Arquivo do autor:Cadu Bruno

8 out

Yan Cabral tira lições da primeira derrota para vencer japonês no UFC 179

Então invicto no MMA, Yan Cabral acabou sentindo o amargo gosto da derrota pela primeira vez em maio deste ano, no UFC Fight Night 40, quando foi derrotado por Zak Cummings. O peso-médio da Nova União volta ao octógono no UFC 179, no Maracanãzinho, Rio de Janeiro, dia 25 de outubro, contra Naoyuki Kotani com lições aprendidas do revés, e promovendo algumas mudanças, a começar pela troca de categoria, saindo dos meio-médios (até 77,5kg) para os leves (até 70,7kg).

Yan acredita ter estado mais leve do que os concorrentes em seus dois primeiros combates no Ultimate, ambos pelos meio-médios. Mesmo tendo vencido na estreia David Mitchel, por decisão unânime dos juízes, o brasileiro acredita que cometeu erros, não corrigidos para o duelo contra Cummings, culminando na primeira derrota profissional.

“Estou vindo de um resultado negativo. Isso fez rever alguns conceitos, em relação às partes física e técnica, que já tinha errado na estreia. Como tinha vencido, não tomei tanto cuidado para o segundo combate e acabei derrotado. Estou treinando bastante para essa luta, sempre com a cabeça focada nas novas mudanças e isso está me fazendo bem”, conta Yan, que soma 11 vitórias no MMA, além do revés no último confronto, em maio, por decisão unânime dos juízes.

Yan Cabral encara Naoyuki Kotani no UFC 179, no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação)

Yan Cabral encara Naoyuki Kotani no UFC 179, no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação)

Uma das principais mudanças enumeradas por Yan Cabral é a troca de peso. Sempre atuando entre os meio-médios, o atleta da Nova União agora fará seu primeiro combate na nova categoria, os leves. Para ele, os sete quilos em média de diferença que terá que baixar para subir na balança, não o deixarão debilitado fisicamente.

“Um dos pontos que pensamos, para mudar minha forma de atuar, foi baixar de categoria. Sou um cara que meu peso natural é 83kg ou 84kg. Estava lutando com 77kg. Me sentia mais fraco que os meus rivais. Agora estou mantendo a dieta regrada, treinando leve e espero fazer uma luta mais forte. Tenho certeza que o público vai ver outro Yan no octógono” confia o carioca de 31 anos, participante do TUF Brasil 2.

Especialista em jiu-jitsu, Yan Cabral acredita que a luta contra Kotani pode ser definida no chão. Isso porque o japonês, que possui um cartel de 33-11, também tem a arte suave como uma das suas especialidades.

“Kotani é um cara experiente. Aceita o chão e tem como forte a luta agarrada também. Então, vamos fazer uma excelente luta, movimentada e será uma grande chance de me recuperar”, analisa destacando que ambos precisam entrar no octógono em busca de uma vitória: “Ele também vem de uma derrota, e logo na estreia no UFC, e quer vencer tanto quanto eu. Isso faz com que a luta ganhe em vontade e determinação. Tenho certeza que será um ótimo duelo”, prevê.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:39
5 out

UFN 54: MacDonald não tem trabalho e nocauteia Saffiedine; Assunção vence a sétima seguida

Por Rodrigo Tannuri

Em apenas um dia, o UFC realizou dois eventos que surpreenderam o público. No primeiro, o azarão estragou a festa do anfitrião. Contudo, no segundo, o atleta local Rory MacDonald foi perfeito, vencendo de forma mais tranquila do que se previa. No entanto, o UFN 54, disputado no Canadá, não foi tão emocionante. Os primeiros combates deram a impressão de que o show seria um bom entretenimento, mas a maioria deles deu sono. Os destaques ficam por conta de Rory MacDonald, Mitch Gagnon, Albert Tumenov e Pedro Munhoz.

Rory MacDonald acena para o público

Rory MacDonald acena para o público

No main event, Rory MacDonald confirmou o favoritismo, venceu Tarec Safieddine e deve lutar pelo cinturão dos meio-médios. Apoiado pelo público, o canadense não entrou no clima de oba-oba e, com seriedade, fez o seu costumeiro jogo de controlar os adversários. Após ter vencido os dois primeiros rounds com tranquilidade, “Ares” foi mais agressivo no terceiro e liquidou a fatura aplicando seu famoso ground and pound, após ter acertado um belo upper. Dominante, Rory justificou o porque de ser chamado de “novo Georges St-Pierre”. O prodígio parece ter recuperado a fome/agressividade e, confiante, sabe que sua hora de lutar e conquistar o cinturão se aproxima.

