Arquivos de Tags: Renan Barão

26 jul

UFC on Fox 16: TJ defende o cinturão, dando outra aula a Barão

Por Rodrigo Tannuri

Geralmente, os eventos UFC on Fox são bem legais de se assistir, mas esse decepcionou um pouco. O card preliminar mesmo tendo alguns bons momentos, foi bem chato de se acompanhar. Pra sorte dos fãs, o principal valeu muito a pena. Tivemos outra atuação estelar do campeão dos galos, TJ Dillashaw, uma batalha extremamente técnica e agradável de se ver, que culminou com Edson Barboza levando a melhor e o fair play de Joe Lauzon foi qualquer coisa de bonito.

TJ Dillashaw x Renan Barão II - replay. O que aconteceu na primeira luta entre TJ e Barão foi um marco. A exibição do americano foi perfeita e culminou com ele se tornando campeão dos galos. Muitos disseram que isso aconteceu, porque o brasileiro o subestimou, porque aquele era o dia dele, entre outras baboseiras. Só que o acerto de contas finalmente ocorreu e aconteceu a mesma coisa. Todo mundo esperava algo mais equilibrado, até porque ser mais fácil do que a primeira luta entre os galos não tem como. O início de Renan até nos enganou. Ele se movimentou bem, acertou alguns golpes, mas foi só um lampejo. Tirando esses dois minutinhos, o brasileiro foi presa fácil mais uma vez. Mais rápido, técnico, preciso e condicionado, Dillashaw fez o que quis. Parecia até que estava brincando, já que ria em alguns momentos. Ele tinha resposta pra tudo que o brasileiro fazia. Se o primeiro encontro acabou no quinto round, esse, foi encerrado no quatro. Aliás, ele poderia ser encerrado mais cedo. O árbitro Herb Dean não teve pena e deixou o brasileiro ser atingido por alguns golpes desnecessários, quando já estava entregue. O que eu temia aconteceu. Em entrevistas passadas, Barão dizia que ia resolver tudo na “paraibagem”. Ora, se essa é a estratégia ideal pra vencer um adversário que o havia surrado, tenho que parabenizar os envolvidos. Simplesmente, o brasileiro não apresentou nada de novo. Pelo contrário, cometeu os mesmos erros. Estava sem fôlego, sem força e sem estratégia. O resultado foi mais do que justo. O fato de ter sido engolido era previsível. É uma pena, mas TJ tem o número de Renan. Assim como Barão tem que ser respeitado por tudo que conquistou nos galos, TJ também tem que ser. O que o finalista do TUF 14 fez não é brincadeira. Ele está construindo um legado bem legal e será lindo acompanhar essa evolução. O americano é um campeão com todas as letras e com “C” maiúsculo!

Miesha Tate x Jessica Eye - aconteceu o que se esperava. Tate confirmou o favoritismo, dominou Eye e deve enfrentar Ronda Rousey pela terceira vez. O início da luta foi todo de Jessica. Bem melhor em pé, ela chegou a defender algumas quedas, mas, no final do primeiro round, sofreu um knockdown e, a partir daí, se perdeu por completo. Tate venceu, porque é mais completa e experiente, porém, mais uma vez, vimos que estratégia não é o seu forte. Ela é grappler, então porque insiste em trocar com as adversárias? Se Ronda sobra em relação as demais, Tate também vem provando que é superior a elas. Só que Ronda é muito mais destrutiva, empolgante e inteligente do que ela. O WMMA merece mais do que ter apenas Ronda x Tate lutando pelo cinturão. Ninguém deseja mais ver esse choque entre as duas, porque a campeã já provou ser muito mais competente e, com certeza, vai aumentar ainda mais a freguesia da rival.

Edson Barboza x Paul Felder - que batalha! Os strikers não inventaram e deixaram a luta seguir onde são especialistas, em pé. O que vimos foi uma guerra em pé. No fim, a técnica e velocidade de Edson lhe renderam uma importante vitória, que o consolida no top-10 dos leves. Ele saiu mais avariado, porém teve mais volume. Dessa vez, seu queixo não o abandonou. Mesmo tendo sido derrotado, Felder não decepcionou. Ele provou que, mesmo sendo um novato no UFC, pode competir de igual pra igual com os grandes da divisão. No fim, ninguém perdeu. Barboza foi o vencedor, mas os fãs do esporte ganharam mais do que ele. Essa foi a melhor luta da noite.

Joe Lauzon x Takanori Gomi - fácil, extremamente fácil. Lauzon não só brilhou, como também mostrou muito fair play. Em pé, Gomi era melhor, mas, a partir do momento que a luta foi pro chão, o vencedor já estava definido. Se esperava que o americano venceria por finalização, mas ele optou por punir o adversário com socos e joelhadas e nem precisou da interrupção de Herb Dean pra parar. Ao ver a demora do árbitro pra encerrar o combate, Lauzon julgou que Gomi não estava mais respondendo aos seus golpes e parou de atacá-lo. Que cena sensacional! “J-Lau” conseguiu mais um highlight. Detalhe: ele já era o recordista. Com relação a Gomi, aos 36 anos, é melhor a lenda japonesa se aposentar. Hoje em dia, não dá mais pra ele competir de igual pra igual com atletas mais jovens, completos e disciplinados.

