twitterfeed
PUBLICADO EM 24.11.2017 - 15:15

“Estou ansiosa desde que acabou a cirurgia”

Thaisa trabalha com o preparador físico José Elias Proença. Foto Divulgação IEE

Thaisa trabalha com o preparador físico José Elias Proença. Foto Divulgação IEE

A bicampeã olímpica Thaisa segue sua recuperação da cirurgia no joelho esquerdo, realizada em junho. Sua a confiança aumenta a cada dia, como conta nesta entrevista.

Você disse recentemente que a sua evolução após a cirurgia no joelho esquerdo está sendo bem bacana e que está conseguindo fazer vários exercícios na academia que não conseguia realizar antes. Esse progresso aumenta sua confiança para a volta às quadras? Como você controla a ansiedade neste momento?

“Realmente estou evoluindo muito bem a cada treinamento. Em quadra consigo fazer mais exercícios, com mais velocidade, com mais mudança de direção, que era o que eu tinha mais dificuldade e agora está saindo com mais fluidez e com um ritmo legal. Quando eu consigo fazer um exercício assim, sem ter muitas dificuldades, sem ter que ficar pensando no movimento, me sinto mais confiante e me dá mais tranquilidade de saber que estou no caminho certo. Porque às vezes você pode tentar fazer um exercício e não fluir, doer, e aí você trava. Pelo contrário, estou conseguindo fazendo exercícios que exigem cada vez mais e está saindo tudo muito bem. Ansiedade não tem como. Estou ansiosa desde que acabou a cirurgia. Estou tendo que controlar isso desde o início, mas é complicado. Sou a pessoa mais ansiosa do mundo, tanto que nasci de sete meses”.

No processo de recuperação, qual é a importância de você ter conseguido acertar com o Eczacibasi Vitra para jogar esta temporada por empréstimo no Brasil e fazer toda a reabilitação com os profissionais daqui?

“A importância é indiscutível. O fato de poder estar com a minha família, de poder estar na minha casa e com os profissionais da minha confiança é extremamente importante para a minha recuperação. Estar com pessoas que me conhecem, que conhecem a minha carreira, o meu corpo, que sabem da minha evolução, é muito melhor que estar em um lugar estranho, em um país de cultura e idiomas diferentes, com pessoas que você está conhecendo agora. Então, estar no Brasil nessa fase tão complicada de recuperação de uma lesão tão grave como foi faz toda a diferença”.

Qual é a sua expectativa para jogar com o técnico José Roberto Guimarães pela primeira vez em um clube, após tantos anos de seleção brasileira?

“Acho que a gente está muito mais focado na expectativa de eu conseguir voltar ao meu ritmo, de voltar a ser a Thaisa de antes. Já jogamos 11, 12 anos juntos e nos conhecemos e nos entendemos muito. Muitas vezes num gesto, num olhar, numa expressão, a gente já sabe o que o outro está querendo dizer. Acho que essa experiência no clube vai ser só para melhorar ainda mais esse relacionamento. A expectativa é sempre boa. Só tenho que melhorar ainda mais”.

O Hinode Barueri chegou à elite do vôlei após conquistar a Superliga B. Como você avalia as chances do time na Superliga?

“O time está indo muito bem. Conquistou o seu espaço na Superliga e faz o seu papel bem feito. Acho que o time ainda tem o que evoluir. Tem muita menina nova, que ainda está engatinhando para ganhar experiência, e é assim mesmo. É preciso ter paciência. Vai ganhar, vai perder, mas é importante manter o foco de estar sempre lutando para conquistar essa experiência e esse “ganho de corpo” dentro do campeonato. A gente está com uma pontuação muito boa, bem perto de grandes equipes. Se não tivesse dado alguns pequenos vacilos, que são naturais e que acontecem no esporte, a equipe poderia estar muito melhor na competição. Mas é preciso ter paciência para saber que isso vai acontecer até porque é uma equipe que tem meninas jovens. Mas é trabalhar, seguir adiante, firme, sabendo que tem muito o que melhorar. As atletas mais velhas podem passar sua experiência e dar apoio para essas meninas, porque são o nosso futuro. Mas o caminho é esse. É manter o foco, ganhar corpo e confiança para cada vez mais buscar mais consistência de jogo. O Zé e a comissão técnica estão de parabéns”.

Publicidade