Arquivo do autor:Cadu Bruno

24 out

Torcida brasileira dá péssimo exemplo e insulta Conor McGregor

Por Rodrigo Tannuri

Quando foi anunciado que o ilustre Conor McGregor viria ao Rio de Janeiro participar da programação do UFC 179, a imprensa especializada e boa parte dos fãs do esporte se animaram com a notícia. Com seu jeito peculiar, muitas vezes extravagante, e com uma oratória que poucos lutadores possuem, o pena irlandês ganhou destaque por ser diferenciado e conquistou Dana White, virando queridinho do cartola. No entanto, como de costume, a torcida brasileira não aceita que lutadores de outros países possam ameaçar seus heróis e os tratam como inimigos número um do país.

McGregor se reúne com tradutor e apresentadora

McGregor se reúne com tradutor e apresentadora

O intuito do UFC era bom. A vinda de McGregor foi com única e exclusiva intenção de alavancar o UFC 179. Como o evento é encabeçado por dois penas (José Aldo e Chad Mendes), um terceiro poderia apimentar ainda mais o clima, que não é nada amigável. Contudo, essa rivalidade deveria ficar entre os atletas. Rivalidade essa que muitas vezes nem existe, ou seja, é criada/forçada para promover determinados combates. É exatamente isso que grande parte do público leigo não entende. O que era para ser algo produtivo, virou motivo de vergonha mundial. As perguntas que seriam para o carismático irlandês viraram ataques contra o mesmo. As formas foram as mais variadas possíveis.

McGregor responde aos fãs

McGregor responde aos fãs

A falta de educação e cortesia foi tamanha, que até mesmo a jornalista e apresentadora Paula Sack teve que interferir, pedindo que o público respeitasse o convidado. Se isso foi atendido? Não. A quantidade de impropérios só aumentava. Entre eles, termos como frango, gay e cabelo de Xuxa puderam ser notados. Outros indivíduos questionaram as habilidades do lutador e, pasmem, inclusive, o desafiaram. Alguns, ainda mais exaltados, xingaram seus familiares, dizendo que a mãe de Conor era um travesti.

>>> Aldo e Mendes fazem encarada amistosa e batem peso

Quando outros, lúcidos, tentavam perguntar algo sério, eram logo abafados por insultos. Sim, esse foi o nível do circo. Por sorte, o tradutor teve presença de espírito para não traduzir certas coisas. Para não dizer que tudo foi ruim, o próprio McGregor (sempre ele), salvou o show. Mostrando desenvoltura, “The Notorious” não pareceu ligar para o clima hostil que se criou e até brincou (elogiando as mulheres), mas, quando teve oportunidade, se vingou, alfinetando Aldo, Dennis Siver e a torcida brasileira.

Tradutor teve trabalho com as perguntas do público e poupou McGregor

Tradutor teve trabalho com as perguntas do público e poupou McGregor

Vocês podem pensar: “todos sabem como a torcida daqui funciona” ou “ele já deveria imaginar o que estava por vir”. Mas tais afirmações são erradas. Uma coisa é “saudar” os estrangeiros com o já batido “Uh, vai morrer!”, outra, bem diferente, é agredir e se comportar de forma animalesca. McGregor é sim polêmico e, por isso, tentam ligar a imagem dele a de Chael Sonnen, só que o irlandês jamais voltou seu trash talk para o Brasil ou para a população local.

