Arquivo do autor:Cadu Bruno

12 nov

Podcast MMA na Rede #2: Vexame de Shogun e Werdum favorito no UFC 180

O segundo podcast do MMA na Rede está no ar! Eu, Cadu Bruno, estive acompanhado dos jornalistas e colaboradores do blog Leo Salles, Rodrigo Tannuri e Marcel Tardin para discutir a derrota de Maurício Shogun no UFC em Uberlândia. Conversamos também sobre a boa vitória de Luke Rockhold sobre Michael Bisping, além de lançar palpites para a disputa de cinturão interino deste sábado entre Fabrício Werdum e Mark Hunt, no UFC 180.

Use a caixa de comentários para dúvidas, críticas e sugestões. Contamos com a participação de todos!

Para fazer o download clique na seta apontada para baixo (no alto à direita).

POSTADO POR: Cadu Bruno às 7:09
9 nov

Ovince St. Preux atropela Shogun em 34 segundos

Por Rodrigo Tannuri

Se na noite anterior o UFN 55, realizado na Austrália, brindou os fãs de MMA com excelentes combates e diversos nocautes e finalizações, o UFN 56, de Uberlândia, neste sábado, foi justamente o oposto. Com lutadores e juízes deixando a desejar, dá para cravar que apenas três atletas saíram da mediocridade e se destacaram. Para piorar, uma lenda do MMA brasileiro e mundial deu mais um passo rumo ao ostracismo.

OSP vibra após nocautear Shogun

OSP vibra após nocautear Shogun

O main event mal começou e terminou em um piscar de olhos. O lendário Maurício “Shogun”, ex-campeão do Pride e UFC, sabia que a luta contra Ovince St. Preux era decisiva em sua carreira. O brasileiro não vinha bem e, uma derrota, abalaria seu histórico na organização. Dito e feito. Foi exatamente isso que aconteceu. Para piorar, OSP precisou de apenas 34 segundos para nocautear o outrora temido striker com queixo de concreto. Não deu nem tempo do americano fazer uso de sua conhecida envergadura e mostrar a aptidão física. Ao atacar, Rua foi atingido de raspão, sofreu um knockdown e foi liquidado no ground and pound.

Ninguém acreditava no que estava vendo, mas, é verdade, “Shogun” caiu, mais uma vez, e, dificilmente, dará a volta por cima depois dessa. O semblante do mesmo estava completamente arrasado, como quem se pergunta “o que é que eu faço?”. Por incrível que pareça, o curitibano será um dos treinadores do TUF Brasil 4, e, por sorte, o outro será Anderson Silva, nome que irá atrair o público. Infelizmente, “Shogun” já teve seu tempo e, contra essa nova geração, não dá mais para ele. Quem o viu no auge, viu. Pronto, acabou. OSP, que não tem nada a ver com isso, deve aproveitar ao máximo essa vitória maiúscula.

O atleta, que faturou um dos bônus de performance da noite, aproveitou para desafiar Fábio Maldonado, Anthony Perosh e, sinceramente, ganha de ambos. Numa categoria que carece de talento, é sempre bom ver uma cara nova tendo destaque.

O co-main event seria a importante luta entre os moscas Ian McCall e John Lineker, que poderia dar ao vencedor a chance de lutar pelo cinturão. No entanto, o americano teve uma infecção viral e, consequentemente, o combate foi cancelado.

A aguardada luta entre os meio-médios Warlley Alves e Alan Jouban confirmou a expectativa, ou seja, foi uma batalha. Após um primeiro round avassalador do vencedor do TUF Brasil 3, o americano aguentou a pressão, foi gostando da luta e por pouco não venceu o duelo. Para muitos, o Cristiano Ronaldo do MMA, mostrando condicionamento e garra, foi garfado no Brasil. Apesar da vitória, o brasileiro quase colocou tudo a perder por não saber dosar a energia. O que adianta ir com tudo para liquidar a fatura logo no início, se dá para fazer isso em 15 longos minutos? Falta inteligência e sobra transpiração.

Warlley comemora a polêmica vitória

Warlley comemora a polêmica vitória

O meio-médio Cláudio “Hannibal” saiu vitorioso de um combate bastante duro e polêmico contra o estreante Leon Edwards. Inclusive, muitos deram a vitória para o inglês. Ambos alternaram bons momentos, porém, mais uma vez, o fato de lutar em casa fez a diferença a favor do brasileiro. Mesmo vencendo, “Hannibal” deixou a desejar no condicionamento físico. A situação estava tão perigosa, que fez o brasileiro fugir do embate em determinados momentos.

