Arquivo do autor:Cadu Bruno

19 set

UFN 52: Hunt e Nelson prometem abalar as estruturas da Saitama Super Arena

Por Rodrigo Tannuri

O UFC está de volta ao Japão. A Saitama Super Arena será palco de mais um evento da organização, dessa vez o UFN 52, e contará com 12 lutas. Essa é mais uma oportunidade para quem sente saudade do Pride reviver belos momentos do esporte. O main event é composto pelos gordinhos mais populares do MMA, Roy Nelson e Mark Hunt. A lenda japonesa Takanori Gomi e o veterano Yoshihiro Akyiama também marcam presença no card. O Canal Combate transmitiá o evento a partir de uma da manhã, na madrugada de sexta-feira para sábado.

Main event: Hunt e Nelson se encaram

Main event: Hunt e Nelson se encaram

Na luta principal, se tem uma palavra que define o duelo entre os pesados Roy Nelson e Mark Hunt essa palavra é poder. O gordinho americano, vencedor do TUF 10, sempre foi confiante, mas, após ter surrado “Minotauro”, está ainda mais, chegando a dizer que a revanche com Fabrício Werdum será diferente e que tem tudo para nocautear Cain Velasquez. Se isso se concretizará, não sabemos, mas, de fato, “Big Country” tem socos devastadores, principalmente seu overhand, e um queixo que aguenta todo tipo de golpe. Caso decida mudar de estratégia, Nelson pode utilizar seu Jiu-Jitsu, já que na luta agarrada leva uma boa vantagem. Por outro lado, Hunt é muito querido no continente asiático e é um dos poucos ex-lutadores do Pride com sucesso hoje em dia. Sua especialidade é a trocação e ele também possui um queixo bastante resistente. O problema é que lutará pela primeira vez no ano, não poderá mais fazer uso do TRT e, por mais fácil que seja bater o peso dos pesados, já que o limite é de 120 kg, o lutador teve sérios problemas. Com tudo isso, dá para apontar Nelson com um ligeiro favoritismo, mas, em luta de pesado isso não conta muito.

Pelos leves, em um duelo entre o passado e o futuro, Takanori Gomi tentará fazer de tudo para repetir suas empolgantes atuações de outrora, na Saitama Super Arena. O ex-campeão do Pride é uma lenda e, na época, assustava os adversários, porém, atualmente, “The Fireball Kid” não passa de um mediano da categoria. Seu nome e legado permanecem intactos, mas Myles Jury, invicto no MMA, entra com muito favoritismo. O americano é mais completo, versátil, preparado e está faminto para colocar mais um renomado lutador em seu cartel.

No entanto, nem tudo é motivo para se comemorar no UFN 52. Os meio-médios Yoshihiro Akiyama e Amir Sadollah fazem um dos combates mais desinteressantes dos últimos tempos, mais conhecido como a volta dos que não foram. É bem verdade que o veterano japonês é muito popular e querido no país, mas vem de quatro derrotas seguidas e o americano, apesar de ter vencido o TUF 7, também é outro que nunca almejou nada no MMA. Ambos não lutam desde 2012 e, no atual momento dos meio-médios, são pesos mortos na divisão.

Pelos galos femininos, Miesha Tate, grande nome do WMMA, mas que ainda não empolgou no UFC, terá o duro desafio de encarar a estreante japonesa Rin Nakai, invicta no MMA e que lutará em casa. A batalha já é vista como uma das candidatas a melhor luta da noite.

Inaugurando o card principal, Kyoji Horiguchi busca continuar impressionando e subindo no ranking dos moscas. O japonês, de apenas 23 anos, foi uma grata surpresa e é um dos poucos da categoria a possuir poder de nocaute, o que torna as coisas muito mais interessantes para ele e para o público.

Composto por seis lutas, o card preliminar não conta com grandes nomes, mas pelo menos dois atletas e duas lutas merecem atenção. O primeiro deles é o sul-coreano Hyun Gyu Lim, gigante dos meio-médios, que é muito bom, possui um estilo agressivo e é um dos asiáticos mais populares atualmente no MMA. O segundo é o galo Alex Caceres, lutador bastante carismático e que conta com um Jiu-Jitsu bastante justo. As lutas mais interessantes são entre os galos Michinori Tanaka e Kyung Ho Kang, que promete ser uma batalha de grappling, e entre os penas Katsunori Kikuno e Sam Sicilia, que tem tudo para ser uma pancadaria desenfreada.