CARD PRELIMINAR PODERIA SER MELHOR, MAS TEVE BONS MOMENTOS

Tom Lawlor não lutava desde 2013, mas isso não o impediu de fechar o card preliminar com chave de ouro. Ele fez o que se espera quando o adversário é Gian Villante. Sinceramente, o parceiro de Chris Weidman é um dos lutadores mais fracos do UFC. Quem quer ser alguém na organização não pode perder pra ele. Lawlor não é um primor, mas é carismático e mais lutador. Sua volta aos meio-pesados já fez a primeira vítima. Quem será a próxima?

Os meio-médios Ben Saunders e Kenny Robertson fizeram a luta mais doida do ano. O primeiro round foi qualquer coisa de insano. Robertson estava melhor, mas sentiu os golpes na linha de cintura e, quando tudo indicava que ele perderia, aplicou um knockdown em Saunders. Que revuravolta! Ao fim dele, ambos já estavam esgotados. No segundo, a insanidade continuou, com Robertson sendo superior. Na sequência, Saunders foi superior, mas não pra levar o round por 10×8. Os juízes deram a vitória pra ele, mas, na contagem do blog, os resultados mais justos seriam Robertson levando a melhor ou o empate. Enfim, o duelo foi tão maluco que qualquer placar é válido.

Pelos galos, Bryan Caraway havia desafiado Eddie Wineland e o chamado fez o compatriota sair da aposentadoria. Só que nem isso fez o ex-campeão do WEC voltar com sangue nos olhos. Ele conseguiu evitar as quedas, mas, pro seu azar, pevou a pior justamente na área em que é especialista, a trocação. O namorado de Miesha Tate não nocauteou, porém foi melhor, estando muito mais à vontade. Infelizmente, essa derrota deve aposentar Wineland. Ele é bom, ainda tem lenha pra queimar (31 anos), mas parece não ter mais motivação, o que é uma pena.

A luta entre os leves James Krause e Daron Cruickshank prometia e não decepcionou. Foi uma pena ter durado só um minuto e meio. Vindo de duas derrotas seguidas, Krause sabia que tinha que vencer ou vencer pra se manter no UFC. Por sua vez, Cruick era favorito, mas também não vinha vem e se mostrou totalmente perdido. Melhor em pé, ele tentou quedas pra confundir o oponente, só que, quando foi quedado, Krause foi mais rápido, pegou as costas e finalizou com extrema facilidade. Essa vitória, além de ter extrema importância, recupera a imagem do lutador. O que aconteceu foi surpreendente sendo um dos melhores momentos do show.

Também pelos leves, Ramsey Nijem, finalista do TUF 13, era bem favorito contra o estreante Andrew Holbrook, invicto no MMA No entanto, inteligência não é o seu forte. O que se deve fazer quando o oponente é especialista em jiu-jitsu? Evitar a luta agarrada, certo? Nijem ignorou o fato de Holbrook ter finalizado nove de suas 10 lutas e fez o jogo que seu oponente queria. É bem verdade que ele não foi finalizado, mas deu inúmeras oportunidades. Na minha contagem, “Stripper” venceu, mas os juízes deram a vitória pro estreante, que segue invicto. Erraram? Sim, mas, de certa forma, premiaram um atleta que fez de tudo pra encerrar o combate, prejudicando outro que venceria de forma tranquila, se lutasse com estratégia. A justiça foi feita.

Na abertura do evento, o meio-médio Zak Cummings confirmou o favoritismo, tirando o estreante Dominique Steele pra nada em apenas 43 segundos. Foi tão fácil, que ele nem precisou mostrar o seu ponto forte, que é o grappling. Deu pra ver que seu oponente não estava preparado pra encarar um desafio como esse logo de cara. Deu até pena.

Resultados do UFC on Fox 16:

CARD PRINCIPAL

TJ Dillashaw derrotou Renan Barão por nocaute técnico no 4º round
Miesha Tate derrotou Jessica Eye por decisão unânime
Edson Barboza derrotou Paul Felder por decisão unânime
Joe Lauzon derrotou Takanori Gomi por nocaute técnico no 1º round

CARD PRELIMINAR

Tom Lawlor derrotou Gian Villante por nocaute técnico no 2º round
Jim Miller derrotou Danny Castillo por decisão dividida
Ben Saunders derrotou Kenny Robertson por decisão dividida
Bryan Caraway derrotou Eddie Wineland por decisão unânime
James Krause derrotou Daron Cruickshank por finalização no 1º round
Andrew Holbrook derrotou Ramsey Nijem por decisão dividida
Elizabeth Phillips derrotou Jessamyn Duke por decisão unânime
Zak Cummings derrotou Dominique Steel por nocaute técnico no 1º round

POSTADO POR: Cadu Bruno às 12:04
24 jul

UFC on Fox 16: Barão deseja recuperar o cinturão na revanche com Dillashaw

Por Rodrigo Tannuri

Todos sabem que os eventos numerados do UFC são os blockbusters, aqueles que nenhum fã pode perder, mas, desde que foi criada (em 2011), a franquia on Fox vem ganhando cada vez mais destaque. Também pudera, com cards nem sempre estelares, mas muito bem montados, o ingrediente que não falta é emoção. A edição de número 16 não poderia ser diferente. Se vocês querem entretenimento e empolgação, podem assistir tranquilos, que terão. O Canal Combate vai transmitir o UFC on Fox 16 a partir das 17 horas deste sábado (25/07).