Raphael Assunção acerta bom golpe em Bryan Caraway

Raphael Assunção acerta bom golpe em Bryan Caraway

O combate não foi fácil, mas Raphael Assunção venceu. O brasileiro, mesmo sendo especialista em Jiu-Jitsu, controlou o duro Bryan Caraway em pé, mostrando evolução na trocação, conquistou o sétimo triunfo seguido e, novamente, pediu para lutar pelo cinturão. Invicto desde que chegou aos galos, tal desejo é mais do que justo, porém, por ser discreto e não empolgar o público, o pernambucano sempre é preterido pela organização. Vencedor do TUF: Canadá x Austrália, o canadense Chad Laprisse venceu a segunda no UFC, permanece invicto, porém, mais uma vez, não empolgou. O meio-médio é mais estratégico do que propriamente um showman e não tem vergonha disso

Em lutas bastante disputadas, mas pouco empolgantes, o médio Elias Theodorou e o meio-médio Nordine Taleb venceram. O primeiro, vencedor do TUF: Canadá x Austrália, segue invicto, mas, mesmo lutando em casa, teve trabalho e o que lhe salvou foi o preparo físico. Já o segundo foi premiado com uma decisão bem duvidosa, quebrou a perna e teve que sair do octógono sendo carregado. Inaugurando o card principal, o canadense Mitch Gagnon fez a alegria do público local. O galo não tomou conhecimento do adversário, finalizou logo no primeiro round, conquistou a quarta vitória seguida e se aproximou de vez do top-10 da divisão. Olho nele!

Começou e acabou: Pedro Munhoz finaliza com rapidez

Começou e acabou: Pedro Munhoz finaliza com rapidez

No card preliminar, Albert Tumenov e Pedro Munhoz brilharam. Logo no primeiro minuto, o russo, de apenas 22 anos, usou e abusou dos high kicks (chutes altos) para nocautear e se recuperar nos meio-médios. Pelos galos, o brasileiro foi ainda mais rápido, precisando de apenas 37 segundos para encaixar a guilhotina no truculento oponente, mostrando que, no MMA, o que prevalece é a técnica e não a força.

Resultados do UFN 54:

CARD PRINCIPAL

Rory MacDonald derrotou Tarec Saffiedine por nocaute técnico no 3º round
Raphael Assunção derrotou Bryan Caraway por decisão unânime
Chad Laprise derrotou Yosdenis Cedeno por decisão unânime
Elias Theodorou derrotou Bruno “Carioca” por decisão unânime
Nordine Taleb derrotou Li Jingliang por decisão dividida
Mitch Gagnon derrotou Roman Salazar por finalização no 1º round

CARD PRELIMINAR

Daron Cruickshank derrotou Anthony Njokuani por decisão unânime
Olivier Aubin-Mercier derrotou Jake Lindsey por finalização no 2º round
Paul Felder derrotou Jason Saggo por decisão dividida
Chris Kelades derrotou Patrick Holohan por decisão unânime
Albert Tumenov derrotou Matt Dwyer por nocaute no 1º round
Pedro Munhoz derrotou Jerrod Sanders por finalização no 1º round

POSTADO POR: Cadu Bruno às 2:23
4 out

Em grande atuação, Rick Story surpreende e derruba invicto Gunnar Nelson no UFC Fight Night 53, na Suécia

Por Leo Salles

Em um evento com poucos nomes conhecidos, o UFC Fight Night 53, disputado neste sábado em Estocolmo, na Suécia, apresentou bons e emocionantes combates. Na luta principal, Rick Story surpreendeu o invicto islandês Gunnar Nelson e o público local e levou a vitória com grande atuação por decisão dividida dos juízes, em duelo válido pelos meio-médios. Ainda, no card principal, mais três suecos estiveram em ação e todos foram derrotados, frustrando ainda mais os torcedores que lotaram a arena em Estocolmo.

Gunnar Nelson, com sua base carateca e estilo zen dentro do octógono, procurou dominar o centro do ringue e aplicar os melhores golpes no primeiro round, apesar de Rick Story ter também mostrado suas armas e acertado alguns bons golpes em Nelson. O americano foi mais agressivo com golpes na cabeça e no corpo de Nelson no segundo round, enquanto o islandês pareceu apático e diminuiu o ritmo com as ações do americano. No terceiro round, Story manteve o ritmo do segundo, com golpes potentes e parecendo mais inteiro que o adversário, deixando-o com sangramentos no nariz.