Finalista do TUF 19, o meio-médio Dhiego Lima confirmou o favoritismo e venceu Jorge “Blade” de forma tranquila, porém sem brilho. O brasileiro deveria se espelhar no irmão, Douglas, que é empolgante, campeão dos meio-médios e um dos maiores nomes do Bellator. Estreando, “Blade” até que foi guerreiro, mas poderia ter dificuldado mais.

Na abertura do card principal, a luta entre as mulheres deixou a desejar. Truncada, boa parte do público vaiou. No final das contas, a mineira Juliana Lima, a Ju “Thai”, venceu a primeira no UFC, mas ficou claro que ela dificilmente terá sucesso no peso palha feminino e olha que essa categoria foi recém criada.

‘Monstro’ e ‘Thominhas’ impressionam no card preliminar

Caio “Monstro está fazendo jus ao apelido. Para quem não sabe, o cearense, de 26 anos, é especialista em Jiu-Jitsu, mas, treinando com Glover Teixeira e Junior “Cigano”, ele está desenvolvendo uma paixão pela trocação. Se no último confronto ele precisou de apenas 44 segundos, agora, foram necessários incríveis 31. Alguns golpes acertaram a nuca de Trevor Smith, mas isso não diminui o brilho da vitória. Com o quarto triunfo seguido e mostrando cada vez mais confiança, o brasileiro deve, em breve, enfrentar um adversário de renome. Olho nele! O americano até que é um lutador durão, mas deu para ver que o mesmo não está se dando bem contra brasileiros, já que também foi nocauteado por Thales Leites em 45 segundos.

Caio "Monstro" massacra Trevor Smith

Caio “Monstro” massacra Trevor Smith

O galo Thomas Almeida, de apenas 23 anos, nem parecia estreante. Se comportando como um veterano, “Thominhas” mostrou agressividade, controle do octógono e venceu de forma tranquila, na decisão. Essa foi a primeira vez que o paulista não encerrou uma luta, o que comprova que os atletas do UFC estão mesmo em outro nível. Invicto, com 17 vitórias, o talentoso brasileiro mostrou o que todos já sabiam: é apenas uma questão de tempo para figurar na elite da divisão.

"Thominhas" se destaca na estreia

“Thominhas” se destaca na estreia

Parecia que o leve Leandro “Buscapé” seria amarrado por Charlie Brenneman, mas o brasileiro se recuperou, finalizou o oponente com muita destreza e ganhou um dos bônus de performance da noite. “Buscapé” pode não figurar entre os tops, mas pode ser um dos operários do UFC. Esse cargo não é demérito algum e sim algo importante. Com mais uma derrota, a terceira seguida em sua segunda passagem pelo UFC, o americano deve ser demitido e, sinceramente, não fará falta alguma.

“Wagnão” Silva resolveu descer dos médios para os meio-médios e se deu mal. A exemplo de sua estreia no UFC, foi finalizado e deve ser cortado. O ex-participante do TUF Brasil 3, mesmo atuando em casa, foi totalmente dominado por Colby Covington, que segue invicto e, no futuro, pode vir a ser alguém na divisão.

Muitos fãs pedem para que o UFC case algumas lutas entre estrangeiros, no Brasil, porém quase nunca a organização faz isso. Por essa razão é que não dá para entender o motivo da luta entre os penas Diego Rivas e Rodolfo Rubio ser disputada no país. Ninguém estava interessado nela, já que ambos são totalmente desconhecidos, e, sabidamente, ela foi a pior do evento. Outro erro foi tê-la escolhido para fechar o card preliminar, quando deveria ter sido a de abertura do evento. Enfim, esse foi um momento totalmente dispensável, que combinou com a má noite de lutas.