TJ Dillashaw x Renan Barão

O que aconteceu em maio de 2014, na primeira luta entre TJ Dillashaw e Renan Barão, foi espetacular. Pra uns, motivo de alegria, pra outros, de tristeza, mas o fato é que a atuação do finalista do TUF 14 foi mágica e merece todo o louvor. Pra revanche, que já era pra ter acontecido duas vezes (Barão teve problemas com o peso e TJ se lesionou), dificilmente ficaremos surpresos com algo fora do script. A tendência é que tenhamos uma luta mais equilibrada, com o americano sendo favorito, obviamente.

Sempre foi desejo de Renan acertar as contas com seu carrasco. Por ele, rolaria no dia seguinte ao atraso que levou. No entanto, o tempo foi seu aliado. A revanche imediata aconteceria em agosto e esses três meses seriam pouco tempo pra modificar seu jogo. Tanto Barão quanto TJ já lutaram depois do encontro e não brilharam, mas os duelos com Mitch Gagnon e Joe Soto tiveram influência externa. Renan teve problemas familiares e Dillashaw apenas um dia pra se adaptar ao novo oponente.

Agora, ambos estão focados e preparados. Confiante, TJ continuou treinando com Duane Ludwig (grande responsável por afiar suas habilidades) e espera outra vitória maiúscula. O campeão garantiu que Barão não irá achá-lo e que vai estragar seus novos dentes. Barão não engoliu o que houve, porém, pra ter sucesso, tem que ser outro. Em entrevistas antigas, o produto da Nova União disse que perdeu, porque lutou no automático e que sua estratégia era entrar no ringue e lutar. Sério? Tomara que ele seja mais inteligente dessa vez e se movimente mais. É o mínimo que seus fãs pedem. A tensão tomará conta de todos.

Miesha Tate x Jessica Eye

O WMMA é diferente, porque a mulherada é agressiva provocando e nos ringues. Uma das que se destacam nesse quesito é a popular Miesha Tate. A ex-campeã do Strikeforce perdeu o reinado pra Ronda Rousey, mas não o destaque. O problema é que, após dois combates bem desequilibrados contra a campeã, a trilogia é algo maçante, porém bem real. Mesmo tendo sido atropelada pela inimiga, Cupcake segue bradando por aí que é a única capaz de destroná-la.

Bom, até o momento, só Tate fez Ronda ir além do primeiro round e ponto final. Se iludir com base nisso é loucura, não acham? Se as outras competidoras não querem desafiar Rousey (oi, Holy Holm…), ela está fazendo por onde. Há que se dizer: Tate já provou seu valor, mas não subestimem Jessica Eye. A também bela é uma lutadora agressiva, prefere a luta em pé, portanto não é uma galinha morta como muitos dizem. Miesha é favorita por ser mais experiente, completa, mas, na altura do campeonato, a vitória de Eye seria ótima, porque representaria sangue novo, mesmo ela não tendo qualquer chance contra Ronda.

A luta que todos querem ver é o épico Ronda x Cris Cyborg, mas, como não sabemos se vai acontecer, ficar no aguardo assistindo Ronda x Tate 3, 4, 5… será a morte do WMMA. Tate é boa lutadora, presenteia a galera com fotos reveladoras em suas redes, mas não deveria ser tão fominha. Deixe as amigas brincarem também.

Edson Barboza x Paul Felder

Uma das candidatas a melhor luta do evento é Edson Barboza x Paul Felder. Os leves são trocadores natos, fortes e adoram causar impacto. Invicto, o americano é mais poderoso e está aproveitando seu momento. A vitória na estreia via cotovelada giratória fez o ex-campeão do Cage Fury ganhar muito hype. Acontece com ele o que já aconteceu com seu atual oponente.

Aos 29 anos, Edson foi derrotado por Michael Johnson, mas segue no top-10. Talentoso, o brasileiro sabe que se perder mais uma, dessa vez pra um bom nome, mas não condecorado, não constará mais entre os melhores. O agravante é o seu queixo. Sabemos que ele é um especialista na luta em pé, mas não resistiu a simples golpes. Contra um oponente com tanto poder, essa deficiência será explorada. É um teste definitivo.

Pro combate, o fenômeno de Nova Friburgo tem dado ênfase no grappling, o que é uma boa alternativa. A curiosidade é que Felder é amigo de Donald Cerrone e vale lembrar que o Cowboy finalizou Edson, depois de aplicar um knockdown via jab, ou seja, alguma dica ele vai dar.

