão aposta em duelo franco contra Ovince St. Preux

Anunciado pelo UFC na última semana, o duelo entre Rafael Feijão e Ovince St. Preux promete ser um dos melhores do ano. Os lutadores, que estão no top 15 da divisão dos meio-pesados (93kg), se enfrentam no dia 8 de novembro no UFC Fight Night 56, cotado para ser disputado na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais. Ambos vêm em busca de recuperação, já que foram derrotados pelo mesmo adversário, Ryan Bader. Em junho deste ano, Feijão acabou sendo superado por pontos pelo norte-americano, mesmo destino de St. Preux no último mês de agosto.

Empolgado com o desafio, Rafael revelou que há muitos anos vem acompanhando as performances de seu oponente e apostou em um duelo de tirar o fôlego. Antes de ingressarem no UFC, os atletas foram contemporâneos no Strikeforce, extinto evento no qual Feijão foi detentor do cinturão dos meio-pesados e onde Ovince St. Preux conquistou a marca de seis vitórias e apenas uma derrota.

“O Ovince é lutador muito duro e agressivo. Possui um estilo muito parecido com o meu. Já acompanho as lutas dele desde o Strikeforce. Em seu último combate, assim como eu, acabou caindo no jogo Bader, que gosta de controlar a luta e não se expor. Mas isso já é passado. Pelo nosso estilo de luta, tenho certeza que vamos protagonizar um grande espetáculo e que vai levantar a galera”, disse Rafael Feijão.

Rafael Feijão encara Ovince St.Preux, no UFC Fight Night 56 (Foto: Divulgação)

Rafael Feijão encara Ovince St.Preux, no UFC Fight Night 56 (Foto: Divulgação)

Reconhecido por sua grande explosão muscular e por partir para cima de seus oponentes, o paulista, radicado em Cuiabá (MT), lamentou a má apresentação em sua última aparição no octógono, e revelou mudanças em sua preparação em busca de ascensão na categoria.

“Infelizmente, no meu último combate não consegui me encontrar no octógono e mostrar todo o meu potencial. Mas refleti muito sobre tudo o que aconteceu, sentei com os meus treinadores e analisamos todos os erros que foram cometidos. Mudei bastante coisa nos meus treinamentos para conseguir explorar a minha maior qualidade, que é a agressividade. Em novembro, vocês podem ter certeza que vou me apresentar muito melhor, me movimentando mais, ditando o ritmo da luta e sendo agressivo”, afirmou.

Das 12 vitórias obtidas por Feijão na carreira, 11 são foram por nocaute, fato que enche de confiança o atleta do Team Nogueira, apesar das grandes qualidades de seu adversário na luta em pé.

“Torço muito para que o Ovince venha trocar comigo, sempre que peguei lutadores que vieram para trocação, graças a Deus, tive êxito e consegui nocautear. Apesar do estilo dele pouco ortodoxo, acredito que ele não conseguirá me surpreender. Tenho parceiros de treino que fazem o mesmo tipo de jogo, trocando de base, jogando de canhoto, então vai ser algo normal para mim. Ele no chão também faz algumas coisas diferentes, mas confio muito no meu jiu-jitsu. Vou entrar muito focado, e vou chegar melhor do que ele, tanto no chão quanto em pé”, concluiu.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:24