twitterfeed
PUBLICADO EM 17.07.2017 - 9:43

Pescoço de texto: a síndrome de quem usa demais o celular

O pescoço de texto é uma deformação na coluna causada pela má postura, principalmente por longas horas de uso do celular

O pescoço de texto é uma deformação na coluna causada pela má postura, principalmente por longas horas de uso do celular

Os brasileiros acessam as redes sociais em uma média de três horas e meia por dia, normalmente com a cabeça muito inclinada para frente, posição extremamente desfavorável para a saúde da coluna cervical. Flexionada para frente, a cabeça pesa em torno de 4 e 6 kg, podendo chegar a pesar 27 kg, sustentados pela musculatura à volta do pescoço. Esta posição, por longo tempo, pode causar a tal Síndrome Text Neck, com seus tão desagradáveis sintomas.

Também conhecida como síndrome do pescoço de texto, esta “patologia da modernidade” surgiu a partir de 2007, com a popularização dos smartphones e tablets no mercado, sendo também os notebooks colaboradores deste mal. Trata-se de dor na região cervical, podendo irradiar para ombros e todo o braço, mãos e cabeça. Todos esses sintomas podem ser causados pelo uso excessivo e mal uso dos smartphones e demais equipamentos eletrônicos.

“Cada vez mais jovens procuram o consultório com o relato de dores na coluna e disfunções relacionados ao uso excessivo dos celulares. A orientação que costuma dar aos pacientes, é para que reduzam o tempo de utilização dos tablets e smartphones e quando forem utilizar, busquem apoiar os braços e deixem a cabeça o mais para frente possível”, diz a fisioterapeuta Ana Gil, que comanda o Espaço Ana Gil: clínica de fisioterapia, estética e pilates na Barra da Tijuca.

A região mais flexível da coluna é a cervical que consiste de 7 vértebras, discos intervertebrais entre elas que são responsáveis por absorver o impacto, músculos e ligamentos que ajudam a manter a coluna no lugar. Ana ressalta: “É preciso estar de olho na postura ao utilizar esses equipamentos que cada vez fazem mais parte de nossas vidas. E principalmente, ficar de olho nas crianças, evitando problemas posturais futuros e mais graves”.

Ana Gil é professora de cursos de pós-graduação Lato sensu da UFRJ, UCB, UCP, UNIRN. pós-graduada em Anatomia Humana e Biomecânica (UCB) especialista em Reeducação Postural Global – RPG (Instituto Philipe Souchard) e mestre em Educação Física (EEFD/UFRJ). É autora do livro Core & Training: Pilates, Plataforma Vibratória e Treinamento Funcional (Editora Ícone).

Mais informações: ana@espacoanagil.com.br
Fanpage e Instagram: /espacoanagil

 

Publicidade