É por essas e outras que os eventos do UFC no Brasil contam com uma infinidade de atletas nacionais, mesmo boa parte deles tendo baixo nível técnico. Já imaginaram qual seria a reação do público a um card repleto de estrangeiros? Sinceramente, não quero nem pensar. Hoje, o comportamento da torcida, que antes era conhecida por dar show, foi extremamente agressivo e desagradável. Para muitos, enojante e algo que dificilmente será esquecido.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:20
24 out

Motivado por lutar “em casa”, Fabrício Morango avisa: “Vai ser difícil me vencer na minha área”

Escalado para o aguardado card do UFC 179, que acontece neste sábado (25), no Ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro (RJ), Fabrício Morango irá reviver a emoção de lutar em seu país. O lutador, que não atua no Brasil desde outubro de 2006, vai contar com uma animada torcida para o duelo contra o norte-americano Tony Martin, válido pelos pesos leves (70kg). A caminho de seu sexto combate no UFC, Morango quer aproveitar a energia positiva e a empolgação do público para voltar a trilhar um caminho de vitórias. Apesar de ter demonstrado uma nítida evolução em seu jogo, o brasileiro, que não entra em ação desde dezembro do ano passado, vem de duas derrotas consecutivas na maior organização de MMA do planeta.

Radicado há alguns anos nos Estados Unidos, onde mantém sua base de treinamentos, o atleta entende a necessidade de conseguir um resultado positivo já neste combate. Para isso, resolveu replanejar todo o seu processo preparatório e dar mais ênfase na parte física. A visível melhora na parte em pé demonstrada em suas últimas apresentações serve como alento e motivação para o experiente lutador de 35 anos.

Fabrício Morango encara Tony Martin na primeira luta do UFC 179 (Foto: Divulgação)

Fabrício Morango encara Tony Martin na primeira luta do UFC 179 (Foto: Divulgação)

“Realmente, o resultado não foi o esperado nessas últimas lutas. Eu foquei muito na parte em pé e vi que mostrei uma melhora considerável, mas dessa vez eu procurei treinar todos os aspectos e dei uma prioridade na parte de preparação física. Os treinos na Kings MMA tem sido fundamentais pra essa evolução. Me cerquei dos melhores sparring pra evoluir em todas as partes do meu jogo”.

Nascido e criado na cidade do Rio de Janeiro (RJ), Morango comemora a oportunidade de lutar diante de seus amigos e familiares. Conceituado faixa preta de jiu-jitsu, ele revela que lutar no Maracanãzinho vai ser realização de um grande sonho e lembra que foi na Gracie Tijuca, a apenas alguns minutos do tradicional ginásio, que deu seus primeiros passos nas artes marciais.

“Sem dúvida. Vai ter um sabor especial lutar em casa. Eu sou criado no Méier (tradicional bairro na Zona Norte do Rio) e treinei a minha vida inteira na Gracie Tijuca, que fica a algumas quadras do Maracanã. Lembro de muitas passagens nesse estádio onde aconteceram lutas antológicas, como Rickson Gracie x Zulu, Amaury Bitteti x Mestre Hulk, dentre outras. Então, pra mim é como um sonho que se realiza. Lutar diante da minha família, amigos e fãs no bairro em que comecei minha trajetória. Estou muito motivado e na minha área vai ser difícil de me vencer”.

Com um cartel de 14 vitórias e oito derrotas, Fabrício Morango pretende impor o seu jogo e garante estar preparado para uma luta dura. “Antes de mais nada, acho que estou buscando uma evolução como atleta e o fato de precisar dessa vitória faz com que eu tenha que vencer onde quer que a luta transcorra. Sei que ele vem de derrota e vou explorar suas deficiências e jogar em cima das possibilidades que surgirão na luta. Estou pronto pra uma guerra e estarei preparado para tudo”, concluiu.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 9:07
24 out

Pesagem UFC 179: Aldo e Mendes fazem encarada amistosa; McGregor provoca e torcida xinga o irlandês

Por Leo Salles

Nesta sexta-feira aconteceu a pesagem oficial para o UFC 179, no ginásio do Maracanãzinho, e o clima entre os lutadores foi de tranquilidade. José Aldo e Chad Mendes, que meses antes haviam trocado empurrões após uma encarada, dessa vez se entreolharam amistosamente e ambos atingiram o peso da categoria (65,8 kg). Aldo, inclusive, por pouco não bateu o peso, chegando a pedir por uma toalha e subir nu à balança.