Confira o card fo UFN 52:

CARD PRINCIPAL

Mark Hunt x Roy Nelson
Myles Jury x Takanori Gomi
Yoshihiro Akiyama x Amir Sadollah
Miesha Tate x Rin Nakai
Kiichi Kunimoto x Richard Walsh
Kyoji Horiguchi x Jon Delos Reyes

CARD PRELIMINAR

Alex Caceres x Masanori Kanehara
Katsunori Kikuno x Sam Sicilia
Hyun Gyu Lim x Takenori Sato
Michinori Tanaka x Kyung Ho Kang
Kazuki Tokudome x Johnny Case
Maximo Blanco x Dan Hooker

POSTADO POR: Cadu Bruno às 3:20
19 set

‘Nostradamus do MMA’ palpita quem vence do UFC Fight Night 52, no Japão

Meus amigos proféticos! O Sol vai nascer e cair primeiro no Japão, terra abençoada das artes marciais, e graças a elas tenho meu emprego de adivinhador! E o UFC volta ao país para o UFC Fight Night 52, com o embate principal entre dois gordinhos sexies e que têm mãos de pelão: Roy Nelson e Mark Hunt.

Antes dos prognósticos, um aviso importante: acertei 8 de 11 lutas do UFC Fight Night 51, em Brasília. O nosso Pezão foi nocauteado e ressucitou um grande nome do MMA, Andrei Arlovski. E foi também um belo espetáculo!

Na luta principal, Roy Nelson vem em grande fase com porradas meteóricas nas fuças dos seus adversários e mede forças com a lenda Mark Hunt, que luta no estilo “matar ou morrer”. Que combate sensacional, moçada! Esse certamente é um autêntico tiro, porrada e bomba. Quem leva?

Nostradamus do MMA

Na co-luta principal, uma lenda do MMA japonês, Takanori Gomi, faz a alegria da torcida contra um atleta invicto da nova geração, Myles Jury, pelos leves, que pode ser o combate da noite. Ainda no card principal, Yoshihiro Akiyama volta ao octógono após dois anos sem lutar e encara Amir Sadollah, que reestreia no evento, pelos médios. Na única luta feminina da noite, Miesha Tate encara um desafio osso duro de roer, a japonesa Rin Nakai, que faz seu debut no UFC e possui cartel invicto. Kiichi Kunimoto encara Richard Walsh, pelos meio-médios, e Kyoji Horiguchi enfrenta Jon Delos Reyes, pelos moscas.

Moçada do MMA, minha concentração para este evento foi intensa! Meu poder de adivinhação está cada vez mais equilibrado e seguro e, por favor, segurem essa macumba, porque ela está especial!

Munrá!

UFC Fight Night 52, em Saitama, no Japão

CARD PRINCIPAL

Mark Hunt x Roy Nelson
Takanori Gomi x Miles Jury
Yoshihiro Akiyama x Amir Sadollah
Miesha Tate x Rin Nakai
Kiichi Kunimoto x Richard Walsh
Kyoji Horiguchi x Jon Delos Reyes

CARD PRELIMINAR
Masenori Kanehara x Alex Caceres
Sam Sicilia x Katsunori Kikuno
Hyun Gyu Lim x Takenori Sato
Michinori Tanaka x Kyung Ho Kang
Kazuki Tokudome x Johnny Case
Dan Hooker x Maximo Blanco

POSTADO POR: Cadu Bruno às 8:18
17 set

Gilbert Durinho comemora chance de lutar UFC 179, no Rio de Janeiro: “É a realização de um sonho”

Após deixar ótima impressão em sua estreia no UFC, quando venceu Andreas Stahl por decisão unânime no UFC on FOX 12, disputado em San José (EUA) no último mês de julho, Gilbert Durinho recebeu da organização a oportunidade de realizar seu próximo combate “dentro de casa”. Natural de Niterói (RJ), o lutador, que descerá para os pesos leves (70kg), enfrenta o norte-americano Christos Giagos no UFC 179, que acontece no dia 25 de outubro no Ginásio do Maracanãzinho, situado no Rio de Janeiro (RJ).