Não digo que o brasileiro seja um novo Melvin Guillard. O americano é um striker agressivo, mas o que adianta ser ótimo em pé, se o queixo não aguenta? O do brasileiro até suporta alguns bons golpes (a luta contra Danny Castillo prova isso), mas, do nada, pode deixa-lo na mão. Essa é uma luta imperdível e é melhor Barboza ser mais cauteloso do que agressivo.

Joe Lauzon x Takanori Gomi

Os ilustres Joe Lauzon e Takanori Gomi não fazem parte da elite, mas, sabendo do histórico de ambos, tem como ignorar esse encontro? Infelizmente, a lenda japonesa foi mais um atleta que brilhou no Pride (Shooto também), mas que não teve sucesso no UFC. O outrora número um da categoria não é nem sombra do que já foi um dia. Aos 36 anos, não tem como o Menino Bola de Fogo ser competitivo contra essa nova safra talentosa e completa. Suas vitórias foram sobre lutadores bem limitados.

Lauzon também vem de derrota, mas, se compararmos, ele chega muito mais inteiro aqui. Mais novo, exímio grappler e conhecido por colecionar bônus (ele é o recordista), sem dúvida, passa pela cabeça do americano vencer se impondo pra abocanhar mais uma bolada. O que dizer de um atleta que venceu 24 lutas, sendo apenas uma por decisão?

A luta tem tudo pra ser explosiva, porque nenhum deles curte ficar na defensiva. É disso que o povo gosta. Exatamente por isso, Gomi até tem chance de surpreender o querido J-Lau. Mesmo assim, será difícil nocautear, porque Lauzon está acostumado a virar zumbi, ou seja, só o matando mesmo. Sinceramente, alguém aposta em algo que não seja vitória do americano por finalização? O diferencial será acertar o round.

Destaques do card preliminar

Composto por oito lutas, duas se destacam logo de cara. Kenny Robertson x Ben Saunders é um duelo de meio-médios não tão conhecidos, mas que estão mostrando muito valor. Ambos adoram finalizar os adversários de forma inusitada e bem difícil. O vencedor, com certeza, merecerá entrar no radar dos fãs.

Pelos galos, teremos striker x grappler e, mesmo vindo de derrotas, Eddie Wineland e Bryan Caraway continuam bem relevantes. Após ser brutalmente nocauteado por Johny Eduardo (era uma vez uma mandíbula), Wineland chegou a flertar com a aposentadoria, mas se animou ao trocar farpas com o atual oponente. Por sua vez, o Sr. Tate perdeu pra Raphael Assunção, mas quer mostrar que ainda pode subir na categoria.

Pra encerrar com chave de ouro, cito os leves Jim Miller e Daron Cruickshank como outros dois atrativos. Atualmente, o veterano grappler não figura no top-15, mas já esteve bem perto de lutar pelo cinturão. Portanto, é um lutador que merece muito respeito e que seguirá tendo um bom papel. Cruick possui um taekwondo bonito de se ver e a combinação técnica em pé + defesa de queda pode ser seu diferencial.

Confira o card do UFC on Fox 16:

CARD PRINCIPAL

TJ Dillashaw x Renan Barão
Miesha Tate x Jessica Eye
Edson Barboza x Paul Felder
Joe Lauzon x Takanori Gomi

CARD PRELIMINAR

Gian Villante x Tom Lawlor
Jim Miller x Danny Castillo
Kenny Robertson x Ben Saunders
Eddie Wineland x Bryan Caraway
Daron Cruickshank x James Krause
Ramsey Nijem x Andrew Holbrook
Jessamyn Duke x Elizabeth Phillips
Zak Cummings x Dominique Steel

POSTADO POR: Cadu Bruno às 12:14
24 jul

‘Nostradamus do MMA’ palpita quem vence no UFC on Fox 16

Meus amigos proféticos do MMA! A insanidade do esporte que mais cresce no mundo continua, com mais mais eventos míticos. Desta vez, teremos o UFC on Fox 16, com a revanche esperada e adiada entre TJ Dillashaw e o nosso menino porreta Renan Barão. Ainda, teremos um duelo de musas entre Miesha Tate e Jessica Eye, além do nosso Edson Barboza contra Paul Felder. Que isso, moçada!

Antes das análises e dos palpites, um aviso importante: acertei 9 de 12 combates do UFC Fight Night 72, em Glasgow, no último fim de semana. O nosso Thales Leites teve grande chance de vencer, porém foi derrotado por decisão dividida por Michael Bisping, que já pediu para enfrentar novamente o Cavaleiro de Ouro de Jesus, Vitor Belfort. Que venha!

Na luta principal, TJ Dillashaw defende pela segunda vez seu cinturão contra o nosso Renan Barão, ex-campeão que foi destronado pelo próprio Dillashaw. Tomara que seja um duelo equilibrado dessa vez, com muitos golpes potentes e boa movimentação. Quem leva o título, moçada?