Três lutadores não bateram o peso de suas respectivas divisões (Fabrício Morango, Tony Martin, que se enfrentam nos meio-médios, e Scott Jorgesen, nos moscas). Porém, na sessão de Perguntas e Respostas, que aconteceu uma hora antes da pesagem, Conor McGregor roubou a cena, provocou José Aldo e a torcida pegou no pé do irlandês.

José Aldo e Chad Mendes fizeram uma encarada tranquila (Foto: Leo Salles)

José Aldo e Chad Mendes fizeram uma encarada tranquila (Foto: Leo Salles)

O evento começou às 13h15 em ponto, com os fãs interagindo em um dos acessos do Maracanâzinho com a apresentadora Paula Sack e o jornalista Marcelo Alonso. Ele contou histórias das fotos que estavam expostas de combates que ele fotografou ao longo de mais de 20 anos de carreira. Além disso, distribuiu livros para os fãs e alguns deles foram agraciados com ingressos para assistir ao evento de sábado.

Confira fotos do evento da pesagem oficial do UFC 179

A seguir, as ring girls Jhenny Andrade e Camila Oliveira e os lutadores Rafael dos Anjos, Erick Silva e Urijah Faber deram autógrafos e tiraram fotos com os fãs, sempre com simpatia e solicitude. Às 15h, começou um dos mais aguardados momentos: o Perguntas e Respostas com o polêmico peso-pena Conor McGregor, que veio ao Brasil para assistir o UFC 179 e possivelmente será o próximo desafiante da categoria. A torcida brasileira vaiou incessantemente durante os 40 minutos em que o irlandês esteve presente, sempre provocando e com palavras fortes contra seus adversários. A apresentadora Paula Sack pedia calma e respeito aos fãs, mas pouco adiantou.

Conor McGregor provocou  José Aldo e a torcida xingou e vaiou o irlandês (Foto: Leo Salles)

Conor McGregor provocou José Aldo e a torcida xingou e vaiou o irlandês (Foto: Leo Salles)

A última parte, a pesagem oficial, foi tranquila durante boa parte, com um grande público presente no ginásio. Algumas encaradas intensas, como as de Glover Teixeira e Phil Davis, Wlliam Patlino e Neil Magny e Darren Elkins e Lucas Mineiro se destacaram, mas sem necessitar da intervenção do presidente do UFC, Dana White.

O UFC 179 tem início amanhã às 21h (de Brasília) e o card principal tem previsão de começo à meia-noite.

UFC 179

CARD PRINCIPAL

Peso-pena (até 65,8kg): José Aldo (65,8kg) x Chad Mendes (65,8kg)
Peso-meio-pesado (até 93,4kg): Glover Teixeira (93kg) x Phil Davis (93kg)
Peso-meio-pesado (até 93,4kg): Fábio Maldonado (93kg) x Hans Stringer (93,4kg)
Peso-pena (até 66,3kg): Darren Elkins (65,8kg) x Lucas Mineiro (66,2kg)
Peso-leve (até 70,8kg): Diego Ferreira (70,8kg) x Beneil Dariush (70,8kg)

CARD PRELIMINAR

Peso-meio-médio (até 77,6kg): William Patolino (77,1kg) x Neil Magny (77,6kg)
Peso-leve (até 70,8kg): Yan Cabral (70,8kg) x Naoyuki Kotani (70,3kg)
Peso-mosca (até 57,2kg): Scott Jorgensen (58,1kg) x Wilson Reis (56,7kg)
Peso-pena (até 66,3kg): Felipe Sertanejo (66,2kg) x Andre Fili (66,2kg)
Peso-leve (até 70,8kg): Gilbert Durinho (70,3kg) x Christos Giagos (70,8kg)
Peso meio-médio (até 71,7kg): Fabrício Morango (71,7kg) x Tony Martin (71,2kg)