O fato de contar com a torcida ao seu favor motiva ainda mais Durinho, que vê a chance como a realização de um sonho. Ele acredita que a força do público pode ser mais uma importante arma para sair vencedor do duelo.

“Fiquei muito feliz com a notícia, o UFC havia me dito que lutaria em outubro, mas não disse nada sobre o local. Quando vi o card do UFC 179 enchendo, pensei que não entraria, mas no final deu tudo certo e estou muito satisfeito. Vai ser um sonho realizado lutar pelo UFC no Rio de Janeiro, ainda mais no Maracanãzinho. A torcida vai ser “sinistra” como sempre e espero que ele sinta essa pressão. Venho me preparando da melhor forma possível, estou muito confiante e quero muito conquistar essa vitória”, disse.

Gilbert Durinho encara Christos Giagos no UFC 179 (Foto: Divulgação)

Gilbert Durinho encara Christos Giagos no UFC 179 (Foto: Divulgação)

Aos 28 anos, o niteroiense mostra-se completamente adaptado ao UFC. Apesar de ter feito apenas uma luta na organização, o atleta carrega na bagagem o fato de ter acompanhado Vitor Belfort e Cezar Mutante em diversas oportunidades no evento.

“Graças a Deus me sinto bem adaptado. Já estive no evento diversas vezes como córner e agora como lutador. Senti um pouco a pressão da estreia, mas nada que tenha influenciado a minha performance. Estou voltando para minha categoria de origem (pesos leves) e sei que é uma categoria lotada de caras duros, ainda mais nesse momento que está um verdadeiro “berimbolo” (risos). Só tem cara complicado dos top 20 pra cima, está pegando fogo”.

Campeão mundial de kimono e bicampeão mundial sem kimono, Gilbert Durinho vai em busca de sua nona vitória na carreira e, para isso, conta com uma força-tarefa para ajudá-lo. Ciente das qualidades de seu próximo oponente, ele se diz faminto por mais um resultado positivo.

“Sei que ele é um cara bem completo, muito duro em todas as áreas e vem de uma grande vitória por nocaute. Ele está vindo motivado, mas na hora que entra ali no octógono é uma briga de dois leões, e vai ganhar quem estiver mais faminto pela vitória. Estou muito focado e buscando minha evolução a cada treino. Para essa luta, venho treinando muito com o Gesias Cavalcanti, Ed Alvarez e o Alexandre Pimentel, o Pulga. Além deles, todos meus companheiros da Blackzilians e o Vitor (Belfort) vêm me auxiliando bastante”, finalizou o atleta.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 3:38
17 set

Na terceira defesa de cinturão, Dudu Dantas promete ‘liquidar’ Joe Warren

Primeiro brasileiro campeão do Bellator, Dudu Dantas se preparava para fazer sua terceira defesa de cinturão em maio deste ano, quando sofreu uma lesão na cabeça após queda durante um treino e foi vetado da luta pelos médicos. Agora, completamente recuperado, o campeão linear peso-galo (até 61,2kg) encara Joe Warren na principal luta do Bellator 128, dia 10 de outubro, em Oklahoma, nos Estados Unidos. O norte-americano foi nomeado campeão interino pela organização e isso acabou dando início a uma intensa troca de farpas nas redes sociais entre o brasileiro e o norte-americano.

O desentendimento entre ambos começou assim que o Bellator colocou Rafael Morcego no lugar de Dudu na edição 118. Ao vencer o novo postulante brasileiro, Warren disparou que Dantas precisará recuperar o título, já que se considera o verdadeiro campeão da categoria. As declarações irritaram o atleta da Nova União, que garante: fará de tudo para mostrar quem é o verdadeiro dono do cinturão dos galos da organização.