Nostradamus do MMA

Na co-luta principal, Miesha Tate é porradeira e grappler das boas e está perto de um novo title shot. Para isso, encara a boxeadora Jessica Eye, que vem numa crescente incrível. Quem vence, meus amigos proféticos? Ainda, no card principal, o nosso Edson Barboza, homem dos chutes rodados, mede forças com Paul Felder, ainda invicto e que já causou boa impressão com vitórias impresisonantes, pelos leves. E em duelo de veteranos pelos leves, Takanori Gomi encara Joe Lauzon.

No card preliminar, destaque para o bom duelo dos leves entre Jim Miller e Danny Castillo. Combates interessantes entre Ben Saunders e Kenny Robertson, pelos meio-médios e Daron Cruickshank contra James Krause, pelos leves.

Moçada do MMA, meus palpites do além estão novamente no ar, mais insanos do que nunca. Preparem os salgadinhos, o suco de groselha, pois não vai faltar emoção nesse evento mítico! Segurem essa macumba da Estrela de Andrômeda!

Munrá!

UFC on Fox 16

CARD PRINCIPAL

TJ Dillashaw x Renan Barão
Miesha Tate x Jessica Eye
Edson Barboza x Paul Felder
Joe Lauzon x Takanori Gomi

CARD PRELIMINAR

Gian Villante x Tom Lawlor
Jim Miller x Danny Castillo
Kenny Robertson x Ben Saunders
Eddie Wineland x Bryan Caraway
Daron Cruickshank x James Krause
Ramsey Nijem x Andrew Holbrook
Jessamyn Duke x Elizabeth Phillips
Zak Cummings x Dominique Steel

POSTADO POR: Cadu Bruno às 12:08
19 dez

‘Nostradamus do MMA’ palpita quem vence no UFC em Barueri

Meus amigos proféticos do MMA! Finalmente chegamos ao útimo event do UFC do ano, e graças aos deuses do MMA (incluindo eu) será no Brasil, precisamente em Barueri, São Paulo. Na luta principal, Lyoto Machida encara CB Dollaway e ainda teremos outros grandes combates recheados.

Antes dos prognósticos, dois avisos importantes: acertei 8 de 10 lutas do TUF 20 Finale e apenas 5 de 12 combates do UFC on Fox 13. Grandes combates tivemos na joranda dupla da semana passada. Carla Esparza campeã do peso-palha e Junior Cigano voltando às vitórias e sofrendo para bater o perigoso Stipe Miocic.

Na luta principal, Lyoto Machida quer voltar ao topo da categoria e disputar novamente o cinturão dos médios. Para isso, tem que bater CB Dollaway, que vem em boa fase. Promessa de grande luta moçada! Quem vence?

Nostradamus do MMA

Na co-luta principal, Renan Barão, ex-campeão dos galos, votla a lutar no Brasil contra o aspirante Mitch Gagnon, do Canadá. Luta perigosa para o nosso Renan. Quem leva essa, meus amigos proféticos?

Ainda, no card principal, Antônio Cara de Sapato, campeão dos pesados do TUF Brasil 3, estreia no meios-pesados do evento contra Patrick Cummins. Elias “Xuxu” Silvério mede forças com Rashid Magomedov, pelos leves. Erick Silva quer voltar ao caminho das vitórias contra Mike Rhodes, pelos meio-médios. E Renato Moicano estreia no UFC contra Tom Niinimaki, pelos penas. No card preliminar, destaque para o combate entre Darren Elkins e Hacran Dias, pelos penas.

Moçada do MMA, minha macumba celestial finalde 2014 está no ar. Preparem o suco de groselha bem gelado, os salgadinhos, porque minha concentreação para este evento foi braba. Já desejo aos meus súditos amigos proféticos do MMA um grande ano de 2015 e volto com mais atividades paranormais insanas já no dia 3 janeiro , com o UFC 182, Jon Jones x Daniel Cormier.

Anarriê!

UFC Fight Night 58, em Barueri

CARD PRINCIPAL

Lyoto Machida x CB Dollaway
Renan Barão x Mitch Gagnon
Antônio Cara de Sapato x Patrick Cummins
Elias Silvério x Rashid Magomedov
Erick Silva x Mike Rhodes
Renato Moicano x Tom Niinimaki

CARD PRELIMINAR

Marcos Pezão x Igor Pokrajac
Daniel Sarafian x Junior Alpha
Darren Elkins x Hacran Dias
Leandro Issa x Ulka Sasaki
Marcio Lyoto x Tim Means
Vitor Miranda x Jake Collier

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:40
19 dez

UFN 58: Lyoto e Barão buscam novamente o caminho do topo contra adversários perigosos

Por Leo Salles

Neste sábado ocorre o último evento do UFC do ano, justamente no Brasil, na cidade de Barueri, em São Paulo, o UFC Fight Night 58. Em um card obviamente recheado de brasileiros, com boas lutas casadas, muitos deles querem se firmar na organização e outros tentarão retomar o caminho do topo de suas diviões. É o caso de Lyoto Machida, que encara CB Dollaway, pelos médios, e caso vença, volta ao bolo para disputar o citurão da categoria. Assim como Renan Barão, ex-campeão dos galos, que enfrenta o canadense Mitch Gagnon, adversário bem menos ranqueado, porém perigoso.