Rick Story venceu Gunnar Nelson por decisão dividida (Foto: Divulgação)

Rick Story venceu Gunnar Nelson por decisão dividida (Foto: Divulgação)

O americano permaneceu em grande performance, surpreendendo o público local, com um golpe de direita e que culminou com um knockdown, porém Story não conseguiu finalizar a luta no quarto round. Nos últimos cinco minutos de combate, o americano continuou sendo o senhor da luta, dominando o octógono com golpes de esquerda e chutes na costela que minaram o gás do islandês, que não conseguiu fazer mais nada. Vitória merecedora de Rick “The Horror” Story, que foi mais ativo, aplicou mais golpes contundentes e não se intimidou com a invencibilidade de Nelson, que não se encontrou em nenhum momento durante os 25 minutos de combate, apesar do inexplicável resultado por decisão dividida.

Na co-luta principal, Max Holloway não teve conhecimento do lutador da casa, Akira Corassani, e venceu o combate por nocaute técnico no primeiro round. Os dois começaram se estudando, na trocação. Porém, Holloway acertou uma direita que fez Corassani ficar atordoado e começou uma sequência de combinações duras até apagar o adversário, mostrando toda sua superioridade técnica. Holloway é o lutador mais jovem da franquia, com 22 anos, e segue numa sequência de vitórias na carreira.

Estreante no UFC, o polonês Jan Blachowicz mostrou todo seu poder na trocação, com chutes na linha de base de Ilir Latifi, e venceu por nocaute técnico logo no primeiro round. Latifi até que começou ditando o ritmo, porém o polonês acertou golpes fortes e contundentes, principalmente com um chute no estômago do sueco, que fez o sueco desabar e ser finalizado com golpes de esquerda no chão. Grande estreia de Blachowicz, aguardada pelos fãs europeus de MMA.

Abrindo o card principal, Mike Wilkinson aplicou um incrível nocaute com um jab de direita após receber ataques do sueco Niklas Backstrom. Após levar um chute frontal no rosto e sofrer com a agressividade do sueco, Wilkinson contra-atacou com uma direita certeira no queixo, que fez Backstrom apagar instantaneamente, logo no primeiro round.

Max Holloway venceu Akira Corassani e levou o prêmio de Performance da Noite (Foto: Divulgação)

Max Holloway venceu Akira Corassani e levou o prêmio de Performance da Noite (Foto: Divulgação)

Suecos e russos protagonizam bons combates no card preliminar

O card preliminar apresentou combates bem casados, destacando-se os atletas da casa e russos nocauteadores, como Mairbek Taisumov e Zubaira Tukhugov, ambos chechenos, que venceram Marcin Bandel e Ernest Chavez, respectivamente.

Magnus Cedenblad fez uma luta equilibrada contra o inglês Scott Askham, mas conseguiu a vitória por decisão unânime dos jurados. Nicolas Musoke usou a trocação e anulou as tentativas de combinações de Alexander Yakovlev para derrotar o russo por decisão unânime dos juízes.

Dennis Siver e Charles Rosa fizeram um bom e emocionante combate, porém foi Siver quem levou a melhor, por decisão unânime dos juízes. Siver voltou a vencer após suspensão e Rosa estreou no evento com short notice de apenas cinco dias.

Resultados do UFC Fight Night 53, em Estocolmo, na Suécia:

CARD PRINCIPAL

Rick Story venceu Gunnar Nelson por decisão dividida dos juízes
Max Holloway venceu Akira Corassani por nocaute técnico no primeiro round
Jan Blachowicz venceu Ilir Latifi por nocaute técnico no primeiro round
Mike Wilkinson venceu Niklas Backstrom por nocaute no primeiro round

CARD PRELIMINAR

Magnus Cedenblad venceu Scott Askham por decisão unânime dos juízes
Nicolas Musoke venceu Alexander Yakovlev por decisão unânime dos juízes
Dennis Siver venceu Charles Rosa por decisão unânime dos juízes
Cathal Pendred venceu Gasan Umalatov por decisão dividida dos juízes
Krzysztof Jotko venceu Tor Troeng por decisão unânime dos juízes
Mairbek Taisumov venceu Marcin Bandel por nocaute técnico no primeiro round
Zubaira Tukhugov venceu Ernest Chavez por nocaute técnico no primeiro round

POSTADO POR: Cadu Bruno às 6:49
3 out

‘Nostradamus do MMA’ palpita quem vence nos dois eventos do UFC neste fim de semana

Meus amigos proféticos do MMA! Mais uma vez teremos uma semana agitada de lutas, com dois eventos do UFC no mesmo dia, um na Suécia e outro no Canadá! Combates espetaculares virão certamente e já vou soltar minhas pérolas astrológicas, diretamente da Estrela de Andrômeda.