“O Warren é um tremendo falador. Ficou bravo comigo quando disse que ele tomava esteroides e começou a soltar esse monte de besteiras nas redes sociais. Vou entrar no cage para liquidar com ele. Pedi para ele fazer exame antidoping e nunca mais se pronunciou. Não vou perder meu tempo falando. Tenho o que ele não tem, que é o cinturão linear, a vontade de ser campeão, além do meu talento. Vou com tudo. Mostrarei quem é o verdadeiro campeão”, afirma.

Dudu Dantas vai defender o cinturão dos galos no Bellator pela terceira vez (Foto: Divulgação)

Dudu Dantas vai defender o cinturão dos galos no Bellator pela terceira vez (Foto: Divulgação)

Sentindo-se no melhor de sua forma física, Dudu Dantas mais uma vez faz questão de ressaltar a força do camp da Nova União. O carioca, que tem cartel de 16 vitórias e apenas três derrotas e está invicto no Bellator nas seis lutas que disputou, considera também que a rivalidade acirrada por Joe Warren o fez evoluir.

“Pensei muito em tudo o que o Warren falou e só me deu mais motivação. Pedi para meus companheiros me ajudarem ainda mais e fui correspondido. Estou no melhor da minha parte física e técnica. Esse é o meu segredo para nocauteá-lo. Quero ganhar a luta ainda no primeiro round, para ele saber quem é o Dudu. Mentalmente, estou 100% também. Quero e vou dar show nessa disputa de cinturão”, prevê o atleta de 25 anos.

A última vez que Dudu entrou no cage foi em março deste ano, no Bellator 111, quando enfrentou Anthony Leone e assegurou o título por finalização, no segundo round. O norte-americano Joe Warren, que ostenta um cartel de 11 vitórias e três derrotas, aos 37 anos, entrou em ação pela última vez quando venceu Rafael Morcego, em maio deste ano, garantindo o cinturão interino da categoria.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 3:34
17 set

Thomas Almeida comemora anúncio da estreia pelo UFC

Desde a confirmação do contrato com o UFC, em julho, Thomas Almeida vive a expectativa do anúncio de sua primeira luta na organização. Na última quinta-feira, dia 11 de setembro, a organização anunciou que o brasileiro, destaque da Chute Boxe Diego Lima, irá debutar no Brasil, dia 8 de novembro, no UFC Fight Night 56, em Uberlândia (MG), em duelo válido pelos pesos-galos (até 61,2kg). O rival de Thominhas, como é conhecido, será Tim Gorman, que fará o segundo combate no Ultimate, depois de perder na estreia, em abril deste ano, na decisão unânime dos juízes.

Thomas Almeida estreia no UFC cercado de expectativas, graças a seu impressionante cartel. Com apenas 23 anos, o paulista venceu todos os 17 confrontos que fez no MMA e já vinha chamando a atenção dos organizadores do Ultimate há algum tempo, até, enfim, carimbar o passaporte para a franquia ao bater Caio Machado, no Legacy Fighting Championship 32, em junho, garantindo o cinturão dos galos com seu 13º nocaute, o 11º no primeiro no primeiro round.

Thomas Almeida foi contratado pelo UFC em julho deste ano (Foto: Divulgação)

Thomas Almeida foi contratado pelo UFC em julho deste ano (Foto: Divulgação)

“Finalmente acabou a espera e vou poder fazer minha primeira luta no UFC. É uma honra e estou empolgado para este confronto. Prometo continuar dando show e sonhando alto. Esse passo é um dos mais importantes da minha carreira”, celebra Thominhas, que ainda mostrou-se empolgado em estar no mesmo card que Mauricio ‘Shogun’ Rua: “A honra será maior ainda em estar no evento que terá o Shogun, uma lenda do MMA, fazendo o evento principal (contra Jimi Manuwa). Saber que ele estará lá, só me dá mais ânimo para mostrar o meu melhor. Tenho certeza que vou fazer meu nome no Ultimate”.

Assim que teve o nome de Tim Gorman anunciado como rival, Thominhas começou a estudar a forma de jogo do rival e aprovou a escolha do Ultimate. Para o paulista, especialista em muay thai, o estilo do norte-americano pode ajudá-lo a desempenhar com mais primazia sua forma de atuar dentro do octógono.

