twitterfeed
PUBLICADO EM 05.01.2017 - 12:30

Os desafios do Brasília

Paula Pequeno lidera o Brasília Vôlei na Superliga. Foto Divulgação/ Shizuo Alves/Ponto MKT Esportivo

Paula Pequeno lidera o Brasília Vôlei na Superliga. Foto Divulgação/ Shizuo Alves/Ponto MKT Esportivo

A campanha no primeiro turno da Superliga feminina foi muito positiva para o Terracap-BRB-Brasília Vôlei, com vitórias sobre o Vôlei Nestlé e o Dentil-Praia Clube que renderam o terceiro lugar na classificação geral. Liderando o time que virou uma das sensações da competição está a bicampeã olímpica Paula Pequeno. Prestes a completar 35 anos, no dia 22, ela analisa o bom momento de sua equipe, mas sabe que as dificuldades vão aumentar a partir de sábado, quando o Brasília fará sua estreia no returno, contra o Pinheiros, em casa.

“A gente soube aproveitar bem as oportunidades que teve. Mas, mesmo com uma campanha muito boa, poderíamos ter sido melhores. Sem dúvida, será mais difícil. As outras equipes vão se preparar ainda melhor sabendo da dificuldade que criamos para os outros times”, avalia.

O Brasília colocou duas atletas na seleção do primeiro turno da Superliga: a levantadora Macris e a central Roberta. Para Paula, vários aspectos explicam o bom desempenho até agora: “É uma junção de fatores. Tem a meninada junto com a experiência, a vinda do Anderson (o técnico Anderson Rodrigues, campeão olímpico em Atenas-2004). Temos uma comissão muito competente e estamos conseguindo aproveitar bem os treinamentos. Tem ainda a energia do grupo. O dia a dia é muito tranquilo.”

Completando 20 anos de carreira profissional em 2017, Paula diz que ama o que faz e quer continuar curtindo os anos que ainda tem pela frente nas quadras: “Eu me sinto bem. Tenho físico privilegiado, mas consciência de que preciso me cuidar muito mais, cuidar da alimentação, do sono, do descanso, da parte da fisioterapia e da muscular, que é muito importante e me dá suporte.”

Publicidade