Antes das adivinhações, um aviso: acertei 7 de 11 lutas do UFC 178, em Las Vegas. Grandes embates tivemos, certamente o melhor evento de 2014, com a defesa de cinturão de Demetrious Johnson e as grande performances de Donald Cerrone, Conor McGregor e Cat Zingano. Histórico!

Nostradamus do MMA

Na luta principal do UFC Fight Night 53, em Estocolmo, na Suécia, o islandês Gunnar Nelson vai para cima de Rick Story, pelos meio-médios, num combate de grande trocação. Quem leva, moçada? Na co-luta principal, Max Holloway vem se recuperando no UFC e encara Akira Corassani, pelos penas. Ainda, no card principal, Ilir Latifi mede forças com Jan Blachowicz, pelos meios-pesados. E Niklas Backstrom, grande revelação do MMA seuco, encara Mike Wilkinson, pelos penas.

No UFC Fight Night 54, em Halifax, no Canadá, Rory McDonald vai em busca não somente da vitória, mas também de garantir o próximo title-shot dos meio-médios contra o belga Tarec Saffiedine. McDonald deve procurar a luta agarrada para evitar o jogo em pé de Saffiedine, que possui boa trocação. Na co-luta principal, o nosso Raphael Assunção quer também o title-shot, mas dos pesos-galos, e enfrenta o americano Bryan Caraway.

Ainda, no card principal, é Canadá contra o resto do mundo: os campeões do TUF Canadá vs Austrália, Chad Laprise e Elias Theodorou, medem forças com Yosdenis Cedeno e o nosso Bruno “Carioca” Santos, respectivamente, nos pesos leves e médios. Nordine Taleb, outro ex-participante do TUF entre países, enfrenta Li Jingliang, pelos meio-médios e Mitch Gagnon encara Roman Salazar, pelos galos.

Moçada do MMA, recebam essa pedrada astrológica com meus palpites divinos. Preparem a comidinha, o suco de groselha, porque será uma maratona de UFC. Segurem essa macumba, pois ela está especial!

Munrá!

UFC Fight Night 53, em Estocolmo, na Suécia

CARD PRINCIPAL

Gunnar Nelson x Rick Story
Akira Corassani x Max Holloway
Ilir Latifi x Jan Blachowicz
Niklas Backstrom x Mike Wilkinson

CARD PRELIMINAR

Magnus Cedenblad x Scott Askham
Nicolas Musoke x Alexander Yakovlev
Dennis Siver x Charles Rosa
Cathal Pendred x Gasan Umalatov
Tor Troeng x Krzysztof Jotko
Marcin Bandel x Mairbek Taisumov
Ernest Chavez x Zubaira Tukhugov

UFC Fight Night 54, em Halifax, no Canadá

CARD PRINCIPAL

Rory MacDonald x Tarec Saffiedine
Raphael Assunção x Bryan Caraway
Chad Laprise x Yosdenis Cedeno
Elias Theodoreau x Bruno Carioca
Nordine Taleb x Li Jingliang
Mitch Gagnon x Roman Salazar

CARD PRELIMINAR

Daron Cruickshank x Anthony Njokuani
Olivier Aubin-Mercier x Jake Lindsey
Jason Saggo x Paul Felder
Paddy Holohan x Chris Kelades
Matt Dwyer x Albert Tumenov
Pedro Munhoz x Jerrod Sanders

POSTADO POR: Cadu Bruno às 3:42
3 out

UFN 53 e 54: meio-médios batalham nas lutas principais; Assunção tem luta decisiva

Por Rodrigo Tannuri

Em um só dia (04/10), o UFC decidiu brindar seus fãs com dois eventos. Na Suécia, será realizado o UFN 53, um show mais modesto, com diversos atletas locais, mas com um main event bastante atrativo. No Canadá, o programa está mais encorpado e o main event pode definir o próximo desafiante dos meio-médios. Como destaques, podemos citar: Rory MacDonald, Tarec Saffideine, Gunnar Nelson, Rick Story, Raphael Assunção, Max Holloway, Ilir Latifi e Dennis Siver. O Canal Combate transmite o UFN 53 a partir de 13 horas e o UFN 54 às 20:00.

Main Event: Gunnar e Story visam entrar no top-10

Main Event: Gunnar e Story visam entrar no top-10

Se o evento não é tão chamativo, a luta principal é bem interessante. Nela, os meio-médios Gunnar Nelson e Rick Story se enfrentam buscando, definitivamente, entrar no top-10. Ambos são muito bons e possuem estilos diferentes. O islandês Gunni está invicto no MMA, é especialista em Jiu-Jitsu, faixa preta de Karate e é parceiro de treino do irlandês Conor McGregor. Se McGregor é a extravagância em pessoa, Gunnar é representa a tranquilidade. Do outro lado, Story é um wrestler com bastante poder de nocaute, mais experiente e, tirando GSP, foi o único que derrotou Johny Hendricks, atual campeão da categoria. Os dois atletas mostraram respeito, mas o clima amistoso tem hora e local para acabar.