“Pelo que estudei do Gorman, ele é do wrestling e do judô, mas a maioria das lutas que venceu foi por nocaute. Parece que sabe de tudo, troca bem e ainda bota para o chão. Vai ser uma luta legal, um estilo bom que casa com meu jogo e que vai me fazer andar para frente o tempo todo. Sempre busco o nocaute”, comenta, destacando o trabalho feito na academia Chute Boxe: “Todo mundo aqui está dando o gás para me ajudar a trazer uma vitória logo na estreia que será meu primeiro grande passo na organização. Estou preparado e um pouco ansioso já”, finaliza.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 3:27
14 set

UFN 51: Arlovski trucida Pezão e volta a sonhar alto

Por Rodrigo Tannuri

O UFN 51 foi realizado em Brasília, mais precisamente no ginásio Nilson Nelson, mas o evento em si não será lembrado com carinho. Com 11 lutas, sendo muitas delas sem qualquer apelo, ingredientes como falta de emoção e de técnica prevaleceram, ou seja, o público não tem muito o que comemorar. Na luta principal, tivemos um resultado inesperado. Dos brasileiros, os únicos que se salvaram foram Jéssica Andrade e Godofredo Pepey.

Arlovski comemora, após aniquilar Pezão

Arlovski comemora, após aniquilar Pezão

Em 2010, “Pezão” havia vencido Andrei Arlovski por decisão unânime, mas, quatro anos depois, o bielorrusso deu o troco de forma mais doce, vencendo por nocaute e em pleno Brasil. Por lutar em casa, todos esperavam que “Pezão” tomasse a iniciativa, mas o que se viu foi um lutador apático. Arlovski, que não tinha nada a ver com isso, mostrou que seu Boxe segue sendo de alto nível e foi premiado com a vitória e com um dos bônus de performance da noite. Primeiro, acertou um belíssimo direto que levou o oponente à lona, em seguida, encerrou a luta aplicando um ground and pound devastador. Vale lembrar que Arlovski já foi do luxo a lama no MMA. “The Pitbull” já foi campeão dos pesados do UFC e, após um período de resultados ruins, quase se aposentou. Agora, o veterano parece ter se reencontrado e está confiante e disposto para voltar ao topo da divisão.

Não foi fácil, mas Gleison “Tibau”, o brasileiro com mais lutas no UFC, venceu mais uma. Por mais que seu jogo de grappling (quedas + Jiu-Jitsu) seja eficiente, “Tibau” teve problemas ao enfrentar o duro Piotr Hallmann. Inclusive, a luta conquistou o bônus de melhor da noite. O brasileiro é uma espécie de guardião dos leves, ou seja, quem passa por ele pode encarar os tops, quem perde, ficará no limbo. Por mais estranho que seja, esse papel tem sua importância no UFC.

Também pelos leves, Léo Santos, vencedor do TUF Brasil 2, mais uma vez venceu sem impressionar. Dessa vez, a vítima foi Efrain Escudero, vencedor do TUF 8, que está em sua terceira passagem no UFC e, por pouco, não aprontou uma zebra. Por mais que esteja invicto na organização, Léo não possui um estilo atrativo de se ver, é bem discreto e deixa a desejar no aspecto físico, ou seja, sua missão na companhia é integrar cards disputados no Brasil, a não ser que algo mude da água para o vinho.

Ponzinibbio aplica sequência monstruosa em Negão

Ponzinibbio aplica sequência monstruosa em Negão

O confronto entre os meio-médios Santiago Ponzinibbio e o estreante Wendell “Negão” prometia e, realmente, foi espetacular. Os dois atletas guerrearam e levaram o público ao delírio. Wendell, que estava visivelmente emocionado a caminho do octógono, se recompôs e, lá em cima, mostrou estar foco, inclusive, levava vantagem. Contudo, ao receber um fortíssimo golpe do argentino, o brasileiro recuou e não resistiu a avassaladora sequência do oponente.