POSTADO POR: Cadu Bruno às 7:54
24 out

‘Nostradamus do MMA’ prevê os vencedores do UFC 179, no Rio de Janeiro

Meus amigos proféticos do MMA! Finalmente vou voltar aos meus trabalhos zodiacais! Não aguentava mais esse hiato de quase três semanas sem lutas do UFC. Por isso, a mandinga está preparada para o nosso UFC 179, na Cidade Maravilhosa, no templo sagrado do MMA, o Maracanãzinho, com o combate para a história entre o campeão do povo, José Aldo, e Chad Mendes, a revanche! Os zagallinhos de plantão vão pirar com a brasileirada em ação!

Antes das previsões, um aviso importante: acertei 7 de 11 combates do UFC Fight Night 53, na Suécia, e 10 de 12 lutas do UFC Fight Night 54, no Canadá! Eu sinistro, moçada do MMA! Rick Story surpreendeu a todos com excelente atuação sobre o ex-invicto Gunnar Nelson e Rory McDonald se colocou de vez como o próximo desafiante dos meio-médios ao cinturão, ao triturar o perigoso Tarec Saffiedine.

Na luta principal, o nosso José Aldo Júnior vai defender seu cinturão pela sétima vez no UFC novamente contra Chad Mendes, que merecidamente ganhou a chance de desafiar o campeão após vitórias mais do que convincentes e aniquiladoras. Aldo, com seus chutes baixos e metralhadora nos braços; Mendes, com seu wrestling categórico e poder de nocaute avassalador, mais do que nunca. Quem leva essa, meus amigos proféticos?

Nostradamus do MMA

Na co-luta principal, o rapaz de Sobrália, Glover Teixeira, encara um perigoso adversário, bom de grappling e quase brasileiro, Phil Davis, pelos meios-pesados. Glover vem de derrota para o campeão Jon Jones e Davis vem de resultado negativo para Anthony Johnson. Ambos não querem amargar outra derrota. E essa aí, quem vence?

Ainda, no card principal, o caipira de aço Fábio Maldonado enfrenta Hans Stringer, pelos meios-pesados, e com certeza show não vai voltar nesse combate. Lucas Mineiro faz luta importante, para subir no ranking dos penas, contra o americano Darren Elikins. E Carlos Diego Ferreira, invicto na carreira e em grande fase, mede forças com Beneil Dariush, pelos leves.

No card preliminar, a brasileirada estará em ação, para a graça dos zagallinhos gritando “Uh, vai morrer!”. Destaques para William Patolino, que encara Neil Magny, pelos meio-médios; Wilson Reis mede forças com Scott Jorgesen, pelos moscas; e Felipe Sertanejo enfrenta Andre Fili, pelos penas.

Moçada do MMA, minha macumba celestial, diretamente da Estrela de Andrômeda, está mais do que especial. Até porque o evento será em terras brasilis, onde os lutadores tupiniquins vão fazer a alegria da torcida zagallística (ou não). Preparem o suco de groselha, os petiscos, porque meu poder de adivinhação está na ponta dos cascos.

Munrá!

UFC 179

CARD PRINCIPAL

José Aldo x Chad Mendes
Glover Teixeira x Phil Davis
Fábio Maldonado x Hans Stringer
Darren Elkins x Lucas Mineiro
Carlos Diego Ferreira x Beneil Dariush

CARD PRELIMINAR

William Patolino x Neil Magny
Yan Cabral x Naoyuki Kotani
Wilson Reis x Scott Jorgensen
Felipe Sertanejo x Andre Fili
Gilbert Durinho x Christos Giagos
Fabrício Morango x Tony Martin