No co-main event, mesmo atuando fora de casa contra um atleta local, Max Holloway é o favorito. O sueco Akira Corassani não e um peso morto e pode oferecer perigo ao adversário, porém “Blessed” de apenas 22 anos, está melhorando a cada luta e o mesmo sabe que, para se firmar no top-15 dos penas, vencer bem na Suécia é muito importante. Como são dois atletas que gostam da trocação, o duelo tem tudo para ser o melhor do evento. O meio-pesado Ilir Latifi e os penas Niklas Bäckström e Dennis Siver devem confirmar o favoritismo.

Main Event: MacDonald e Saffiedine lutam de olho no cinturão

Main Event: MacDonald e Saffiedine lutam de olho no cinturão

No Canadá, Rory MacDonald, sempre apontado como o novo GSP, contará com o apoio local para, enfim, lutar pelo cinturão dos meio-médios. Para isso se concretizar, “Ares” terá que superar o belga Tarec Saffiedine, ex-campeão dp Strikeforce. Como lutador de MMA, Rory é melhor, completo e está mais confiante do que nunca. Como artista marcial, Saffidedine se destaca e seu jogo é mais solto. A versatilidade do prodígio canadense é um fator dominante em suas lutas, porém os low kicks (chutes baixos) do belga são tão decisivos quanto. Nesse duelo técnico, quem vence são os fãs de MMA.

Nos galos, todos sabem que Dominick Cruz será o próximo a lutar pelo cinturão. No entanto, ao ganhar seis seguidas, inclusive do campeão TJ Dillashaw, Raphael Assunção, invicto na divisão, não gostou de ser preterido pelo UFC. Caso vença o duro Bryan Caraway, o brasileiro promete ser ainda mais vocal para obter tal chance. Contudo, o americano, namorado de Miesha Tate, não é bobo. O favorito é Raphael, que, realmente, é melhor no chão, mas, em pé, mesmo não sendo um especialista, o americano é ligeiramente superior. A luta entre os leves Daron Cruickshank e Anthony Njokuani promete concorrer ao bônus de melhor do evento. Ambos são especialistas na trocação e não devem decepcionar os fãs.

Confira as lutas do UFN 53 e 54:

CARD PRINCIPAL

Gunnar Nelson x Rick Story
Akira Corassani x Max Holloway
Ilir Latifi x Jan Błachowicz
Niklas Bäckström x Mike Wilkinson

CARD PRELIMINAR

Magnus Cedenblad x Scott Askham
Nico Musoke x Alexander Yakovlev
Dennis Siver x Charles Rosa
Cathal Pendred x Gasan Umalatov
Tor Troéng x Krzysztof Jotko
Mairbek Taisumov x Marcin Bandel
Zubaira Tukhugov x Ernest Chavez

CARD PRINCIPAL

Rory MacDonald x Tarec Saffiedine
Raphael Assunção x Bryan Caraway
Chad Laprise x Yosdenis Cedeno
Elias Theodorou x Bruno Santos
Nordine Taleb x Li Jingliang
Mitch Gagnon x Roman Salazar

CARD PRELIMINAR

Daron Cruickshank x Anthony Njokuani
Olivier Aubin-Mercier x Jake Lindsey
Jason Saggo x Paul Felder
Patrick Holohan x Chris Kelades
Albert Tumenov x Matt Dwyer
Pedro Munhoz x Jerrod Sanders

POSTADO POR: Cadu Bruno às 3:14
1 out

Charles do Bronx inicia preparação para Jeremy Stephens com motivação extra

A decisão médica que impediu a participação de Charles do Bronx no UFC Fight Night 50, em setembro, ainda não foi esquecida. A “revanche” contra Nik Lentz teve de ser adiada, porém o lutador já tem mais um desafio pela frente. O UFC anunciou nesta segunda-feira, dia 30 de setembro, que Do Bronx vai enfrentar Jeremy Stephens no dia 12 de dezembro, no card do The Ultimate Fighter 20 Finale.

Jeremy Stephens também integra o Top 10 da categoria peso-pena (até 66,1kg), na décima posição, uma acima de Lentz e quatro à frente do brasileiro. Com o anúncio, Charles do Bronx já começou, junto aos treinadores Ericson Cardoso e Jorge Patino “Macaco” a traçar o plano de luta que vai pode lhe possibilitar alcançar as duas metas que tem para o fim do ano: garantir a terceira vitória consecutiva e estar entre os 10 melhores da categoria.