Apesar de ser favorito, o galo Iuri “Marajó” ganhou de forma controversa. O duelo não foi empolgante, mas Russell Doane foi mais estratégico e teve os melhores momentos. Novamente, os juízes se deixaram influenciar pelo fator local e, infelizmente, tal erro é visto com uma certa frequência.

Abrindo o card preliminar, o que era para ser um duelo equilibrado foi um monólogo. Imprimindo um ritmo forte, Jéssica Andrade não tomou conhecimento e engoliu a estreante Larissa Pacheco. A finalização corresponde a terceira vitória seguida de Jéssica, que se firma no top-10 dos galos femininos. No circuito interno, Larissa estava invicta, mas foi só ir para o UFC para conhecer a primeira derrota, o que comprova que o nível desta organização é completamente diferente das concorrentes.

A luta entre os penas “Pepey”, finalista do TUF Brasil 1, e o estreante Dashon Johnson estava equilibrada, mas, bastou ela ir para o chão, para o Jiu-Jitsu do brasileiro aparecer, prevalecer e lhe render um dos bônus de performance da noite. “Pepey”, que é um especialista no chão, está ganhando cada vez mais confiança em suas habilidades e pode continuar surpreendendo. Pelos meio-médios, Igor Araújo não confirmou o favoritismo e, mesmo no chão, onde teoricamente era superior, sucumbiu ao duro ground and pound de George Sullivan, que segue invicto no UFC. Em um combate equilibrado, o leve “Massaranduba”, um dos astros do TUF Brasil 1, venceu o estreante Leandro “Buscapé”.

A situação do meio-médio Paulo Thiago se complicou de vez. Mesmo lutando no Brasil, o oficial do BOPE foi dominado por Sean Spencer. O pior é que o americano é um atleta liminado, mas, mesmo assim, não teve o menor trabalho para vencer. Ao perder a terceira luta seguida, a quinta nas últimas seis lutas, Paulo Thiago sabe que só se manterá no UFC se acontecer um milagre. Em uma categoria tão disputada e recheada de talentos, um lutador que não se aguenta em pé, realmente, não terá vez.

Johnny Bedford não teve fair-play na primeira luta contra Rani Yahya, falou uma barbaridade, provocou, chegou a ameaçar o brasileiro na pesagem, mas, na hora de resolver as diferenças, no octógono, tremeu. Conhecido por ser um atleta digamos, maldoso, o americano acertou um chute ilegal no rival e, por pouco, a luta não foi cancelada novamente. Após o incidente, o brasileiro, especialista em Jiu-Jitsu, mostrou, mais uma vez, que seu chão é mesmo impecável, não demorando para finalizar o adversário, que já tinha virado inimigo há tempos.

Resultados do UFN 51:

CARD PRINCIPAL

Andrei Arlovski derrotou Antônio “Pezão” por nocaute no 1º round
Gleison “Tibau” derrotou Piotr Hallmann por decisão dividida
Léo Santos derrotou Efrain Escudero por decisão unânime
Santiago Ponzinibbio derrotou Wendell “Negão” por nocaute técnico no 1º round
Iuri “Marajó” derrotou Russell Doane por decisão unânime
Jéssica Andrade derrotou Larissa Pacheco por finalização no 1º round

CARD PRELIMINAR

Godofredo “Pepey” derrotou Dashon Johnson por finalização no 1º round
George Sullivan derrotou Igor Araújo por nocaute no 2º round
Francisco “Massaranduba” derrotou Leandro “Buscapé” por decisão unânime
Sean Spencer derrotou Paulo Thiago por decisão unânime
Rani Yahya derrotou Johnny Bedford por finalização no 2º round

POSTADO POR: Cadu Bruno às 12:17
12 set

‘Nostradamus do MMA’ adivinha quem vence no UFC Fight Night 51, em Brasília

Meus amigos proféticos do MMA! O UFC está de volta ao Brasil, agora na capital, Brasília, para o UFC Fight Night 51, com a luta principal entre Antônio Pezão e Andrei Arlovski, pelos pesados. E uma penca de brasileirinhos vão mostrar seus talentos nesse sabadãoe e o zagallinhos vão pirar!