Resultados do UFC Fight Night 56, em Uberlândia:

CARD PRINCIPAL

Ovince St. Preux derrotou Maurício “Shogun” por nocaute técnico no 1º round
Ian McCall x John Lineker (cancelada)
Warlley Alves derrotou Alan Jouban por decisão unânime
Cláudio “Hannibal” derrotou Leon Edwards por decisão dividida
Dhiego Lima derrotou Jorge “Blade” por decisão unânime
Juliana Lima derrotou Nina Ansaroff por decisão unânime

CARD PRELIMINAR

Diego Rivas derrotou Rodolfo Rubio por decião unânime
Caio “Monstro” derrotou Trevor Smith por nocaute no 1º round
Leandro “Buscapé” derrotou Charlie Brenneman por finalização no 1º round
Thomas Almeida derrotou Tim Gorman por decisão unânime
Colby Covington derrotou “Wagnão” Silva por finalização no 3º round

POSTADO POR: Cadu Bruno às 1:27
8 nov

Rockhold finaliza Bisping e entra na briga pelo cinturão dos médios

Por Leo Salles

A verborragia entre Luke Rockhold e Michael Bisping foi o grande chamariz para os fãs de MMA assistirem o UFC Fight Night 55, que aconteceu na madrugada desta sexta-feira em Sydney, na Austrália. Além de o americano ter vencido por nocaute técnico o britânico, muitos não contavam que os coadjuvantes, muitos deles pouco conhecidos do público e sem expressão, mostrassem tamanha qualidade técnica e aptidão para belos nocautes e finalizações. Todos os combates terminaram ou por nocaute ou finalização, algo raríssimo de acontecer em eventos de MMA. E certamente foi um dos melhores do ano.

Luke Rockhold e Michael Bisping falaram muito durante a semana e finalmente resolveram o problema entre eles. Rockhold, franco favorito, pareceu um pouco disperso no primeiro round. Porém, aparentou mais deixar Bisping lutar e fazer alguma graça, além de deixá-lo demonstrar sua limitação que se resumiu a apenas combinações de muay thai e nada mais. No segundo round, o americano resolveu acelerar o combate e encerrar de vez as pretensões de Bisping e acertou um chute de esquerda no dorso do britânico, que sentiu o golpe, sucumbiu e ficou exposto para sofrer uma finalização, uma bela guilhotina de Rockhold.

Vitória que o coloca novamente na mira do title shot dos médios, porém o mais provável é que faça uma luta antes do disputa de cinturão. Já que Chris Weidman e Vitor Belfort se enfrentam apenas em fevereiro do próximo ano, um combate entre Rockhold e Ronaldo Jacaré, a revanche, seria uma boa pedida. Ainda mais que o próprio Rockhold pediu a luta ainda na entrevista dentro do octógono, afirmando que vencerá o brasileiro.

Na co-luta principal, Al Iaquinta surpreendeu Ross Pearson e levou a vitória para casa, mostrando uma melhora significativa na trocação. No primeiro round, Pearson manteve o controle do octógono pelos cinco minutos e golpeou melhor, na cabeça e na cintura de Iaquinta, que procurou se defender mais e estudar o estilo do adversário. Já no segundo, a história mudou para o americano. Bem mais confiante, Iaquinta acertou mais golpes na cabeça e conseguiu um knockdown que lhe deu ímpeto para caçar Pearson no octógono. Conseguiu um nocaute técnico, com muita perseverança. Um tipo de combate que mostra a força dos leves, a categoria com mais candidatos potenciais a disputarem o cinturão.

Com boas lutas no card preliminar, brasileiros não vão bem

O card preliminar foi recheado de bons combates, com nocautes bonitos e algumas reviravoltas. Um card com grande qualidade técnica, que poucas vezes é vista pelos fãs, com destaques para o nocaute de Marcus Brimage sobre Jumabieke Tuerxun e um TKO de Louis Smolka sobre Richie Vaculik. Porém, os brasileiros Vagner Ceará e Guto Inocente não foram bem em seus combates e foram facilmente dominados e derrotados por seus oponentes Jake Matthews e Anthony Perosh, respectivamente.

Ceará, que fez a última luta do card preliminar, enfrentou um jovem de 20 anos (o mais jovem do UFC), cover do cantor Justin Bieber, que luta muito bem em pé e possui grande conhecimento de jiu-jitsu. Dominou na trocação no primeiro round e conseguiu um belo mata-leão no início do segundo sobre brasileiro, que possui muitas limitações no jogo em pé. No seu ponto forte, o jiu-jitsu, Ceará foi facilmente finalizado na sua reestreia, enquanto Matthews permanece invicto, com oito vitórias.