“Tenho muito tempo para me dedicar. Vou chegar afiado e no peso. E com um foco totalmente definido. Vou vencer e ficar entre os melhores. Quero chegar em 2015 babando pelo cinturão e disputa-lo até o fim do ano”, comenta Charles, inspirando-se no que o atual detentor do título dos penas, José Aldo, costuma dizer: “O Aldo já falou diversas vezes e penso muito nisso, que se você quer ser o melhor, tem que só enfrentar os mais fortes, mesmo não estando no topo ainda. Me inspiro nisso, porque quero ser o melhor”.

Charles do Bronx encara Jeremy Stephens em dezembro, no TUF 20 Finale (Foto: Divulgação)

Charles do Bronx encara Jeremy Stephens em dezembro, no TUF 20 Finale (Foto: Divulgação)

Antes de ter a luta anunciada contra Charles Do Bronx, Jeremy Stephens teria pela frente outro brasileiro, Lucas Mineiro. No entanto, o norte-americano se recusou a enfrenta-lo no UFC 179, no Rio de Janeiro, por considera-lo abaixo de sua posição no ranking. Do Bronx, que eventualmente treina com Lucas na Chute Boxe Diego Lima, em São Paulo, evita alimentar qualquer tipo de rusgas, mas critica a atitude de seu adversário.

“Ele não quis lutar contra o Lucas Mineiro, mas não sei direito o que houve. Sei que o Mineiro vai ganhar do Elkins e vai pedir a luta. Da minha parte, vou dar meu melhor para vencer e o Jeremy vai ter que aceitar o desafio do Lucas. Não desrespeito meus adversários e não gosto de quem desrespeita. Tudo se resolve no octógono”, pondera. “O UFC colocou essa luta para mim. Não tenho que ficar escolhendo. Aceitei na hora. Posso dizer a todos os fãs que vou andar para frente e sair com uma vitória, apesar de saber que ele é muito duro. Gostei da escolha”.

Revanche ainda nos planos

Apesar de empolgado com o duelo marcado, Charles do Bronx ainda espera enfrentar Nik Lentz. Na luta que ocorreu, em 2011, o brasileiro venceu, mas teve a vitória anulada por um “No Contest”, após aplicar uma joelhada considerada ilegal no rival. Quando enfim teve o pedido atendido, foi vetado pelos médicos e não reencontrou o adversário. Agora, o peso pena acredita que no momento certo, enfim, será realizado.

“Meu foco agora muda. Só penso no Stephens, mas não tem como esconder que fiquei chateado por não ter ocorrido a luta contra o Lentz. Pedi ao UFC, eles atenderam meu pedido, mas acabei não tendo condições de lutar, infelizmente. Quero ainda esta luta, mas sei que vamos nos encontrar no futuro. Estamos na mesma categoria e temos a mesma vontade. No momento certo, vou conseguir vencer o Lentz novamente” diz, comentando os motivos que o deixaram de fora do último duelo.

“Tentei muito lutar. Meu coração mandava ir para o octógono, mas meu corpo não deixava. Tive muita dor no estômago, febre, passei muito mal. Quem estava comigo acompanhou tudo. Foi uma barra, mas passou e agora quero lutar logo”, explica.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 3:17
28 set

UFC 178: em evento recheado de grandes lutas, Demetrious Johnson mantém reinado dos moscas

Por Leo Salles

O UFC 178, realizado na noite deste sábado, foi o melhor evento organizado pelo UFC do ano. Com grandes e empolgantes combates, tanto no card preliminar quanto no principal, fez jus ao que se esperava, com vitória dominante do campeão dos moscas, Demetrious Johnson, as grande performances de Donald Cerrone, Eddie Alvarez, Yoel Romero, Tim Kennedy, Cat Zingano e Amanda Nunes, além do nocaute do homeme mais falado do momento, Conor McGregor.

Na luta principal, Demetrious Johnson mostrou o que vem fazendo em suas defesas de cinturão. Manteve o controle do octógono, pressionou Cariaso contra a grade e quase conseguiu um nocaute no fim do primeiro round. No segundo round,”Mighty Mouse” foi mais dominante. Levou a luta para chão, trabalhou o ground and pound e encaixou uma kimura que fez Cariaso bater. Vitória incontestável do campeão dos moscas, que reina absoluto na categoria e sem adversário à altura no momento.