Antes das previsões, um aviso importante: acertei 6 de 9 lutas do UFC Fight Night 50 da última sexta-feira. O combate entre Charles do Bronx e Nik Lentz foi cancelado, pois o brasileiro estava se sentindo mal. Uma pena, mas mesmo assim meu percentual está alto, moçada!

Antônio Pezão e Andrei Arlovski prometem muito tiro, porrada e bomba nessa luta. Pezão volta após um ano suspenso e Arlovski voltou ao UFC recentemente. Ambos possuem um estilo agressivo, característico da categoria, porém o brasileiro arretado possui mais recursos técnicos, como o jiu-jitsu aifado como vantagem. Quem leva essa, meus amigos proféticos?

Nostradamus do MMA

Na co-luta principal, o funcionário com mais lutas no UFC, Gleison Tibau, finalmente luta na sua terra contra o polonês Piotr Hallmann, pelos leves. Só galera boa de briga! Ainda, no card principal, Léo Santos, camepão do TUF Brasil 2, mede forças com Efrain Escudero, que faz seu retorno ao evento, pelos leves.

Nos meio-médios, o argentino gente boa, Santiago Ponzinibbio, encara um dos nomes mais falados do MMA brasileiro, Wendell Negão, que estreia no UFC. Pelos galos, dois combates eletrizantes: Iuri Marajó enfrenta Russell Doane e no feminino, Jéssica “Bate-Estaca” Andrade mede forças com a estreante ex-campeã do Jungle Fight Larissa Pacheco, de 20 anos.

No card preliminar, mais lutas interessantes. Destaques para o confronto entre os brasucas Francisco Massaranduba e Leandro Buscapé, pelos leves; o brasiliense, o “Caveira” Paulo Thiago contra Sean Spencer, pelos meio-médios; e o segundo combate entre Rani Yahya, também de Brasília, e Johhny Bedford, pelos galos, cuja primeira luta terminou sem resultado por conta de um cabeçada ilegal, porém sem propósito, do americano sobre Yahya.

Meus amigos proféticos, a sorte está lançada! Preparem o suco de groselha, a pipoca e a TV para acompanharem um grande espetáculo em terra brasilis. Minha concentração para este evento foi intensa e segurem essa macumba, porque ela está braba.

Munrá!

UFC Fight Night 51, em Brasília

CARD PRINCIPAL

Antônio Pezão x Andrei Arlovski
Gleison Tibau x Piotr Hallmann
Léo Santos x Efrain Escudero
Santiago Ponzinibbio x Wendell Negão
Iuri Marajó x Russell Doane
Jessica Andrade x Larissa Pacheco

CARD PRELIMINAR

Godofredo Pepey x Dashon Johnson
Igor Araújo x George Sullivan
Francisco Massaranduba x Leandro Buscapé
Paulo Thiago x Sean Spencer
Rani Yahya x Johnny Bedford

POSTADO POR: Cadu Bruno às 5:57
12 set

UFN 51: Pezão volta após doping contra velho conhecido

Por Rodrigo Tannuri

Pela primeira vez, o UFC desembarca em Goiânia e o palco para o UFN 51 será o ginásio Nilson Nelson. No entanto, nos Estados Unidos, o evento é visto sem tanto interesse pelo público, devido a ausência de nomes de peso. Realmente, a organização poderia ter escalado um time melhor, mas, mesmo assim, muitos dos shows que contam com atletas quase anônimos superam a expectativa do público. No main event, os pesados “Pezão” e Andrei Arlovski voltam a se enfrentar, o leve Gleison Tibau e o meio-médio Paulo Thiago são outros nomes conhecidos que marcarão presença. O canal Combate transmitirá o UFN 51 a partis das 19 horas deste sábado (13/09).