Guto Inocente, que possui um grande hype por treinar numa academia de renome (Blackzilians) e ter feito boas apresentaçoes no Strikeforce, não foi páreo para o veterano australiano Anthony Perosh, de 42 anos. Inocente fez jus ao sobrenome, pois caiu facilmente na armadilha do adversário, que partiu para o single leg no começo do primeiro round e derrubou o brasileiro. O australiano pareceu não ter feito tantas manobras para finalizar, já que Inocente permitiu que Perosh fizesse o que quisesse e foi finalizado facilmente ainda no primeiro round. Para um nome com tanto hype que tem e ser considerado uma promessa, Inocente ainda terá muito o que provar para estar no UFC. E se permanecer, após uma performance apagadíssima.

Resultados UFC Fight Night 55, na Austrália:

CARD PRINCIPAL

Luke Rockhold venceu Michael Bisping por finalização no segundo round
Al Iaquinta venceu Ross Pearson por nocaute técnico no segundo round
Robert Whittaker venceu Clint Hester por nocaute técnico no segundo round
Soa Palelei venceu Walt Harris por nocaute técnico no segundo round

CARD PRELIMINAR

Jake Matthews venceu Vagner Ceará por finalização no segundo round
Anthony Perosh venceu Guto Inocente por finalização no primeiro round
Sam Alvey venceu Dylan Andrews por nocaute técnico no primeiro round
Louis Smolka venceu Richie Vaculik por nocaute técnico no terceiro round
Chris Clements venceu Vik Grujic por nocaute no primeiro round
Daniel Kelly venceu Luke Zachrich por finalização no primeiro round
Marcus Brimage venceu Jumabieke Tuerxun por nocaute no primeiro round

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:45
7 nov

UFN 56: antes do TUF, Shogun encara OSP; Lineker tem missão espinhosa

Por Rodrigo Tannuri

O UFN 56 será realizado em Uberlândia, Minas Gerais, e, mais uma vez, o público local não foi brindado com a presença de grandes estrelas. É bem verdade que os Fight Nights são shows menores, mas, mesmo assim, dava para o UFC ter escalado um plantel melhor. O card conta com 11 lutas, será capitaneado por Maurício Shogun, ex-campeão do Pride e UFC, e apresenta alguns duelos bem equilibrados. O Canal Combate transmitirá o evento a partir das 22h deste sábado (08/11).

Shogun é um dos protagonistas do UFN 56 e TUF Brasil 4

Shogun é um dos protagonistas do UFN 56 e TUF Brasil 4

Antes de protagonizar o TUF Brasil 4, Maurício Shogun será visto no main event do UFN 56. A princípio, seu adversário seria o perigoso striker Jimi Manuwa, porém este se lesionou e foi substituído por Ovince St. Preux. A troca foi boa? Não. Enquanto Manuwa é especialista em trocação, nas outras artes marciais ele deixa a desejar. Por outro lado, OSP não é ótimo em nada, mas é regular em tudo. Há alguns anos, o americano jogava futebol americano, por isso o porte físico e condicionamento são suas maiores armas para esse combate. Ele não é bobo em pé, possui ampla vantagem de envergadura e, no chão, é capaz de aplicar finalizações inusitadas. A melhor forma de “Shogun” vencer é manter a luta em pé e encerrá-la o quanto antes. O brasileiro não pode deixar o oponente ditar o ritmo do duelo e deve fazer de tudo para evitar o clinch. Pode não parecer, mas esse confronto é decisivo para a carreira de “Shogun”. Ele não vem bem e, se perder mais uma no Brasil, seu prestígio no UFC ficará bastante abalado.

Lineker está a um passo de lutar pelo cinturão

Lineker está a um passo de lutar pelo cinturão

O co-main event será o choque entre os moscas John Lineker e Ian McCall e é bem provável que o vencedor lute pelo cinturão da categoria. A luta é um combate de estilos e cheia de animosidade. Lineker é um striker nato, um dos poucos moscas que possuem poder de nocaute, porém o mesmo sofre para bater o peso. Já McCall é muito mais completo, versátil, rápido e condicionado. Dá até para considerá-lo favorito. Vale lembrar que “Uncle Creepy” foi o adversário que mais deu trabalho ao atual campeão da divisão, Demetrious Johnson. Polêmico, o americano alfinetou o número um e desceu a lenha no brasileiro, a quem chamou de gordo. Estrategista, McCall disse saber do poder que Lineker tem e por isso mesmo já avisou que não aceitará a luta em pé. Resumindo, o americano virá para quedar o rival e tem as ferramentas certas para vencer.