Campeão Demetrious Johnson finalizou Chris Cariaso com uma kimura no UFC 178 (Foto: Divulgação)

Campeão Demetrious Johnson finalizou Chris Cariaso com uma kimura no UFC 178 (Foto: Divulgação)

Na co-luta principal, Donald Cerrone e Eddie Alvarez fizeram uma luta bastante movimentada. Alvarez foi buscando o ritmo do combate com socos certeiros e fazenso sua movimentação característica. Já “Cowboy” manteve seu estilo de aplicar chutes baixos e altos, porém não o suficiente para vencer o round. Porém, à partir do segundo round, Cerrone foi o senhor da luta, dominando o combate em pé e mostrando o porquê da excelente fase que vive no UFC. Manteve-se agressivo em pé e minou a confiança do ex-Bellator, que sentiu os golpes que sofreu. Vitória justa de Cerrone, que volta a figurar entre os melhores dos leves, ainda mais vencendo um oponente de renome como Alvarez.

Ainda, no card principal, Conor McGregor fez a alegria do público irlandês presente em Las Vegas e conseguiu o que prometeu na coletiva de imprensa antes do combate: nocauteou Dustin Poirier no primeiro round após um jab de esquerda atrás da orelha do americano. É a quarta vitória de “Notorious” dentro do UFC, que já pediu o title shot dos penas, cinturão que pertence a José Aldo.

Conor McGregor nocauteou Dustin Poirier no card principal do UFC 178 (Foto: Divulgação)

Conor McGregor nocauteou Dustin Poirier no card principal do UFC 178 (Foto: Divulgação)

Em mais um combate espetacular, um dos melhores de 2014, Yoel Romero conseguiu nocautear Tim Kennedy em grande duelo pelos médios. No primeiro round, Romero por pouco não conseguiu nocautear o americano, com golpes de esquerda certeiros que fizeram Kennedy sangrar. No segundo, foi o americano que tomou a iniciativa e quase finalizou a luta com uppercuts certeiros no final do round. Mas, no último round, Romero ressurgiu e conseguiu aplicar golpes no rosto do americano, que sucumbiu aos ataque do cubano.

Na abertura do card principal, Cat Zingano e Amanda Nunes protagonizaram uma grande batalha, principalmente no aspecto técnico, que provavelmente tenha sido a melhor luta feminina do ano. Zingano sofreu maus bocados no primeiro round, quando Amanda acertou socos poderosos enquanto a americana estava no chão e por pouco não venceu o combate. Mas Zingano, número um do ranking, precisou adotar um estilo mais agressivo e procurou o ground and pound para minar o gás de Amanda nos dois rounds seguintes e conseguiu um nocaute técnico no terceiro. Zingano provavelmente será a próxima adversária de Ronda Rousey, campeã dos galos.

Amanda Nunes não resistiu à pressão de Cat Zingano e acabou nocauteada no terceiro round (Foto: Divulgação)

Amanda Nunes não resistiu à pressão de Cat Zingano e acabou nocauteada no terceiro round (Foto: Divulgação)

Dominick Cruz tem volta espetacular com nocaute

No card preliminar, um retorno esperado há três anos que veio com uma vitória rápida e emplogante. Dominick Cruz nocauteou o japonês Takeya Mizugaki em um minuto de combate e mostrou por que merece estar entre os melhores dos galos, mesmo com tanto tempo de inatividade. Em outros grande combates, Stephen Thomson derrubou Patrick Cote por decisão unânme, Jorge Masvidal fez um duelo difícil conta James Krause e venceu por decisão dos jurados e Manny Gamburyan abriu os trabalhos do UFC 179 com uma bela finalização sobre Cody Gibson no segundo round.

Resultados do UFC 178, em Las Vegas:

CARD PRINCIPAL

Donald Cerrone venceu Eddie Alvarez por decisão unânime dos juízes
Conor McGregor venceu Dustin Poirier por nocaute no primeiro round
Yoel Romero venceu Tim Kennedy por nocaute técnico no terceiro round
Cat Zingano venceu Amanda Nunes por nocaute técnico no terceiro round

CARD PRELIMINAR

Dominick Cruz venceu Takeya Mizugaki por nocaute técnico no primeiro round
Jorge Masvidal venceu James Krause por decisão unânime dos juízes
Stephen Thomson venceu Patrick Cote por decisão unânime dos juízes
Brian Ebersole venceu John Howard por decisão dividida dos juízes
Kevin Lee venceu Jon Tuck por decisão unânime dos juízes
Manny Gamburyan venceu Cody Gibson por finalização no segundo round

POSTADO POR: Cadu Bruno às 11:13
26 set

Sem Jon Jones e Daniel Cormier, UFC 178 apresenta um dos melhores cards do ano em Las Vegas

Por Leo Salles

Sem o grande combate entre Jon Jones, campeão dos meios-pesados, e Daniel Cormier, o UFC 178 não perdeu seu brilho. Em um dos melhores cards do ano, com combates como Eddie Alvarez e Donald Cerrone, Dustin Poirier e Conor McGregor, Yoel Romero e Tim Kennedy e Cat Zingano e Amanda Nunes, a noite sábado em Las Vegas terá, como luta principal, a disputa pelo título dos moscas, entre o detentor do cinturão, Demetrious Johnson, e Chris Cariaso, oitavo do ranking da categoria. O evento começa às 20h (de Brasília).