Pezão e Arlovski se encaram

Pezão e Arlovski se encaram

Na luta principal, a revanche entre “Pezão” e Andrei Arlovski acontecerá depois de quatro anos e muita coisa mudou. Arlovski já foi campeão dos pesados do UFC, mas, naquela época, vivia seu pior momento na carreira, chegando a perder quatro lutas seguidas e, inclusive, pensou em se aposentar. Agora, mais confiante e com três vitória seguidas, o bielorrusso está revigorado, porém longe do seu auge. Por sua vez, o gigante brasileiro volta após receber um ano de suspensão por doping. Na primeira vez, “Pezão” levou a melhor e, lutando em casa, tem tudo para vender de novo, mas deve tomar cuidado com o Boxe do adversário que é de alto nível e dosar sua energia para não acabar cansando. O embate promete ser empolgante e o nocaute deve acontecer, já que ambos não possuem os chamados “queixos de concreto”.

Tibau encarna seu personagem: operário do UFC

Tibau encarna seu personagem: operário do UFC

No co-main event, Gleison “Tibau” segue fazendo história como um dos atletas com maior número de participações no UFC. Em sua 23ª luta pela organização, o brasileiro enfrentará o duro Piotr Hallmann. Da última vez em que esteve no Brasil, o polonês derrotou “Massaranduba” e tirou proveito do cansaço do mesmo. Essa luta apresenta os mesmos moldes. “Tibau” é enorme para os leves e por isso pode se desgastar bastante, mas, ao que tudo indica, já está vacinado, até porque possui experiência para dar e vender. Seu grappling (quedas+Jiu-Jitsu) tem tudo para levá-lo a mais uma vitória.

Léo Santos x Escudero: batalha de campeões do TUF

Léo Santos x Escudero: batalha de campeões do TUF

Léo Santos e Santiago Ponzinibbio, ambos ex-TUF Brasil 2, vão entrar em ação e a expectativa é distinta. Pelos leves, o primeiro, vencedor do reality, vai encarar Efrain Escudero, vencedor do TUF 8, que está em sua terceira passagem pela organização. O confronto deve ser no chão, já que ambos tem o Jiu-Jitsu como ponto forte e o brasileiro é bem favorito, porém não esperem algo bonito de se ver. Por outro lado, “o argentino gente boa” deve protagonizar uma briga contra o estreante Wendell Oliveira, pelos meio-médios, e, se não melhorar o seu condicionamento, irá sucumbir novamente.

O galo Iuri “Marajó”, que já é um top-15 da categoria, tentará subir ainda mais no ranking, porém participa de um combate perigoso. O brasileiro é completo, bem mais versátil e favorito, mas deve estar muito focado para superar Russel Doane, que é bom e segue invicto no UFC. Uma luta que pode concorrer a melhor da noite é Jéssica Andrade x Larissa Pacheco. Larissa está invicta e irá estrear no UFC, porém Jéssica tem destruído quem encontra pelo caminho. Como as duas são agressivas e andam para frente, emoção não faltará.

Das cinco lutas do card preliminar, a mais esperada é logo a de abertura. Os galos Rani Yahya e Johny Bedford vão se encontrar pela segunda vez e o clima entre eles não é nada amistoso. No primeiro encontro, o americano até estava levando vantagem, porém uma cabeçada definiu um no-contest para o duelo. De lá para cá, algumas acusações foram trocadas. Especialista em Jiu-Jitsu, Rani deve fazer de tudo para levar a luta para o chão. O problema é que Bedford é um bom wrestler e, além disso, seu condicionamento é bem superior ao do brasileiro. A tarefa do brasileiro é bem difícil. O leve “Massaranduba”, carismático e brigador, terá todo o apoio do público para se recuperar da derrota passada e é o favorito. Já o meio-médio Paulo Thiago, policial do BOPE, sabe que, para se manter no UFC, sua missão é vencer ou vencer.

Confira o card do UFN 51:

CARD PRINCIPAL

Antônio Pezão x Andrei Arlovski
Gleison Tibau x Piotr Hallmann
Léo Santos x Efrain Escudero
Santiago Ponzinibbio x Wendell Negão
Iuri Marajó x Russell Doane
Jéssica Andrade x Larissa Pacheco

CARD PRELIMINAR

Godofredo “Pepey” x Dashon Johnson
Igor Araújo x George Sullivan
Francisco Massaranduba x Leandro “Buscapé”
Paulo Thiago x Sean Spencer
Rani Yahya x Johnny Bedford

POSTADO POR: Cadu Bruno às 11:04