Campeão do TUF Brasil 3 pelos médios, Warlley Alves vai estrear pelos meio-médios. Contudo, seu oponente é uma pedreira. Allan Jouban, mais conhecido como Cristiano Ronaldo do MMA, impressionou em sua estreia no UFC por ser muito grande para a categoria e pelo poder que possui. No auge da juventude e ainda invicto no esporte, o brasileiro está mais confiante do que nunca, mas é bom não entrar de salto alto ou então será surpreendido. A certeza é de que esse confronto será bem empolgante.

No card preliminar, os destaques ficam por conta do galo Thomas Almeida e do médio Caio “Monstro”. O primeiro está invicto, irá estrear no UFC, é talentoso e bem favorito. Por sua vez, os fãs também esperam uma vitória do segundo, porém Trevor Smith é raçudo e pode dificultar as coisas. Inclusive, essa é outra candidata a melhor luta do evento. O fato curioso é a luta entre o mexicano Rodolfo Rubio e do chileno Diego Rivas ser disputada no Brasil.

Confira o card do UFN 56:

CARD PRINCIPAL

Maurício “Shogun” Rua x Ovince St. Preux
Ian McCall x John Lineker
Warlley Alves x Alan Jouban
Cláudio Silva x Leon Edwards
Juliana Lima x Nina Ansaroff

CARD PRELIMINAR

Diego Rivas x Rodolfo Rubio
Caio “Monstro” Magalhães x Trevor Smith
Dhiego Lima x Jorge Oliveira
Leandro Silva x Charlie Brenneman
Thomas Almeida x Tim Gorman
Wagner Silva x Colby Covington

POSTADO POR: Cadu Bruno às 3:27
7 nov

‘Nostradamus do MMA’ adivinha os vencedores da jornada dupla de UFC no fim de semana

Meus amigos proféticos do MMA! Essa semana meu poder de adivinhação vai estar frenético, pois a meditação astrológica é para dois eventos do UFC, um na Austrália e outro na terra dos zagallinhos. Por isso, minha macumba está à solta para o UFC Fight Night 55 e 56, um acontecendo na sexta e outro no sábado.

Antes, um aviso importante: acertei 7 de 11 lutas do UFC 179, no Rio de Janeiro! O nosso José Aldo manteve o cinturão em casa ao despachar o perigoso Chad Mendes, em cinco rounds bem disputados. Grande evento, moçada do MMA!

Na luta principal do UFC Fight Night 55, Luke Rockhold e Michael Bisping fazem o duelo trash-talker da semana. Muita falação, mas eu quero ver porrada! Quem vence esse duelo, meus amigos proféticos? Na co-luta principal, Ross Pearson mede forças com Al Iaquinta, pelos leves, em bom duelo. Ainda, no card principal, Robert Whittaker e Clint Hester vão partir para trocação em confronto dos médios. E Soa Palelei enfrenta Walt Harris, pelos pesados.

Nostradamus do MMA

No card preliminar, destaques para os brasucas. Vagner “Ceará” Rocha retorna ao UFC encarando o australiano Jake Matthews, pelos leves. E Guto Inocente volta para os meios-pesados e mede forças com Anthony Perosh.

No card do UFC Fight Night 56, em Uberlândia, na bela Minas Gerais, Maurício dá o tom da graça do MMA brasileiro ao encarar o perigoso e truculento Ovicne St.Preux, pelos meios-pesados. Shogun precisa da vitória para continuar reerguendo a carreira e não pensar em aposentadoria, com seu potente jogo em pé do muay thai. Já OSP tem uma mão pesada e ainda finaliza seus adversários a rodo. Quem leva essa, moçada?

Ainda, no card principal, Ian Mc Call e John Lineker fazem um duelo pelos moscas que pode valer o próximo tlte-shot da categoria. O brasileiro mãos de pedra vai explorar a trocação, enquanto McCall vai se movimentar igual ao Ligeirinho para cansar seu rival. Warlley Alves, campeão do TUF Brasil 3, encara Alan Jouban, pelos meio-médios, Cláudio “Hannibal” Silva mede forças com Leon Edwards e Juliana Lima, a Ju Thai, enfrenta Nina Ansaroff, pelos palhas.