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:52
24 out

UFC 179: Aldo luta para defender seu cinturão e pelo futuro do MMA no Brasil

Por Rodrigo Tannuri

Apesar de não ser um evento numerado estelar, o UFC 179 possui uma série de lutas interessantes. É bem verdade que a maioria não conta com a presença de atletas renomados, mas os escalados podem e devem proporcionar um bom espetáculo aos fãs presentes no Maracãnazinho. Por falar nisso, o palco será o substituto da já tradicional HSBC Arena. O main event será protagonizado pelos penas José Aldo e Chad Mendes, em uma revanche que promete ser explosiva. No co-main event, Glover Teixeira e Phil Davis rivalizam para se reaproximarem do status de desafiante dos meio-pesados. O Canal Combate inicia a cobertura do UFC 179 a partir das 19h.

Aldo e Mendes têm novo encontro, agora no Maracanãzinho

Aldo e Mendes têm novo encontro, agora no Maracanãzinho

Na luta principal, José Aldo colocará seu cinturão dos penas em jogo pela nona vez. O adversário é um velho conhecido, Chad Mendes. No primeiro encontro, em 2012, no Rio de Janeiro, o brasileiro venceu ao acertar uma joelhada no primeiro round, porém se engana quem pensa que o combate foi fácil. Agora, mais uma vez na cidade maravilhosa, a revanche possui contornos diferentes e alguns fatores causam preocupação. Primeiro, mesmo sendo um campeão dominante, José Aldo não desperta tanta atenção do público.

Atuando de forma burocrática e sendo bastante discreto fora do esporte, o brasileiro não é visto com bons olhos pelo UFC, que está preparando uma série de lutas perigosas para ele. Não é de hoje que Aldo vem sendo criticado por apenas fazer o básico, que contrasta com a agressividade que mostrava quando surgiu no esporte. Segundo, o americano, na época conhecido apenas por seu Wrestling e condicionamento físico, atualmente, é dono de uma trocação bem poderosa. Terceiro, o empurrão que Aldo deu no rival, na tradicional encarada, com a justificativa de promover a luta, não pegou bem para ele. Tanto é que o oponente não gostou, Dana White reprovou e os fãs não deixaram barato. Quarto, o surgimento do fenômeno Conor McGregor parece ter ofuscado ambos, já que tanto Aldo quanto Mendes falam muito mais sobre o irlandês do que do novo confronto entre eles. Resumindo, não esperem um embate fácil. Pelo contrário, Mendes está mordido e é um dos poucos que podem bater de frente com o brasileiro. Se Aldo bobear e achar que é intocável, pode cair e feio do cavalo.

José Aldoe Chad Mendes fizeram uma encarada amistosa no treino aberto para o UFC 179 (Foto: Leo Salles)

José Aldoe Chad Mendes fizeram uma encarada amistosa no treino aberto para o UFC 179 (Foto: Leo Salles)

No co-main event, apesar de virem de derrotas, os meio-pesados Glover Teixeira e Phil Davis seguem com prestígio com a organização e com os fãs. Apesar de ser muito competente e adorar lutar no Brasil, já que ainda não perdeu no país, o americano sabe que tem uma tarefa duríssima. A especialidade de “Mr. Wonderful” é o Wrestling e o Jiu-Jitsu, contudo, Glover, geralmente, consegue frustrar as investidas dos rivais, sendo difícil de ser quedado. Em pé, o brasileiro é bem superior, mais poderoso e, se tudo der certo, o público pode ver um daqueles nocautes clássicos. Quem perder ficará bem distante de lutar pelo cinturão. Também pelos meio-pesados, Fábio Maldonado encara Hans Stringer, buscando se recuperar do papelão feito contra Stipe Miocic. No entanto, o holandês, mesmo não sendo muito conhecido, não é presa fácil. O “Caipira de Aço” é melhor no Boxe, mas nas outras áreas deixa a desejar.

