twitterfeed
PUBLICADO EM 17.11.2016 - 15:13

Otimismo lá em cima

Dani Lins disputa sua terceira temporada seguida pelo Vôlei Nestlé. Foto Divulgação João Pires/Fotojump

Dani Lins disputa sua terceira temporada seguida pelo Vôlei Nestlé. Foto Divulgação João Pires/Fotojump

A campeã olímpica Dani Lins está com o pensamento voltado para a sua terceira temporada seguida pelo Vôlei Nestlé. Campeã paulista, a equipe de Osasco vem de quatro vitórias consecutivas na Superliga e se prepara para enfrentar o Terracap-BRB-Brasília, na terça-feira. “A gente começou bem a temporada. Não ganhamos a Copa São Paulo, mas depois, com a equipe completa, conseguimos dar mais cara ao time e conquistamos o título do Paulista. Fomos nos fortalecendo cada vez mais com essa vitória porque perdemos o primeiro jogo da final, contra o Pinheiros, e conseguimos vencer a segunda partida e o golden set. Agora, na Superliga, também começamos bem, com quatro vitórias e 12 pontos, mas a gente sabe que o campeonato vai ficando cada vez mais forte. Nas próximas rodadas, vamos pegar o Brasília, que tem um excelente elenco, e depois o Fluminense e o Minas. Mas é importante começar bem e com o otimismo lá em cima”, analisa Dani.

CONVERSA SOBRE SELEÇÃO
Dani admite que é difícil esquecer a derrota para a China nas quartas de final da Olimpíada e conta que pretende conversar em breve com o técnico José Roberto Guimarães: “Querendo ou não, mesmo depois de todo esse tempo, a gente ainda pensa e ainda fala algumas coisas. Foi triste demais, mas felizmente a vida segue. Não conversei com o Zé ainda, mas depois das festas de fim de ano vou conversar com ele até mesmo para falarmos sobre o meu futuro na seleção brasileira também. Queria engravidar e tem que ser tudo planejado.”

Em casa, ela acompanha o marido, Sidão, na recuperação de mais uma cirurgia no ombro direito. “Acompanho o Sidão do mesmo jeito como foi na outra cirurgia, sempre dando força. Quando o Sesi viaja sou eu que faço a fisioterapia dele em casa. Ele me explica direito o que fazer e sempre que posso também vou com ele e observo bastante o trabalho do fisioterapeuta do Sesi. Brinco que já virei especialista em recuperação de ombro. Mas o Sidão está com a cabeça boa e isso que é importante. Em breve ele estará de volta e bem fisicamente. Ele fica triste porque estava bem forte quando voltou a jogar a Copa São Paulo com o Sesi. Mas, em breve, todo mundo vai voltar a ver o Sidão de sempre. Muita gente está sentindo a falta dele na quadra, eu principalmente, que adoro vê-lo jogando”, afirma a levantadora.

Sidão e Dani Lins já pensam em aumentar a família. Foto Arquivo Pessoal

Sidão e Dani Lins planejam aumentar a família. Foto Arquivo Pessoal

 

 

Publicidade