No card preliminar, destaque para a estreia da grande promessa do MMA nacional, Thomas Almeida, da Chute Boxe Diego Lima. Invicto na carreira, “Thominhas” encara Tim Gorman, ex-participante do TUF 18. O brasileiro vai para a luta em pé, enquanto o americano deve buscar a luta agarrada. Lembrete também da luta estrangeira entre Diego Rivas e Roodlfo Rubio, participantes do TUF América Latina, dos treinadores Fabrício Werdum e Cain Velasquez.

Moçada do MMA, minha reza para esses eventos foi especialíssimo, pois é difícil manter a concentração com tantos combates para acontecer. Preparem a sessão de café e não esqueçam de se alimentar pois teremos muitas horas de MMA pela frente. Segurem essa macumba, porque ela está no capricho, para vocês!

Anarriê!

UFC Fight Night 55, na Austrália

CARD PRINCIPAL

Luke Rockhold x Michael Bisping
Ross Pearson x Al Iaquinta
Robert Whittaker x Clint Hester
Soa Palelei x Walt Harris

CARD PRELIMINAR

Jake Matthews x Vagner Rocha
Anthony Perosh x Guto Inocente
Dylan Andrews x Sam Alvey
Richie Vaculik x Louis Smolka
Vik Grujic x Chris Clements
Luke Zachrich x Daniel Kelly
Jumabieke Tuerxun x Marcus Brimage

UFC Fight Night 56, em Uberlândia, MG

CARD PRINCIPAL

Maurício Shogun x Ovince St. Preux
Ian McCall x John Lineker
Warlley Alves x Alan Jouban
Cláudio “Hannibal” Silva x Leon Edwards
Juliana Lima x Nina Ansaroff

CARD PRELIMINAR

Diego Rivas x Rodolfo Rubio
Caio “Monstro” Magalhães x Trevor Smith
Dhiego Lima x Jorge Blade
Leandro Buscapé x Charlie Brenneman
Thomas Almeida x Tim Gorman
Wagnão Silva x Colby Covington

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:42
7 nov

Após trocas de farpas calorosas, Luke Rockhold e Michael Bisping se enfrentam no UFN 55, na Austrália

Por Leo Salles

O UFC faz mais uma dupla jornada de eventos. Além do UFC Uberlândia, com o duelo entre Maurício Shogun e Ovince St.Preux como luta principal (UFC Fight Night 56) no sábado, acontece em Sídnei, na Austrália, o UFC Fight Night 55, com o polêmico confronto entre Luke Rockhold e o veterano inglês Michael Bisping. Com um card de 10 combates com poucos nomes conhecidos (dois brasileiros em ação: Vagner “Ceará” Rocha e Guto Inocente), Rockhold e Bisping certamente são o grande chamariz para a noite de sexta-feira, com previsão de início às 22h (de Brasília).

O americano e o britânico falastrão vêm trocando farpas via imprensa e redes sociais há algum tempo. Tudo dentro de uma grande promoção que ambos vêm produzindo para o combate, que promete ser um bom duelo. Rockhold vem em grande fase. Desde sua estreia com derrota para Vitor Belfort, o americano emendou duas vitórias convincentes, dignas das que apresentou nos tempos em que foi campeão do extinto Strikeforce. Já Bisping, mesmo não apresentando um grande volume de combate nos útlimos tempos, apresentou-se bem em sua última luta contra Cung Le. Muitos especialistas criticam o britânico por não ter poder de nocaute, porém sabe muito bem trabalhar no ground and pound e fazer estrago.

Michael Bisping e Luke Rockhold mais uma vez se provocaram, agora na pesagem (Foto: Divulgação)

Michael Bisping e Luke Rockhold mais uma vez se provocaram, agora na pesagem (Foto: Divulgação)

Para o combate principal, Rockhold é favorito, por ter um jogo mais completo, com uma trocação e poder de nocaute afiados, além de ter um jogo muito bom na luta agarrada. Para o britânico, resta tomar a iniciativa e partir para o clinch. Se derrubar, o melhor para o Bisping será ficar por cima marretando.

