twitterfeed
PUBLICADO EM 25.01.2017 - 17:26

Inspiração dentro de casa

Cida é a inspiração para a filha, Duda, nas areias. Foto Maíra Coelho/ O DIA

Cida é a inspiração para a filha, Duda, nas areias. Foto Maíra Coelho/ O DIA

Apontada como uma das principais promessas do esporte brasileiro para Tóquio- 2020, Duda, 18 anos, começou no vôlei de praia seguindo os passos da mãe, a ex- jogadora Cida. “No começo, quando era atleta, levava a Duda em alguns torneios. Depois, comecei a ter uma escolinha, ela ia comigo para fazer companhia, mas acabava pegando a bola e saindo para jogar. Com o tempo, vi que tinha jeito para isso”, conta Cida. A expectativa é grande em cima de Duda, que começou o ano formando dupla com Ágatha, medalhista olímpica de prata. “A responsabilidade é grande. Acredito que ela já esteja acostumada. É como todo mundo fala: é uma promessa e vamos trabalhar muito para que isso aconteça”, diz Cida. Duda, por sua vez, destaca a importância da mãe na sua trajetória. “Desde novinha, eu sempre acompanhava. Minha mãe parou e eu segui o rumo de jogar vôlei de praia. Comecei a fazer escolinha com 9 anos e, aos 12, fui jogar o Estadual. E daí não parei mais. Começou tudo por causa dela e eu estou aqui por causa dela”, comenta Duda. Ela lembra que, por conta do esporte, sua mãe acabava se ausentando de casa, mas isso não afastou a jovem promessa do vôlei: “Minha mãe ficava muito distante. E a gente ficava com saudade. Mas eu sempre quis isso.

Publicidade