Lyoto teve a chance de ser o campeão dos médios do UFC em julho, quando encarou Chris Weidman, Perdeu por pontos e a sensação de poderia ter feito mais no combate. Por isso, para se recuperar na divisão, encara um Dollaway que vem em boa fase, com bom grappling e mostrando melhoria na trocação. Para o brasileiro, o seu jogo de paciência carateca será o antídoto para evitar o ímpeto do americano, que buscará o clinch. Lyoto é favorito pelo histórico, pela fase e pela carreira, mas se não estiver em dia nas defesas de queda, Dollaway pode ser batante perigoso.

Desde que perdeu o cinturão de maneira supreendente para TJ Dillashaw, Renan Barão perdeu crédito com a organização após falhar na pesagem para a revanche contra o americano e quase botar por água abaixo o UFC 177. Prova disso é o casamento da sua próxima luta, que é a co-luta principal, contra Mitch Gagnon, número 14 do ranking. Apesar do canadense estar em ascensão e dominar bem várias artes marciais, Barão é amplo favorito, até pelo seu incrível cartel com apenas duas derrotas. Certamente o brasileiro virá sedento para mostrar serviço e garantir novamente o title shot da categoria.

Ainda, no card principal, teremos combates de brasileiros que buscam escrever o nome de vez no UFC, em batalhas interessantes. Antônio Cara de Sapato mede forças com Patrick Cummins, pelos meios-pesados, e será duelo de estilos, da trocação aliada ao jiu-jitsu afiado de Cara de Sapato contra a excelência do wrestling de Cummins. Elias Silvério quer manter-se invicto na carreira e enfrenta o perigoso russo Rashid Magomedov, pelos leves, seu mais duro desafio.

Erick Silva, que alterna altos e baixos no UFC, mede forças com Mike Rhodes, um adversário escolhido para o brasileiro voltar às vitórias e se retomar a confiança para enfrentar um top 10 e quem sabe vencê-lo algum dia. Abrindo o card principal, Renato Moicano estreia no UFC após longa carreira no Jungle Fight e mede forças com o finlandês Tom Niinimaki, pelos penas.

No card preliminar, muitos atletas tentando se estabelecer no evento. Oriundos do TUF Brasil 3, Marcos Pezão, Marcio lyoto e Vitor Miranda enfrentam, respectivamente, Igor Prokajac, Tim Means e Jake Collier. Porém, o grande confronto dessa seção é Darren Elkins e Hacran Dias, pelos penas, pelos estilos diferentes que os dois apresentam. Provavelmente, Elkins partirá para o clinch e fazer a luta agarrada, como fez na sua útlima contra Lucas Mineiro, no UFC 179, já que Hacran tem um jogo parecido com o do Mineiro.

Confira as lutas do UFC Fight Night 58, em Barueri:

CARD PRINCIPAL

Lyoto Machida x CB Dollaway
Renan Barão x Mitch Gagnon
Antônio Cara de Sapato x Patrick Cummins
Elias Silvério x Rashid Magomedov
Erick Silva x Mike Rhodes
Renato Moicano x Tom Niinimaki

CARD PRELIMINAR

Marcos Pezão x Igor Pokrajac
Daniel Sarafian x Junior Alpha
Darren Elkins x Hacran Dias
Leandro Issa x Ulka Sasaki
Marcio Lyoto x Tim Means
Vitor Miranda x Jake Collier

POSTADO POR: Cadu Bruno às 9:36
29 ago

UFC 177: Barão passa mal e está fora; campeão enfrenta desconhecido

Por Rodrigo Tannuri

Geralmente, os eventos numerados do UFC costumam ser mais importantes do que os demais, porém é de consenso geral que a edição de número 177 foi feita com descaso pela organização, gerando diversas críticas dos fãs. Para piorar, Renan Barão, ex-campeão dos galos, sofreu problemas no corte de peso, está fora do evento e não para por aí. Quando todos esperavam o cancelamento do show, o UFC surpreendeu e decidiu escalar o desconhecido Joe Soto para o lugar do brasileiro. O curioso é que Soto estrearia no card preliminar, contra Anthony Birchak, e agora vai desafiar o campeão dos galos, TJ Dillashaw. Antes de Barão ser retirado do evento, o mosca Henry Cejudo foi cortado também por ter tido problemas para bater o peso de sua categoria.

Originalmente, o show seria em Las Vegas, no famoso MGM Grand Garden Arena, e teria como main event Jon Jones x Daniel Cormier e como co-main event Demetrious Johnson x Chris Cariaso, ou seja, duas disputas de cinturão. O que antes era para ser um evento de dez lutas, passou a ter apenas oito, sendo quase todas desinteressantes. Essa não é a primeira vez que o UFC sofre com suas escolhas e, pelo visto, continuará padecendo. O UFC 177 acontecerá em Sacramento, na Califórnia, e o Canal Combate transmitirá a partir de 19h45 deste sábado (30/08).