Na co-luta principal, o britânico Ross Pearson quer manter a boa fase contra o ainda instável Al Iaquinta, pelos leves. Pearson apresenta uma melhora signifcativa na trocação a cada combate, enquanto Iaquinta, parceiro de treinos de Chris Weidman, campeão dos médios do UFC, trabalha melhor o seu wrestiing nas lutas. O americano vem de vitória sobre Rodrigo Damm por TKO, porém, em lutas anteriores, demonstrou que precisa ainda aprimorar o jogo em pé. Pearson é favorito para o combate.

Os lutadores se provocaram o tempo todo durante a pesagem (Foto: Divulgação)

Os lutadores se provocaram o tempo todo durante a pesagem (Foto: Divulgação)

Ainda, no card principal, Robert Whittaker, lutando em casa, mede forças com Clint Hester, num bom duelo casado pelos médios, Ambos vão para frente e gostam de trocar. E o gigante australiano Soa Palelei faz um duelo clássico de pesos-pesados contra Watl Harris, abrindo o card principal.

No card preliminar, destaque para a reestreia do brasileiro Vagner “Ceará” Rocha, que enfrenta o local Jake Matthews, pelos leves. “Ceará” fez três lutas no UFC e perdeu duas, para Donald Cerrone e Jonathan Brookins e vitória sobre Cody McKenzie. Há dois anos longe do evento, o brasileiro conseguiu quatro vitórias consecutivas até sua reintegração ao octógono. Ainda, Guto Inocente volta aos meios-pesados e enfrenta o veterano australiano de 42 anos, Anthony Perosh. Guto perdeu na sua estreia no UFC para Derrick Lewis, nos pesados, e agora, na categoria de baixo, pretende impor seu jogo de chão e sua envergadura sobre Perosh, que vem de derrota para Ryan Bader.

Confira o card do UFC Fight Night 55, em Sídnei, na Austrália:

CARD PRINCIPAL

Michael Bisping x Luke Rockhold
Ross Pearson x Al Iaquinta
Robert Whittaker x Clint Hester
Soa Palelei x Walt Harris

CARD PRELIMINAR

Jake Matthews x Vagner Rocha
Anthony Perosh x Guto Inocente
Dylan Andrews x Sam Alvey
Richie Vaculik x Louis Smolka
Vik Grujic x Chris Clements
Luke Zachrich x Daniel Kelly
Jumabieke Tuerxun x Marcus Brimage

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:35
6 nov

Lucas Mineiro e Felipe Sertanejo viram tutores de Thomas Almeida para estreia no UFC

Neste sábado, dia 8 de novembro, no UFC Fight Night 56, em Uberlândia, muita atenção estará depositada na estreia de Thomas Almeida. Para a luta contra Tim Gorman, pela categoria peso-galo (até 61,2kg), o atleta carrega currículo avassalador de 17 vitórias em 17 combates no MMA profissional, sendo 14 por nocaute, e enorme expectativa. Para subir ao octógono mais tranquilo, contou com o auxílio de Felipe Sertanejo e Lucas Mineiro, parceiros de treino na Chute Boxe Diego Lima e que, juntos, somam 12 aparições pela franquia.

Os dois estarão no córner de Thominhas quando a porta do octógono se fechar, passando toda a sabedoria e experiência que os anos de UFC lhes proporcionaram. Felipe tem três anos de organização e Lucas, dois. Nos treinamentos, as dicas dos mais experientes deram a tônica. Ao lado do líder e treinador da Chute Boxe, Diego Lima, Lucas Mineiro, que inclusive já lutou no peso-galo, foi peça-chave no camp, e deposita esperança no amigo.

Equipe da Chute Boxe Diego Lima que auxiliou a promessa Thomas Almeida no camp (Foto: Divulgação)

Equipe da Chute Boxe Diego Lima que auxiliou a promessa Thomas Almeida no camp (Foto: Divulgação)

“Ele está pronto. Ajudei mais na conversa com ele, para não ficar nervoso. Em relação ao treinamento, a ajuda é a que todos na Chute Boxe se dão. O talento dele é incrível. Estamos tranquilos em relação a isso. Falei que, quando a porta do cage fecha, é só ele e o cara lá dentro. Concentração e foco. Talento ele tem de sobra”, explica Lucas Mineiro, completando: “Ele já deveria ter estreado antes no UFC. Está com a cabeça feita. O garoto é uma máquina. Com certeza, em menos de um ano vai ser uma das sensações e em breve vai buscar e ser o dono absoluto do cinturão”.