Pelos penas, Darren Elkins e Lucas “Mineiro” fazem o popular confronto de estilos. O wrestler americano fará de tudo para quedar o adversário e o striker brasileiro terá a clara intenção de nocautear o rival. Mesmo lutando no Brasil, Elkins é favorito, até porque é mais experiente e melhor condicionado, porém “Mineiro” não está morto e tem sim chances de surpreender. Na abertura do card principal, os especialistas em Jiu-Jitsu, Carlos Diego Ferreira e Beneil Dariush devem fazer um duelo mais agarrado. Como o brasileiro é mais completo, tem tudo para levar a melhor na trocação e seguir invicto no MMA.

O card preliminar possui alguns atrativos. A luta entre os meio-médios William “Patolino”, finalista do TUF Brasil 2, e Neil Magny e o choque entre os penas Felipe “Sertanejo” e Andre Fili se destacam. Na primeira, o brasileiro, com seu estilo agressivo e provocador, busca subir alguns degraus no ranking, mas deve ter cuidado, já que o americano venceu quatro seguidas e está mais confiante do que nunca. “Patolino” deve dosar seu ímpeto, porque, se cair para dentro, Magny usará seu Jiu-Jitsu, podendo finalizar a luta com facilidade. Na segunda, os fãs podem esperar uma verdadeira guerra, que já é uma das candidatas a melhor luta da noite. “Sertanejo” e Fili são dois atletas que partem para cima e isso é tudo que os fãs esperam ver. Os leves Gilbert “Durinho”, invicto no MMA, e Yan Cabral, especialistas em Jiu-Jitsu, devem confirmar o favoritismo, vencendo por finalização.

Confira as lutas do UFC 179:

CARD PRINCIPAL

José Aldo x Chad Mendes
Glover Teixeira x Phil Davis
Fábio Maldonado x Hans Stringer
Darren Elkins x Lucas “Mineiro”
Carlos Diego Ferreira x Beneil Dariush

CARD PRELIMINAR

William “Patolino” x Neil Magny
Yan Cabral x Naoyuki Kotani
Scott Jorgensen x Wilson Reis
Felipe “Sertanejo” x Andre Fili
Gilbert “Durinho” x Christos Giagos
Fabrício “Morango” x Tony Martin

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:51
23 out

Treino aberto do UFC tem tietagem dos fãs e simpatia dos lutadores em solo sagrado das lutas

Por Leo Salles

O UFC realizou nesta quinta-feira o treino aberto do UFC 179 para os fãs e imprensa dentro do solo sagrado do futebol, o Estádio do Maracanã. Solo sagrado apenas do futebol? Não, lugar também importante para a história do MMA, através da grande luta de vale-tudo protagonizada por Hélio Gracie e o japonês Masahiko Kimura. Foi exibido um vídeo nos telões sobre esse combate que entrou para a história das lutas, há exatos 63 anos. Porém, o que os fãs mais queriam ver eram os lutadores brasileiros do UFC e vaiar os dois principais adversários: Chad Mendes e Phil Davis.

O bom público presente no Setor Norte do estádio estava empolgado desde o começo, cantando músicas de apoio aos brasileiros. José Aldo, único brasileiro dono de um cinturão do UFC atualmente, era o preferido dos fãs, que entoavam musiquinhas como “Ilari, Ilariê, Zé Aldo” e “Vai pra cima dele Aldo”. Apesar do sol escaldante, os guerreiros do MMA estavam sorridentes e atentos aos jornalistas e fãs, que pediam incessantemente para tirar fotos.

Confira a galeria de fotos do treino aberto do UFC 179

José Aldo e Chad Mendes fizeram uma encarada amistosa no treino aberto para o UFC 179 (Foto: Leo Salles)

José Aldoe Chad Mendes fizeram uma encarada amistosa no treino aberto para o UFC 179 (Foto: Leo Salles)

José Aldo estava estonteante com o carinho do público. Ele pedia para a torcida cantar seu nome enquanto treinava e foi simpático com os fãs, prometendo acabar com o americano. Na encarada entre os dois, mais respeito e cordialidade, já que a mediadora do face a face foi Grace Tourinho, diretora-geral do UFC no Brasil. Além de Aldo e Mendes, Glover e Davis também fizeram uma encarada amistosa.