Renan Barão está fora do UFC 177

Renan Barão está fora do UFC 177

A princípio, TJ Dillashaw, campeão dos galos do UFC, enfrentaria Renan Barão pela segunda vez, mas o brasileiro passou mal e foi substituído pelo nada popular Joe Soto. O americano até possui um bom cartel, mas jamais poderia estrear no UFC lutando pelo cinturão, mesmo sendo nessas circunstâncias. Essa escolha só mostra o quão perdida e sem planejamento estava a organização. Vale lembrar que, recentemente, Soto chegou a treinar com o próprio Dillashaw na Team Alpha Male, e tal fato gera uma certa estranheza. Lutando em casa, TJ já era favorito contra Barão, contra Soto, ele é ainda mais, mas deve ter cuidado, porque tudo está dando errado nesse evento. Na verdade, não era nem para ser realizado.

No co-main event, os leves Tony Ferguson, vencedor do TUF 13, e Danny Castillo se enfrentam em busca de reconhecimento. Ambos são bons lutadores, mas não possuem tanto apelo junto ao público. Ferguson é um lutador mais agressivo e seu objetico é nocautear o rival o quanto antes. Por outro lado, Castillo é mais experiente, resistente e utiliza bastante o Wrestling para controlar seus oponentes. O combate é equilibrado e pode surpreender positivamente. Quem vencer pode se aproximar do top-15 dos leves.

Bethe Correia no media day

Bethe Correia no media day

Ronda Rousey, campeã dos galos femininos, possui diversas inimigas no MMA e Bethe Correia é uma delas. A brasileira, invicta no MMA, já avisou que não teme a americana, que seu objetivo é encará-la e sabe que uma nova vitória pode consolidar seu status de desafiante. O curioso é que a adversária de “Pitbull” é mais uma das poucas fiéis escudeiras de Ronda. Caso Bethe consiga evitar as quedas da oponente, ela terá a faca e o queijo na mão para vencer. Pelos leves, o invicto Carlos Diego Ferreira, especialista em Jiu-Jitsu, lutará contra o finalista do TUF 13, Ramsey Nijem. O duelo é interessante, mas o vencedor continuará integrando o bloco intermediário da categoria.

No card preliminar, o destaque vai para os médios. Lorenz Larkin e Derek Brunson fazem um confronto de estilos, visando se aproximarem do top-15 da divisão. O primeiro é um striker criativo, enquanto o segundo é um wrestler que também gosta de trocar.

Confira o card do UFC 177:

CARD PRINCIPAL

TJ Dillashaw x Joe Soto
Danny Castillo x Tony Ferguson
Bethe Correia x Shayna Baszler
Ramsey Nijem x Carlos Diego Ferreira
Yancy Medeiros x Damon Jackson

CARD PRELIMINAR

Lorenz Larkin x Derek Brunson
Ruan Potts x Anthony Hamilton
Cain Carrizosa x Chris Wade

POSTADO POR: Cadu Bruno às 7:46
29 ago

‘Nostradamus do MMA’ palpita quem vence no UFC 177

Meus amigos proféticos do MMA! It’s time! Hora dos palpites cósmicos do professor da adivinhação, eu, o Nostradamus do MMA! Para amanhã, um grande duelo e uma esperada revanche: o nosso querido porreta, menino bom de briga de Natal, Renan Barão, vai tentar recuperar o seu cinturão dos galos que perdeu há três meses atrás para o atual campeão, TJ Dillashaw, no UFC 177, em Sacramento, casa de Dillashaw! Que isso moçada!

Antes, dois avisos importantes: acertei 8 de 10 lutas do UFC Fight Night 48, em Macau, e 7 de 11 combates do UFC Fight Night 49, em Tulsa. Michael Bisping mostrou mais versatilidade e Rafael dos Anjos estava iluminado. Grandes vitórias!

Na luta principal do UFC 177, uma grande revanche na casa do inimigo para Renan Barão. Vai enfrentar um Dillashaw bem mais confiante e sabendo de todos os truques do brasileiro. Já Barão vai apresentar pelo menos uma postura diferente para recuperar o cinturão. Quem leva esse grande embate, moçada?

Nostradamus do MMA

Na co-luta principal, em bom duelo pelos leves, Tony Ferguson, campeão do TUF 13, mede forças com Danny Castillo, parceiro de treinos de Dillashaw na Team Alpha Male. Será um combate frenético! Ainda no card principal, a paraibana boa de porrada Bethe “Pitbull” Correia encara mais uma amiga da campeã dos galos, Ronda Rousey, Shayna Bazler. Outro brasuca, Carlos Diego Ferreira, invicto no MMA, enfrenta Ramsey Nijem e Yancy Medeiros peleia contra Damon Jackson, duelos válidos pelos leves.