A opinião de Felipe Sertanejo sobre o talento de Thomas Almeida não difere da de Lucas. Para ele, o jovem será também um dos grandes nomes entre os pesos-galos e garante que o nervosismo da estreia não será obstáculo para o amigo.

“O Thominhas é dos melhores que já vi, tanto que é arrasador em cima do cage. Imbatível, nocauteou em 90% das lutas que venceu. Estamos conversando e treinando juntos há alguns meses em nossos camps. Tento sempre falar para ele que basta subir no octógono e mostrar tudo o que sabe, que não vai ter problemas. Sei que pode bater uma ansiedade, mas nada que não resolva assim que iniciar a luta. Thomas tem a cabeça boa, é diferenciado na qualidade. Vai brilhar muito”, opina Felipe Sertanejo.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:46
6 nov

Pronto para primeira defesa de cinturão, Toquinho diz: ‘Vou voltar com o título para o Brasil’

Rousimar “Toquinho” Palhares, um dos maiores nomes do MMA mundial, que desde março possui o título meio-médio (77 kg) do World Series of Fighting (WSOF), após vencer o norte-americano Steve Carl, já se prepara para o seu próximo desafio. O mineiro, natural de Dores do Indaiá (MG), fará, no dia 13 de dezembro, nos Estados Unidos, sua primeira defesa de cinturão contra o ex-lutador do UFC Jon Fitch.

Especialista na luta agarrada, o atleta, de 34 anos, tem 16 vitórias na carreira, sendo 13 delas por finalização. Motivado pela chance de manter mais um título internacional em solo brasileiro, ele se mostra pronto para encarar o norte-americano, que só foi finalizado duas vezes em sua extensa trajetória profissional.

“Eu espero a vitória e é isso que vai acontecer. Não importa de que maneira ela seja, estou pronto para qualquer situação. Venho treinando forte para enfrentar o Jon Fitch, sei das qualidades dele, mas vou dar o meu melhor. Vai ser a minha primeira defesa de cinturão e me sinto animado com isso. Quero voltar com o título para o Brasil. Sei que estou na melhor fase da minha carreira e vou provar isso”, disse Toquinho.

Rousimar Toquinho defende seu cinturão do WSOF contra Jon Fitch (Foto: Divulgação)

Rousimar Toquinho defende seu cinturão do WSOF contra Jon Fitch (Foto: Divulgação)

Sem se importar com a estratégia que Fitch usará para o duelo, o campeão garante estar com constante evolução na parte em pé e pretende levar algumas surpresas para dentro do cage do WSOF. Toquinho aproveitou para elogiar Erivan Conceição, um dos treinadores de boxe do Team Nogueira.

“Não me importo com que ele vai fazer, estou preocupado apenas com o que vou fazer. Quero levar todo o meu treinamento para dentro do cage. Vou para finalizar. Tenho outras estratégias, venho treinando muito forte a trocação e estou cada vez mais confiante para enfrentar qualquer adversário e buscar o meu primeiro nocaute. Devo muito ao Erivan Conceição, ele vem dedicando muito tempo para me ajudar e isso está sendo ótimo para mim”, agradeceu.

Ao longo de toda sua carreira profissional, Toquinho passou por inúmeras dificuldades e agora carrega consigo a responsabilidade de ser o detentor do cinturão do WSOF. O brasileiro afirma não ser melhor do que ninguém, mas ao olhar para a categoria como um todo, pensa estar no mesmo nível dos tops, seja qual for a organização. Esta confiança, segundo ele, se deve à maturidade que adquiriu ao longo da sua vida profissional.

“Sou um Rousimar Palhares diferente de uns tempos atrás. Hoje sou um cara mais maduro, tenho mais sabedoria e aprendi demais com toda as dificuldades que eu enfrentei, graças a Deus. Se tivesse que passar por tudo que passei outra vez para ser o que sou hoje, passaria mais uma vez. Eu passei por muita coisa e para tirar o cinturão da minha cintura vai ser difícil. Posso garantir que enfrentaria todos de igual para igual”, finalizou.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:41