Glover Teixeira e Phil Davis foram outros protagonistas a se encararem no treino aberto (Foto: Leo Salles)

Glover Teixeira e Phil Davis foram outros protagonistas a se encararem no treino aberto (Foto: Leo Salles)

Glover e Davis, inclusive, foram participativos nas fotos com os fãs e mostraram-se solícitos. O americano, apelidado de “Mr.Wonderful” deu um show à parte, arriscando várias palavras em português enquanto era entrevistado pela apresentadora Paula Sack e foi um dos que tiveram o nome mais gritado no evento.

Os lutadores que estiveram presentes no treino aberto foram Gilbert Durinho (médio), William Patolino (meio-médio), Fábio Maldonado (meio-pesado), Phil Davis (meio-pesado), Glover Teixeira (meio-pesado), Chad Mendes (pena) e José Aldo (pena). Cada um teve cerca de cinco minutos para se apresentar.

Nesta sexta-feira o UFC realiza a pesagem dos atletas a partir das 16h (de Brasília) e no sábado o UFC 179 começa a partir das 21h, com o card principal tendo previsão de início à meia-noite.

UFC 179

CARD PRINCIPAL

José Aldo x Chad Mendes
Glover Teixeira x Phil Davis
Fábio Maldonado x Hans Stringer
Darren Elkins x Lucas Mineiro
Diego Ferreira x Beneil Dariush

CARD PRELIMINAR

William Patolino x Neil Magny
Yan Cabral x Naoyuki Kotani
Wilson Reis x Scott Jorgensen
Felipe Sertanejo x Andre Fili
Gilbert Durinho x Christos Giagos
Fabrício Morango x Tony Martin

POSTADO POR: Cadu Bruno às 9:08
22 out

Felipe Sertanejo, Thomas Almeida e Allan Puro Osso treinam na Praia de Copacabana

Três dos mais talentosos atletas de MMA do Brasil na atualidade são de São Paulo, mas nesta terça-feira, dia 21 de outubro, eles trocaram os tatames da maior cidade da América Latina pela areia da praia de Copacabana, um dos principais cartões postais do mundo. Felipe Sertanejo, Thomas Almeida e Allan Puro Osso fizeram uma sessão promocional de treinamento ao ar livre, organizada por seus patrocinadores, enquanto se preparam para seus compromissos no UFC e XFC.

Felipe Sertanejo encara Andre Fili no card principal do UFC 179 (Foto: Divulgação)

Felipe Sertanejo encara Andre Fili no card principal do UFC 179 (Foto: Divulgação)

Sertanejo, atleta patrocinado pela Integralmédica Suplementos Nutricionais, luta neste sábado, dia 25, no UFC 179, contra o norte-americano Andre Fili, pela categoria peso-pena (até 66,1kg), no card preliminar. Allan “Puro Osso” Nascimento, patrocinado pela MKS Combat Gear, faz a luta principal do XFCi 7, no dia 1º de novembro, no ginásio do São Paulo Futebol Clube, na capital paulista, contra o ucraniano Ruslan Abiltarov. Já Thomas Almeida, também membro do time patrocinado pela MKS, tem estreia marcada no octógono do Ultimate para o dia 8 de novembro, em Uberlândia, no UFC Fight Night 56, contra Tim Gorman, carregando cartel invicto de 17 vitórias, com o posto de maior promessa da atualidade.

Tanto Thomas quanto Allan estão no Rio de Janeiro para auxiliar na reta final de treinos de Felipe Sertanejo e Lucas Mineiro, que enfrenta Darren Elkins no card principal do UFC 179.