Moçada do MMA, meus palpites vindo da Estrela de Andrômeda estão insanos! Já preparei meu suco de groselha e botei Chubaca, meu gato preto, enjaulado, para não me atrapalhar enquanto assisto os combates. Segurem essa macumba do além!

Munrá!

UFC 177

CARD PRINCIPAL

TJ Dillashaw x Renan Barão
Danny Castillo x Tony Ferguson
Bethe Correia x Shayna Baszler
Ramsey Nijem x Carlos Diego Ferreira
Yancy Medeiros x Damon Jackson

CARD PRELIMINAR

Lorenz Larkin x Derek Brunson
Scott Jorgensen x Henry Cejudo
Ruan Potts x Anthony Hamilton
Anthony Birchak x Joe Soto
Cain Carrizosa x Chris Wade

POSTADO POR: Cadu Bruno às 10:31
13 ago

À procura de regularidade, Jussier Formiga encara Zach Makovsky no UFC Fight Night 47

Por Leo Salles

Em busca de uma estabilidade na categoria dos moscas, o potiguar Jussier Formiga, número seis do ranking do UFC, encara o americano Zach Makovsky, número nove, no UFC Fight Night 47, que acontece em Bangor, no Maine, nos Estados Unidos. A luta estava marcada para o UFC 176, porém o evento foi cancelado devido ao adiamento do combate principal entre José Aldo e Chad Mendes.

Formiga continuou se preparando forte para a luta, e num evento fechado para a imprensa na Nova União antes do cancelamento do UFC 176, contou como foi sua preparação, as dicas que recebeu de Dudu Dantas, campeão do Bellator, que vencera Makovsky na disputa de cinturão dos galos da organização e o por quê de não ainda ter engrenado no UFC.

“Está faltando eu lutar com mais alegria, me soltar lá dentro do octógono e mostrar meu jogo. Sair na porrada em pé, fazer o jogo de chão, levar para a grade e tentar mesclar isso tudo. Acho que a cada luta estou melhorando, meu desempenho está cada vez melhor. Venho evoluindo na parte da luta em pé, treino na melhor equipe de pesos leves do mundo, que é a Nova União. Então só tenho casca-grossas ao meu lado, como José Aldo e Renan Barão, grandes campeões”, disse Formiga, que possui duas vitórias e duas derrotas na organização e acredita que a ansiedade não o atrapalhou em seus combates anteriores:

Ao lado dos seu companheiros de Nova União, Thales Leites, Claudinha Gadelha e Walmir Bidu, Jussier Formiga posa para fotografias em evento fechado para imprensa (Foto: Leo Salles)

Ao lado dos seu companheiros de Nova União, Thales Leites, Claudinha Gadelha e Walmir Bidu, Jussier Formiga posa para fotografias em evento fechado para imprensa (Foto: Leo Salles)

“Não vejo que estive ansioso nas outras lutas. A divisão dos moscas é tão equilibrada que você fica receoso de perder uma. Mas o lutador não pode entrar com pensamento de perder. Temos que entrar no octógono e fazer o nosso melhor, daí as vitórias serão consequência do bom trabalho”.

O peso-mosca sabe do poderio de Makovsky, que venceu as duas lutas que fez até agora no UFC ( contra Scott Jorgesen e Josh Sampo), que já foi campeão dos galos do Bellator até ser destronado pelo brasileiro Dudu Dantas, atual campeão da categoria. Formiga recebeu todas as informações do seu companheiro de treinos da Nova União:

“Apesar de o Dudu ter o derrotado rapidamente, ele me passou o que o Zach tem mais de perigoso no jogo dele, principalmente no chão, e foram instruções bem valiosas para o meu camp. O Zach é wrestler, gostar de pontuar em pé, mas o forte dele é o wrestling, gosta de botar pra baixo. Mas estou dando ênfase em todas as áreas, tenho que estar pronto em pé ou no chão para não deixá-lo me vencer. Mas se for para o chão , creio que vamos fazer uma boa luta agarrada, porém o Dudu Dantas me passou no que posso surpreender, principalmente na luta em pé”, afirmou o peso mosca.

Jussier Formiga encara Zach Makovsky no UFC Fight Night 47 (Foto: Divulgação)

Jussier Formiga encara Zach Makovsky no UFC Fight Night 47 (Foto: Divulgação)

Formiga aproveitou para falar sobre seu amigo e companheiro de treinos Renan Barão, que perdeu recentemente o cinturão do UFC para TJ Dillashaw no UFC 173 e terá a revanche imediata no dia 30 de agosto, no UFC 177 e o que aconteceu na preparação antes daquela luta:

“O Barão agora teve dois meses de camp (para a revanche). Na outra luta, não que seja uma desculpa, mas ele só teve seis semanas para treinar para um combate de cinco rounds, então é bem desgastante. Agora ele teve bastante tempo para focar nos treinos e acho que será uma luta diferente da anterior. Aaposto nele derrotando o Dillashaw. Vocês verão um novo Barão, mais motivado para ser campeão” afirmou o potiguar.

POSTADO POR: Cadu Bruno às 1:29