Anteriormente marcada para acontecer no UFC 177, juntamente com a disputa do cinturão dos galos, o duelo entre Demetrious Johnson e Chris Cariaso foi postergado para o UFC 178, em substituição à luta principal que seria entre Jon Jones e Daniel Cormier, válido pelo título dos meios-pesados, por conta de uma lesão do campeão. Menos atrativo que o combate antes marcado, “Mighty Mouse” e Cariaso prometem fazer uma boa luta.

Demetrious Johnson defende mais uma vez seu cinturão dos moscas contra Chris Cariaso, na luta principal do UFC 178 (Foto: MMA Fighting)

Demetrious Johnson defende mais uma vez seu cinturão dos moscas contra Chris Cariaso, na luta principal do UFC 178 (Foto: MMA Fighting)

Os dois devem fazer um combate bastante movimentado, principalmente na luta em pé. Ambos também possuem boa qualidade na luta agarrada, porém o campeão mostra-se cada vez mais confiante e menos vulnerável na sua defesa, aliado à sua velocidade incomum dentro do octógono. Cariaso terá que tomar iniciativa, mas se deixar a luta se alongar para mais de três rounds, dificilmente derrotará o campeão no aspecto físico, no qual é franco favorito para manter o cinturão.

Bons combates no card principal

Na co-luta principal, um combate que promete ser não somente o melhor da noite, mas também do ano. Eddie Alvarez finalmente assinou com o UFC após viver impasse no Bellator, onde inclusive era o campeão dos leves e fazer lutas memoráveis no evento e encara o inspirado Donald Cerrone. “The Cowboy” vem de quatro triunfos seguidos (ou por nocaute ou por finalização), vem mostrando grande volume de luta e agressividade tanto em pé quanto no chão. Já Alvarez possui um currículo respeitável e era o lutador dos sonhos do UFC. Um combate de difícil prognóstico de quem vence, porém o show que os dois darão no octógono será garantido.

Ainda, no card principal, dois atletas quem vêm se provocando nas redes sociais e que estão em ótima fase. Conor McGregor, talvez o nome mais comentado dentro do evento, mede forças com Dustin Poirier, que vem demonstrando uma melhora na luta em pé. E McGregor é um lutador que vai para frente, utiliza golpes de caratê e aplica boas quedas.

Dustin Poirier e Conor McGregor fizeram encarada intensa após o media day (Foto: Divulgação)

Dustin Poirier e Conor McGregor fizeram encarada intensa após o media day (Foto: Divulgação)

Pelos médios, Yoel Romero, a sensação cubana do wrestling, enfrenta Tim Kennedy, exímio grappler, e ambos vêm melhorando a parteem pé. Abrindo o card principal, Cat Zingano volta ao octógono após mais de um ano sofrendo de contusões nos joelhos e mede forças com a brasileira Amanda Nunes, que vive grande fase. Quem vencer provavelmente terá o title shot para encarar a campeã Ronda Rousey.

Após três anos sem lutar e vivendo com lesões, Dominick Cruz volta ao octógono

No card preliminar, o grande destaque é a volta de Dominick Cruz, ex-campeão dos galos, que finalmente se recuperou de lesões que o atormentaram ao longo de três anos, sem poder pensar em combate. Agora número 12 do ranking, ele encara o japonês Takeya Mizugaki, número cinco da categoria. Outras boas lutas do card preliminar são Jorge Mavidal contra James Krause, pelos leves , e Patrick Côté contra Stephen Thomson, pelos meio-médios.

Confira o card do UFC 178, em Las Vegas:

CARD PRINCIPAL

Demetrious Johnson x Chris Cariaso
Donald Cerrone x Eddie Alvarez
Conor McGregor x Dustin Poirier
Tim Kennedy x Yoel Romero
Cat Zingano x Amanda Nunes

CARD PRELIMINAR

Dominick Cruz x Takeya Mizugaki
Jorge Masvidal x James Krause
Patrick Cote x Stephen Thompson
Brian Ebersole x John Howard
Kevin Lee x Jon Tuck
Manny Gamburyan x Cody Gibson

POSTADO POR: Cadu Bruno às 11:27