UFC 179

CARD PRINCIPAL

José Aldo x Chad Mendes
Glover Teixeira x Phil Davis
Fábio Maldonado x Hans Stringer
Darren Elkins x Lucas Mineiro
Carlos Diego Ferreira x Beneil Dariush

CARD PRELIMINAR

William Patolino x Neil Magny
Yan Cabral x Naoyuki Kotani
Wilson Reis x Scott Jorgensen
Felipe Sertanejo x Andre Fili
Gilbert Durinho x Christos Giagos

POSTADO POR: Cadu Bruno às 5:35
16 out

Sheymon Moraes se prepara para estreia no WSOF e afirma: “Serei o melhor”

os 23 anos, Sheymon Moraes é visto como um das maiores esperanças brasileiras no MMA internacional. Dono de um cartel com seis vitórias e nenhuma derrota, o jovem lutador assinou contrato com o World Series of Fighting, em maio deste ano. Após alguns meses de espera, o niteroiense fará sua aguardada estreia contra o peso-galo (61 kg) Josh Hill na 16a edição do evento, que acontece no dia 13 de dezembro, nos Estados Unidos. Apesar da pouca idade, Sheymon já pode ser considerado um lutador tarimbado. Ele ganhou reconhecimento ao realizar mais de 60 lutas de muay thai na Ásia e ao ser escolhido como um dos treinadores do time de Rodrigo Minotauro na segunda edição do reality show The Ultimate Fighter Brasil.

Sem lutar desde abril, quando nocauteou, com menos de um minuto, Felipe Alves no Nitrix 20, Sheymon revela que estava ansioso pelo anúncio de sua primeira luta internacional. Focado em vencer e convencer em sua primeira apresentação na nova organização, ele detalhou como estão sendo realizados os seus treinamentos na Tailândia.

Sheymon Moraes encara Josh Hill no WSOF 16 (Foto: Divulgação)

Sheymon Moraes encara Josh Hill no WSOF 16 (Foto: Divulgação)

“Estou muito feliz e motivado, não aguentava mais ficar esperando para fazer essa estreia no WSOF. Meu foco principal no momento é treinar bem para chegar bem preparado no dia 13 de dezembro e trazer mais essa vitória. Depois, sem dúvidas, quero o cinturão e, se Deus quiser ele será meu. Os treinos aqui (na Tailândia) estão excelentes, além do muay thai, estou dando muita ênfase nos treinos de submission e de wrestling. A cada treino estou sentindo a minha evolução, chegarei muito bem preparado para este combate”, comentou.

Sempre confiante, o lutador, que é apoiado pela Analítica Farmácia de Manipulação, analisou as características do próximo oponente, que tem uma trajetória invicta até o momento, com 10 vitórias, sendo seis delas por decisão. O imponente cartel de Josh Hill não assusta o brasileiro, que reafirmou sua vontade de se tornar, em breve, o melhor lutador de sua divisão.

“O Josh Hill é um wrestler que tem alguns nocautes e finalizações, participou do TUF Honda vs Miesha, mas perdeu na segunda luta e tem aquele jogo chato de wrestler. Sem dúvidas, quem ganhar esse combate será o desafiante ao título, mas eu não entrei no WSOF para ser considerado um dos melhores da categoria, eu vou ser o melhor, se Deus quiser”

Acostumado a lidar com grandes desafios, o atleta do Team Nogueira diz não temer nenhum de seus adversários na divisão de peso e confia em sua força de vontade para atingir com sucesso todos os seus objetivos. “A categoria tem grandes atletas, cada um com sua qualidade, vou passar por cima de quem entrar no meu caminho, sei o que quero e o onde vou chegar. Nada vai me parar ou atrapalhar a concluir partes das minhas metas. Eu costumo a dizer ‘se eu sonho ou tenho como meta é porque sou capaz de conseguir’. Só depende de mim e não do que os outros acham ou pensam”, concluiu.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 1:29